A Arca do deus Amon e a Arca da Aliança

Slide88

 

A santidade atribuída a Jerusalém pelos egípcios inicialmente foi derivada do transporte da Barca de Amon (um santuário sagrado carregado em postes, da mesma maneira que a Arca da Aliança dos israelitas) para a cidade de Tutmés III.

Eles carregavam o deus em um “andor” com forma de barco, sendo que o deus ficava protegido dentro de uma pequena “cabine” dentro do barco.

O santuário era normalmente mantido dentro do Santo dos Santos do templo de Amon em Karnak, no entanto Tutmés III o levava com ele para as batalhas. Ele permaneceu com o santuário quando passou a residir em Jerusalém durante o cerco prolongado de Megido.

O nome para Jerusalém de “a Cidade Santa de Jerusalém.” vem do deus Amon egípcio, e a Arca da Aliança não é, nada mais e nada menos, que um plágio do santuário de Amon ou Amen ou, posteriormente, Amon-Rá.

Os egípcios acreditavam que os deuses eram fundamentalmente misteriosos, assim como os cristãos acreditam, o “eterno” ou divino nunca pode ser totalmente conhecido.

Amon-Ra (16 a 11 séculos a. C) ocupou o cargo de transcendental, divindade criadora e auto-criado ocupando a posição de deus dos deuses, desenvolvendo um monoteísmo virtual onde outros deuses tornaram-se manifestações dele. Com Osíris, Amon-Ra é o deus mais amplamente registrado dos deuses egípcios. Como a principal divindade do império egípcio, Amon-Ra, também passou a ser adorado fora do Egito, na antiga Líbia, Núbia, vindo também a ser identificado com Zeus na Grécia Antiga.

A vitória conquistada por faraós que adoravam Amon contra os “governantes estrangeiros”, levou-os a serem vistos como campeões dos menos afortunados, e na defesa dos direitos de justiça para os pobres. Por ajudar aqueles que viajaram em seu nome, Amon tornou-se o protetor da estrada. Desde que ele se confirmou Ma’at (verdade, justiça e bondade), todos aqueles que rezavam a Amon eram obrigados, primeiro a demonstrar dignidade, confessando os seus pecados, como registrado nas estelas de aldeia de artesãos em Deir-el-Medina.

http://www.domainofman.com/ankhemmaat/david.html
http://anaburke.com/2014/01/18/tuthmosis-iii-o-rei-davi-da-biblia/

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s