Carta sobre a felicidade

epicuro

Epicuro

(a Meneceu)

Epicuro envia suas saudações a Meneceu

Que ninguém hesite em se dedicar à filosofia enquanto jovem, nem se canse de fazê-lo depois de velho, porque ninguém jamais é demasiado jovem ou demasiado velho para alcançar a saúde do espírito. Quem afirma que a hora de dedicar-se à filosofia ainda não chegou, ou que ela já passou é como se dissesse que ainda não chegou ou que já passou a hora de ser feliz. Desse modo, a filosofia é útil tanto ao jovem quanto ao velho: para quem está envelhecendo sentir-se rejuvenescer através da grata recordação das coisas que já se foram, e para o jovem poder envelhecer sem sentir medo das coisas que estão por vir; é necessário, portanto, cuidar das coisas que trazem a felicidade, já que, estando esta presente, tudo temos, e, sem ela, tudo fazemos para alcançá-la.

Pratica e cultiva então aqueles ensinamentos que sempre te transmiti, na certeza de que eles constituem os elementos fundamentais para uma vida feliz.

Em primeiro lugar, considerando a divindade como um ente imortal e bem-aventurado, como sugere a percepção comum de divindade, não atribuas a ela nada que seja incompatível com a sua imortalidade, nem inadequado com a sua imortalidade, nem inadequado à sua bem-aventurança; pensa a respeito dela tudo que for capaz de conservar-lhe felicidade e imortalidade.

Os deuses de fato existem e é evidente o conhecimento que temos deles; já a imagem que deles faz a maioria das pessoas, essa não existe: as pessoas não costumam preservar a noção que têm dos deuses. Ímpio não é quem rejeita os deuses em que a maioria crê, mas sim quem atribui aos deuses os falsos juízos dessa maioria. Com efeito, os juízos do povo a respeito dos deuses não se baseiam em noções inatas, mas em opiniões falsas. Daí a crença de que eles causam os maiores malefícios aos maus e os maiores benefícios aos bons. Irmanados pelas suas próprias virtudes, eles só aceitam a convivência com os seus semelhantes e consideram estranho tudo que seja diferente deles.

Acostuma-te à ideia de que a morte para nós não é nada, visto que todo bem e todo mal residem nas sensações, e a morte é justamente a privação das sensações. A consciência clara de que a morte não significa nada para nós proporciona a fruição da vida efêmera, sem querer acrescentar-lhe tempo infinito e eliminando o desejo de imortalidade.

Não existe nada de terrível na vida para quem está perfeitamente convencido de que não há nada de terrível em deixar de viver. É tolo portanto quem diz ter medo da morte, não porque a chegada desta lhe trará sofrimento, mas porque o aflige a própria espera: aquilo que não nos perturba quando presente não deveria afligir-nos enquanto está sendo esperado.

Então, o mais terrível de todos os males, a morte, não significa nada pra nós, justamente porque, quando estamos vivos, é a morte que não está presente; ao contrário, quando a morte está presente, nós é que não estamos. A morte, portanto, não é nada, nem para os vivos, nem para os mortos, já que para aqueles ela não existe, ao passo que estes não estão mais aqui. E, no entanto, a maioria das pessoas ora foge da morte como se fosse o maior dos males, ora a deseja como descanso dos males da vida.

O sábio, porém, nem desdenha viver, nem teme deixar de viver; para ele, viver não é um fardo e não-viver não é um mal.

Assim como opta pela comida mais saborosa e não pela mais abundante, do mesmo modo ele colhe os doces frutos de um tempo bem vivido, ainda que breve.

Quem aconselha o jovem a viver bem e o velho a morrer bem não passa de um tolo, não só pelo que a vida tem de agradável para ambos, mas também porque se deve ter exatamente o mesmo cuidado em honestamente viver e em honestamente morrer. Mas pior ainda é aquele que diz: bom seria não ter nascido, mas, uma vez nascido, transpor o mais depressa possível as portas do Hades.

Se ele diz isso com plena convicção, por que não se vai desta vida? Pois é livre para fazê-lo, se for esse realmente seu desejo; mas se o disse por brincadeira, foi um frívolo em falar de coisas que brincadeira não admitem.

Nunca devemos nos esquecer de que o futuro não é nem totalmente nosso, nem totalmente não-nosso, para não sermos obrigados a esperá-lo como se estivesse por vir com toda certeza, nem nos desesperarmos como se não estivesse por vir jamais.

Consideremos também que, dentre os desejos, há os que são naturais e os que são inúteis; dentre os naturais, há uns que são necessários e outros, apenas naturais; dentre os necessários, há alguns que são fundamentais para a felicidade, outros, para o bem-estar corporal, outros, ainda, para a própria vida. E o conhecimento seguro dos desejos leva a direcionar toda escolha e toda recusa para a saúde do corpo e para a serenidade do espírito, visto que esta é a finalidade da vida feliz: em razão desse fim praticamos todas as nossas ações, para nos afastarmos da dor e do medo.

Uma vez que tenhamos atingido esse estado, toda a tempestade da alma se aplaca, e o ser vivo não tendo que ir em busca de algo que lhe falta, nem procurar outra coisa a não ser o bem da alma e do corpo, estará satisfeito. De fato, só sentimos necessidade do prazer quando sofremos pela sua ausência; ao contrário, quando não sofremos, essa necessidade não se faz sentir.

É por essa razão que afirmamos que o prazer é o início e o fim de uma vida feliz. Com efeito, nós o identificamos como o bem primeiro e inerente ao ser humano, em razão dele praticamos toda escolha e toda recusa, e a ele chegamos escolhendo todo bem de acordo com a distinção entre prazer e dor.

Embora o prazer seja nosso bem primeiro e inato, nem por isso escolhemos qualquer prazer: há ocasiões em que evitamos muitos prazeres, quando deles nos advém efeitos o mais das vezes desagradáveis; ao passo que consideramos muitos sofrimentos preferíveis aos prazeres, se um prazer maior advier depois de suportarmos essas dores por muito tempo. Portanto, todo prazer constitui um bem por sua própria natureza; não obstante isso, nem todos são escolhidos; do mesmo modo, toda dor é um mal, mas nem todas devem ser sempre evitadas. Convém, portanto, avaliar todos os prazeres e sofrimentos de acordo com o critério dos benefícios e dos danos. Há ocasiões em que utilizamos um bem como se fosse um mal e, ao contrário, um mal como se fosse um bem.

Consideramos ainda a auto-suficiência um grande bem; não que devamos nos satisfazer com pouco, mas para nos contentarmos com esse pouco caso não tenhamos o muito, honestamente convencidos de que desfrutam melhor a abundância os que menos dependem dela; tudo o que é fácil de conseguir; difícil é tudo o que é inútil.

Os alimentos mais simples proporcionam o mesmo prazer que as iguarias mais requintadas, desde que se remova a dor provocada pela falta: pão e água produzem o prazer mais profundo quando ingeridos por quem deles necessita.

Habituar-se às coisas simples, a um modo de vida não luxuoso, portanto, não só é conveniente para a saúde, como ainda proporciona ao homem os meios para enfrentar corajosamente as adversidades da vida: nos períodos em que conseguimos levar uma existência rica, predispõe o nosso ânimo para melhor aproveita-la, e nos prepara para enfrentar sem temos as vicissitudes da sorte.

Quando então dizemos que o fim último é o prazer, não nos referimos aos prazeres dos intemperantes ou aos que consistem no gozo dos sentidos, como acreditam certas pessoas que ignoram o nosso pensamento, ou não concordam com ele, ou o interpretam erroneamente, mas ao prazer que é ausência de sofrimentos físicos e de perturbações da alma. Não são, pois, bebidas nem banquetes contínuos, nem a posse de mulheres e rapazes, nem o sabor dos peixes ou das outras iguarias de uma mesa farta que tornam doce uma vida, mas um exame cuidadoso que investigue as causas de toda escolha e de toda rejeição e que remova as opiniões falsas em virtude das quais uma imensa perturbação toma conta dos espíritos. De todas essas coisas, a prudência é o princípio e o supremo bem, razão pela qual ela é mais preciosa do que a própria filosofia; é dela que originaram todas as demais virtudes; é ela que nos ensina que não existe vida feliz sem prudência, beleza e justiça, e que não existe prudência, beleza e justiça sem felicidade. Porque as virtudes estão intimamente ligadas à felicidade, e a felicidade é inseparável delas.

Na tua opinião, será que pode existir alguém mais feliz do que o sábio, que tem um juízo reverente acerca dos deuses, que se comporta de modo absolutamente indiferente perante a morte, que bem compreende a finalidade da natureza, que discerne que o bem supremo está nas coisas simples e fáceis de obter, e que o mal supremo ou dura pouco, ou só nos causa sofrimentos leves? Que nega o destino, apresentado por alguns como o senhor de tudo, já que as coisas acontecem ou por necessidade, ou por acaso, ou por vontade nossa; e que a necessidade é incoercível, o acaso, instável, enquanto nossa vontade é livre, razão pela qual nos acompanham a censura e o louvor?

Mais vale aceitar o mito dos deuses, do que ser escravo do destino dos naturalistas: o mito pelo menos nos oferece a esperança do perdão dos deuses através das homenagens que lhes prestamos, ao passo que o destino é uma necessidade inexorável.

Entendendo que a sorte não é uma divindade, como a maioria das pessoas acredita (pois um deus não faz nada ao acaso), nem algo incerto, o sábio não crê que ela proporcione aos homens nenhum bem ou nenhum mal que sejam fundamentais para uma vida feliz, mas, sim, que dela pode surgir o início de grandes bens e de grandes males. A seu ver, é preferível ser desafortunado e sábio, a ser afortunado e tolo; na prática, é melhor que um bom projeto não chegue a bom termo, do que chegue a ter êxito um projeto mau.

Medita, pois, todas estas coisas e muitas outras a elas congêneres, dia e noite, contigo mesmo e com teus semelhantes, e nunca mais te sentirás perturbado, quer acordado, quer dormindo, mas viverás como um deus entre os homens. Porque não se assemelha absolutamente a um mortal o homem que vive entre bens imortais.

Um comentário sobre “Carta sobre a felicidade

  1. Ana, você conhece O PROJETO VÊNUS? Talvez esta geração, infelizmente, não esteja amadurecida para a construção de uma sociedade baseada em recursos, mas espero do fundo do meu coração que estas sementes encontre solo fértil nas próximas gerações e que desabrochem…espalhando muitos flores, cores, perfumes e frutos. UMA SOCIEDADE MELHOR É POSSÍVEL? Uma sociedade inclusiva, sem consumismo, fraterna, solidária e altruísta, com infinitas possibilidades para todas as espécies, inclusive a nossa; a princípio pode parecer um sonho romântico e impossível, mas, ao contrário, é um projeto ousado e arrojado. essa proposta apresenta uma sociedade justa, digna e sustentável. OBS.: fiz um apanhado sobre esta proposta que vem se desenhando, a qual apresenta opções em diversos níveis para a reconstrução de uma sociedade baseada em recursos, a partir das respostas às dúvidas do FAQ; linkei imagens e vídeos sobre este projeto. Dúvidas? Esclareça NO YOUTUBE: [youtube=https://www.youtube.com/watch?v=dPJUkx_UJqw&w=676&h=411] Baixe o E-book, gratuitamente, que explica o Projeto Vênus: https://www.thevenusproject.com/downloads/ebooks/designing_the_future/PortugueseDesigningTheFutureEBook.pdf http://minhateca.com.br/jessiksoares/Documentos/Livros/Projetando+o+Futuro+-+Projeto+Venus,214217799.pdf http://minhateca.com.br/pablojcalves/Documentos/Livros/Projetando+o+Futuro+-+Projeto+Venus,30467527.pdf É uma sociedade utópica? Não há mais espaço para uma sociedade dominadora e excludente. Sociedades estão sempre em estado de transição. O projeto propõe uma direção alternativa que aborda as causas de muitos dos nossos problemas. Não existe fronteira final em conquistas humanas e tecnológicas – sempre haverá alterações. Mesmo se arquitetarmos uma sociedade com modificações para melhorar a vida das pessoas e proteger o ambiente, ainda estaríamos no início da próxima fase que poderá ser alterado conforme a necessidade de todos. O que é o Projeto Vênus? É inútil criticar a cultura sem providenciar alternativas. Este projeto propõe planos para uma mudança social que funciona para uma civilização pacífica e sustentável. Ele projeta um design social alternativo, onde os direitos humanos não são apenas proclamações de papel, mas um estilo de vida. Nosso projeto tem uma visão de como o futuro pode ser se nós aplicarmos o que já sabemos para alcançar uma civilização global sustentável. Ela reclama por um redesenho científico de nossa cultura, onde a guerra, pobreza, fome, dívida e o sofrimento humano desnecessário são vistos não como contornáveis, mas inaceitáveis. Qualquer outra coisa resultará numa desastrosa continuação dos problemas herdados pelo mundo de hoje. Uma economia baseada em recursos é focada em recursos ao invés de dinheiro e provê uma distribuição igualitária para as pessoas de uma maneira eficiente. É um sistema onde os bens e os serviços são disponíveis sem o uso do dinheiro, crédito, dívida ou servidão. O primeiro objetivo é eliminar a escassez. Uma economia baseada em recursos supera a escassez usando fontes renováveis de energia, produção computadorizada automatizada e inventários. Ela desenhará cidades energeticamente eficientes e seguras com avançados sistemas de transporte e providenciará um sistema de saúde universal e educação mais relevante. O ponto desse novo design social é encorajar e incentivar um sistema baseado nas preocupações humanas e ambientais e evitar os objetivos superficiais e egoístas de riqueza, posse e poder individuais. Esses novos incentivos ajudariam as pessoas a se desenvolver total e criativamente, tanto material como espiritualmente. Qual a base dessa ideia? Por uma sociedade DESCAPITALIZADA: mais justa e mais digna para todos! Os problemas sociais são resultados da escassez. Enquanto poucas nações controlarem a maior parte dos recursos do planeta, existirão disputas internacionais não importando quantas leis ou tratados sejam assinados. Se quisermos acabar com guerras, o crime, a fome, a pobreza, as disputas territoriais e o nacionalismo, precisamos trabalhar em direção a um futuro onde todos os recursos sejam aceitos como uma herança comum de todas as pessoas. Nossos problemas não podem ser resolvidos numa sociedade baseada no dinheiro, no desperdício e na exploração humana. Hoje, o dinheiro é usado para controlar a economia em benefício de poucos que controlam o setor financeiro das nações. A menos que as causas principais da obsolescência planejada, negligência ambiental e gastos militares ultrajantes sejam abordadas, estaremos condenados ao fracasso. Tratados, bloqueios, boicotes e todas as outras coisas tentadas já provaram não funcionar. Muitos acreditam que normas éticas e leis internacionais irão garantir uma sociedade globalmente sustentável. Mesmo se as pessoas mais éticas do mundo fossem eleitas para cargos políticos, sem recursos suficientes ainda continuaríamos a ter os mesmos problemas. É preciso o gerenciamento inteligente dos recursos do planeta para o benefício de todos e a preservação ambiental. A Terra é abundante em recursos. Racionalizar recursos através do controle monetário é disfuncional e contra-produtivo para a sobrevivência. Hoje, nós temos tecnologia avançada, porém nosso desenvolvimento social e econômico não cresceu. Podemos facilmente criar um mundo de abundância sem servidão e dívida através da criação de uma civilização global baseada em recursos. O que inspirou essa direção? Viver a grande depressão de 1929 me ajudou a modelar minha consciência social. Durante esse tempo, eu percebi que a Terra continuava sendo o mesmo lugar, as fábricas continuavam intactas e os recursos continuavam lá, mas as pessoas não tinham dinheiro para comprar os produtos. Percebi que as regras do jogo eram ultrapassadas e prejudiciais. Isso começou uma vida toda de jornada resultando nas conclusões e designs apresentados neste projeto. Condições de miséria, sofrimento, guerras e batalha por lucro e poder foram os incentivos e inspirações para o meu trabalho. Também fui motivado pela incompetência dos governos, do mundo acadêmico e falta de soluções dos cientistas. Muitos falharam como generalistas por conta das suas especializações em limitados aspectos dos problemas sociais. Cientistas, políticos e acadêmicos veem os problemas de dentro do sistema onde se encontram, que é o responsável pelos problemas em primeiro lugar. Sinto-me decepcionado com quem se preocupa em tornar outros planetas habitáveis, enquanto o nosso continua com disputas, guerras, pobreza, fome e negligência ambiental. Trabalhar com viciados em drogas, alcoólatras e os chamados delinquentes juvenis em Nova Iorque me convenceu de que em vez de trabalhar com indivíduos, métodos mais efetivos poderiam lidar com as condições sociais que criaram as disfunções sociais em primeiro lugar. METODOLOGIA DO PROJETO Existe uma metodologia para o projeto? Juntamente com uma nova orientação perante a preocupação humana e ambiental, deve existir a metodologia para transformar isso em realidade. Se esses fins são para serem alcançados, o sistema monetário deve ser superado por uma economia baseada em recursos globais. Para efetiva e economicamente utilizarmos esses recursos, a tecnologia computadorizada necessária deve ser aplicada para garantir um elevado padrão de vida para todos. Com a aplicação inteligente e humana da ciência e da tecnologia, seremos hábeis para guiar e moldar nosso futuro para a preservação do meio ambiente, de nós mesmos e das gerações que virão. Não é o bastante advogar pela cooperação de todas as nações. Nós precisamos de uma sociedade global baseada sobre um plano detalhado aceitável a todas as pessoas do mundo. Nós também precisamos de um conselho internacional de planejamento capaz de traduzir esse plano e as vantagens que seriam obtidas com a unificação global. O projeto precisa ser baseado na capacidade corrente do nosso planeta, seus recursos e nas necessidades de seus habitante. COLAPSO DE UM SISTEMA FALIDO E INEFICIENTE! Como você vê o colapso do sistema atual? Governo e indústria continuarão a transferir cada vez mais a responsabilidade de tomar decisões às máquinas inteligentes. As máquinas de hoje lidam com trilhões de bits de informação por segundo, muito mais do que o alcançado por qualquer número de políticos ou pessoas da indústria que tomam decisões. O outro lado dessa tendência é que muitas pessoas serão substituídas. Não teremos mais o poder de compra necessário para sustentar um sistema monetário que endivida a população e governos. Enquanto o antigo sistema monetário começa a dispensar mais e mais pessoas por conta de sua dependência em automação, essas pessoas deixarão de respeitar a autoridade da indústria. O padrão de vida em todas as nações industrializadas, o equilíbrio entre trabalho e interesse familiar, tornam-se impossíveis de ser mantidos para a maioria das pessoas dispensadas pela automação. Muitas pessoas acreditam que os líderes governamentais trazem mudanças com uma profunda preocupação com o bem-estar dos seus cidadãos. Isto está longe de ser verdade. As mudanças na sociedade não surgiram de alterações na educação ou no lar. Todos os sistemas de governo estabelecidos tendem a preservar e manter seus próprios interesses e continuação da sua base de poder. As verdadeiras forças responsáveis pela mudança têm mais a ver com imprevistos, eventos externos ou pressões biossociais que alteram fisicamente o nosso ambiente social e estabelece regras. Por exemplo, a infusão de máquinas e processos que substituem as pessoas e eliminam os seus meios de ganhar a vida, efeitos naturais de seca, etc Qual o princípio básico dos seus projetos? Primeiramente eu pergunto a mim mesmo o que espero resolver e qual é o caminho mais simples para um dado problema. Pela abordagem mais simples, eu procuro as ferramentas e informações disponíveis. Se eu estiver desenhando o avião mais barato usando o mínimo de materiais com o máximo de resistência e uma boa margem de segurança, eu selecionaria uma asa voadora. A asa voadora elimina a fuselagem, cauda, leme e estabilizador. Os passageiros encontram-se sentados na asa. Eu desenhei muitas variações de asas voadoras nos anos de 1930. Designs sociais precisam ser baseados na corrente capacidade dos recursos terrestres e não na filosofia, desejos, ascetismos ou vantagens de determinadas pessoas. Por exemplo, o design de uma cidade circular é baseado no mínimo de gasto de energia e no máximo de ganho social. Arquitetura, quando inteligentemente desenhada, irá usar o mínimo de materiais para a mais segura e mais eficiente estrutura possível. Assim como materiais melhoram e mudam, também a arquitetura e o design das cidades. Isso não limita vantagens, mas irá expandir amenidades e os bens e serviços serão disponíveis para todos. A PROPOSTA DO PROJETO… O projeto visa a construção conjunta de um ambiente viável, sustentável, que é pensado para trazer à tona o melhor do potencial humano. Essas cidades fornecerão recursos e informação como também haverá cidades-universidades de crescimento contínuo, projetadas para encorajar a criatividade e cooperação, que se preocupa com a pessoa por inteiro, integralmente e o ambiente no qual ela vive. É de interesse do projeto promover a criatividade de cada indivíduo, fornecendo as melhores ferramentas e informações relevantes para que todos se desenvolvam de acordo com seus talentos e habilidades. O sistema está também aberto a críticas construtivas de suas propostas, arquitetura e todos os outros aspectos do sistema social. DESCONSTRUÇÃO DOS OBJETIVOS ATUAIS! Enfatizamos que esta abordagem global nada tem a ver com os objetivos atuais da elite que está no poder e busca aumentá-lo através de uma cada vez maior dominação da maioria das pessoas. Esta nova perspectiva global dá a oportunidade para cada pessoa ser o que ela quiser sem nenhuma forma de submissão miserável a um governo e/ou corporação. Uma sociedade que se importa com a vida humana tem por base disponibilizar acesso aos recursos para todas as pessoas, independente de raça, cor ou credo. Quando um governo faz leis hoje em dia, somos levados a crer que elas existem para melhorar a vida de todos. O fato é que leis são subprodutos de um sistema ineficiente e fracassado. A grande questão é: “conseguiremos superar a ideia de que “alguém” deva tomar as decisões por nós?”. Uma melhor compreensão da lei natural envolve a relação do homem com o ambiente, que suporta toda a vida. Tudo é dependente das leis da natureza. As leis naturais não podem ser quebradas sem trazer enormes consequências para os indivíduos e as sociedades. As leis naturais dominam todos os sistemas vivos. Por exemplo, sem água, luz solar e nutrientes, todas as plantas e animais (racionais e irracionais) morrem. Um ambiente com escassez, fome e miséria é uma ameaça a todos, porque gera a insegurança que é alimentada pela violência, oriunda da desigualdade social. NOVO SISTEMA O novo sistema irá fornecer tudo que for necessário para ajudar as pessoas durante o período de transição. Para sustentar a civilização, é preciso coordenar tecnologias avançadas e os recursos disponíveis com uma abordagem humanista e global. Por exemplo, as características da população em uma determinada área irá definir quantos hospitais e escolas serão construídas e os equipamentos necessários. Alguns sistemas médicos serão móveis e outros serão pré-abricados em terra e mar. Durante a transição, regiões com escassez de recurso receberão concentradores de calor para cozinhar e esterilizar água. Comida para essas áreas podem ser desidratadas e compactadas para economizar espaço no transporte. A embalagem será biodegradável e pode ser usada como adubo não contaminante. Regiões sem terras aráveis farão uso de fazendas hidropônicas, tanques de piscicultura em terra, e agricultura marítima. Energia virá de fontes eólicas, solar, concentradores de calor, fotovoltaicas, das ondas, biomassa, geotérmica entre outras. Uma equipe interdisciplinar de pessoal qualificado, em conformidade com as exigências do projeto, irá trabalhar em sistemas automatizados para a produção e fornecimento de bens e serviços em larga escala. Estes poderão ser os exércitos do futuro, uma grande mobilização pacífica para restaurar e preservar a terra e seu povo. Isso nunca foi feito antes e só poderá ser realizado quando dinheiro não for um obstáculo. A questão não é se temos o dinheiro, mas se temos os recursos e meios para realizar esta meta. NOVAS CIDADES Novas cidades podem tirar proveito das últimas tecnologias: tornarem-se seguras e desejáveis para se viver. Em muitas situações, uma disposição circular será utilizada. Precisamos de um levantamento de todos os atuais recursos planetários disponíveis. A primeira cidade ou centro experimental de planejamento irá realizar um levantamento global das terras aráveis, instalações de produção, transporte, pessoal técnico, população, e todas as outras necessidades requeridas para uma cultura sustentável. Este estudo permitirá definir os parâmetros para o planejamento global da humanização social e desenvolvimento tecnológico, com base na capacidade de carga da Terra e as necessidades dos seus habitantes. Isto poderá ser melhor realizado com uma constante atualização em um sistema informatizado sobre nossos recursos planetários. A função da primeira cidade é validar os parâmetros do projeto e realizar as alterações conforme necessário. Aumentar ainda mais esta proposta social em várias direções, com livros, revistas, televisão, rádio, seminários, teatro e parques temáticos, bem como a concepção e experimentação de processos automatizados de construção para a próxima cidade. Pesquisas em fontes alternativas de energia limpa, e maneiras de superar a escassez através do desenvolvimento de novos materiais. UMA NOVA EDUCAÇÃO EM PROL DA VIDA Atualmente, infelizmente, “os alunos são adestrados, treinados” para se tornarem CONSUMIDORES EM VEZ DE CIDADÃOS, PRECISAMOS FORMAR COLABORADORES EM VEZ DE CONSUMIDORES! Por isso, EDUCAÇÃO NÃO PODE TER ETIQUETA DE PREÇO (quantos talentos perdemos, porque, devido à barreira econômica, muitas crianças não continuam seus estudos ou não seguem a profissão que gostariam? Enquanto outras, porque têm DINHEIRO, escolhem a profissão POR PURO INTERESSE E NÃO POR VOCAÇÃO! Daí maus médicos, péssimos engenheiros e professores etc e tal…pense nisso! Imagine se vc, ou alguém da sua família, precisar de uma cirurgia no cérebro ou se necessitar de um transplante de coração e cair nas mãos de um médico que opera por dinheiro em vez de operar por vocação… Uma grande ênfase seria colocada na educação. Quanto mais informadas as crianças são, mais ricas podem ser a vida de todos. Toda criança que começa a usar drogas hoje é uma vida jogada fora que você e eu, no fim, iremos pagar. Embora livros, vídeos, computadores e realidades virtuais fossem usadas, a maior parte do processo educacional seria o contato com a natureza, na qual os alunos poderiam interagir diretamente com o ambiente físico. Eles perceberiam as relações simbióticas entre a vida vegetal e animal. Acima de tudo, eles aprenderiam como interagir efetivamente com os outros, trocar experiências, examinar alternativas próximas para os problemas e aceitar as diferenças étnicas e culturais, trocando a intolerância pelo entendimento. Uma visão geral compreensiva da história de todas as civilizações seria essencial para o entendimento de outras culturas, valores e as forças que as moldam. A educação generalista, proposta deste projeto, permitirá aos alunos o ganho de um melhor entendimento das vantagens de todas as nações, juntando-as para a preservação da vida no planeta Terra. Com ênfase num ponto de vista global, seria mais difícil persuadir qualquer um a se tornar agressivo, ofensivo ou de comportamento inadequado perante indivíduos e outras nações. Com esse plano de educação, as crianças veriam como a Terra é fantástica e lindo lugar onde todas as nações podem trocar experiências e prosperar. EDUCAÇÃO INOVADORA E ESTIMULANTE! Como seria a educação? A educação deveria ser mais do que a apresentação dos muitos fatos que devem ser memorizados pelos alunos. O primeiro aspecto de uma educação inovadora seria a ênfase na comunicação e na habilidade de se resolver e evitar conflitos. Isso pode ser cumprido através da exposição de semânticas gerais. Embora livros e computadores sejam usados no futuro da educação, uma exposição à ciência básica é absolutamente necessária. Isso incluiria uma exposição aos métodos científicos e como ela pode ser aplicada no dia a dia. Mas, antes de tudo, ciência e tecnologia devem ser aplicadas dentro da preocupação humana e ambiental, caso contrário, o desenvolvimento tecnológico seria insignificante. Outra parte da educação que deveria ser enfatizada são as contribuições das diversas nações para as artes e ciências que usamos mundialmente hoje. A tendência de usar a educação para engrandecer uma nação em particular serve mais para propaganda de aliciamento do que informação genuína. Para as pessoas, não é possível entender as outras culturas sem uma visão geral das muitas práticas culturais existentes hoje no mundo. Nenhuma cultura civilizada atual se tornou o que é por seus próprios passos. Em vez disso, todas as nações evoluíram como o resultado de muitas pessoas criativas ao redor do mundo que contribuíram para as artes e as ciências. TIMES INTERDISCIPLINARES DE PROFISSIONAIS Qual o enfoque dos profissionais que conduzirão esta nova sociedade? Nós temos a habilidade e conhecimento para aplicar times interdisciplinares aos problemas. No entanto, apenas em tempos de guerra e emergências nacionais nós alocamos esses times para ajudar a encontrar uma solução para problemas sociais. Se mobilizarmos os mesmos recursos para os problemas sociais como fazemos em tempos de guerra, efeitos benéficos em grande escala podem ser alcançados em um curto período de tempo. Isso pode ser facilmente alcançado utilizando muitas de nossas universidades para formação de pessoal para melhor determinar os métodos alternativos para enfrentar e vencer desafios. Este caminho pode ser uma importante fase inicial para definir os parâmetros do futuro de toda civilização. O processo de alterações sociais deve permitir a mudança de condições para continuamente atualizar os parâmetros do projeto e para a infusão de novas tecnologias em uma cultura emergente. Times projetistas utilizando computadores integrados podem ser automaticamente informados sobre qualquer mudança. DESCONSTRUÇÃO DE LEIS INÚTEIS E INEFICAZES Como o uso de leis pode ser eliminado? Nos dias de hoje, tentamos controlar o comportamento humano estabelecendo leis ou sinalizando ameaças sem fazer nenhuma mudança nas condições físicas do ambiente, que são responsáveis pelo comportamento aberrante. Quando os recursos da Terra forem entendidos como uma herança comum a todos, leis irrelevantes e contratos sociais desaparecerão. Numa economia baseada em recursos, a responsabilidade social não será uma função de leis artificiais ou de força. Proteções contra o abuso poderão ser projetadas como integrantes do ambiente. Um exemplo disso é a proposta de cidades onde pessoas terão o acesso livre a recursos sem uso de débito. Isto eliminaria o roubo. Tais medidas não se tratam de leis para prevenir e punir abusos. Ao contrário, são meios de eliminar falhas na construção social, eliminando assim a necessidade de leis. Nós estamos propondo acabar com sistemas que causam corrupção e sofrimento humano em primeiro lugar. Numa cidade com transporte limpo e seguro não precisamos de polícia para monitorar a velocidade, semáforos ou aplicar multas. Outros exemplos são a água e o ar. Embora ambos sejam fundamentais para a sobrevivência de todos nós, não existem leis regulando a quantidade de respirações por hora e goles de água que possamos usufruir, pois temos uma enorme abundância destes recursos. INEFICÁCIA DO SISTEMA DE GOVERNO De que tipo de pessoas precisamos para nos governar? Não é suficiente criticar, mostrar os defeitos da sociedade ou dizer que precisamos eleger pessoas honestas e de elevado caráter para o os cargos públicos. Isso faria pouca diferença no avanço da civilização. É necessário o gerenciamento inteligente dos recursos mundiais, uma organização compreensiva e funcional do ambiente e dos interesses sociais que estejam em perfeita sintonia com os recursos existentes e com a capacidade do nosso planeta. Mesmo com a eleição de homens e mulheres de impecável moral em nosso governo, sem recursos disponíveis e tecnologia avançada, guerra, pobreza e corrupção prevalecerão não importa a quantidade de leis aprovadas ou tratados assinados. Não é a democracia que elevou nosso padrão de vida, são nossos recursos, água, terra arável, e novas tecnologias. Retórica e proclamações por escrito são irrelevantes no gerenciamento de assuntos humanos e sociais. PESSOAS MOTIVADAS PELO DINHEIRO PREOCUPAM! Preocupo-me com pessoas que tenham o dinheiro como principal motivação. Por exemplo, se essa for a motivação de um médico em vez da vontade de resolver problemas no campo da medicina e da saúde para melhorar a vida das pessoas, para muitos e para mim o trabalho dele não seria muito confiável. É um tremendo mito perpetuado no sistema monetário de que as pessoas são motivadas a maior parte das vezes por dinheiro para realizar e produzir. Poderia dar infinitos exemplos de pessoas que lutaram, estudaram, criaram, e triunfaram sem a necessidade do dinheiro como recompensa, existem muitas recompensas mais significantes do que o dinheiro. Ele depende do sistema de valores que é condicionado e a cultura da qual cresceu para reforçar o que é tido como recompensa. PADRÕES INADEQUADOS REFORÇADOS PELA EDUCAÇÃO A partir do livro “Looking Forward”, de Jacque Fresco: “Quando pouco se sabia sobre a antropologia cultural, sociologia e psicologia, parecia bastante válido para resistir às reformas propostas dizendo que “não vai funcionar, é contra a natureza humana.” É difícil para muitas pessoas apreciar o fato de que o que chamam de “natureza humana” simplesmente não existe. Pessoas são como espelhos que refletem amplamente seus arredores. Se as pessoas viessem ao mundo com uma “natureza” fixa que consiste em respostas automáticas, a civilização seria impraticável. Como as formigas, iríamos viver a nossa vida em padrões que são modificados, mas muito pouco com o passar do tempo. A diferença maravilhosa sobre nossa existência é que viemos a este mundo com a máxima flexibilidade.” De “The Best That Money Can’t Buy”, Página 89, por Jacque Fresco: “Intolerância, racismo, nacionalismo, inveja, superstição, ganância e egoísmo são todos padrões de comportamento que aprendemos e que são reforçados pela nossa educação. Esses padrões de comportamento não são traços humanos herdados ou da “natureza humana”, como a maioria das pessoas tem sido ensinadas a acreditar. Se o ambiente permanece inalterado, um comportamento semelhante irá reaparecer. Nós chegamos ao mundo como uma folha em branco. COMPORTAMENTO CONSTRUTIVO Na análise final, qualquer julgamento quanto a comportamentos humanos indesejáveis não serve para nada sem uma tentativa de alterar o ambiente que os criam. Em uma sociedade que oferece a maioria das necessidades humanas, o comportamento construtivo seria encorajado e as pessoas que têm dificuldade para integrar-se à comunidade receberiam ajuda em vez de serem presas. Funcionalidade moral é a capacidade de fornecer um processo de modo a atingir um ambiente sustentável para todas as pessoas. Com isso, queremos dizer que pretendemos proporcionar ar puro e água limpa, bens e serviços e um ambiente saudável e inovador que é emocional e intelectualmente gratificante. É difícil conceber quaisquer soluções que sirvam ao interesse da maioria em um sistema monetário. Nada disso pode ser realizado sem uma ampla remodelação do nosso sistema social e a eventual substituição do sistema monetário por uma economia baseada em recursos. ENSINO, COOPERAÇÃO E SAÚDE Como são desenvolvidos o ensino, a cooperação e a saúde dentro da sociedade atual? Se quisermos que as crianças alcancem relacionamentos positivos e construtivos entre si e que venham a se tornar membros felizes da sociedade, precisamos projetar um modo em que o ambiente estimule tal comportamento. Por exemplo, quando crianças querem aprender como montar um pequeno carro a motor, o projetista solicita que quatro crianças levantem o carrinho enquanto outras duas prendem os pneus. O resto do carro é montado de modo similar, necessitando de ajuda e cooperação de todos para que o carro esteja pronto para o uso. Este modo mais construtivo de educação traz aos estudantes as vantagens da cooperação. Os exercícios em nossas escolas não serão compulsórios, monótonos, nem competitivos, serão integrados diretamente na experiência de sala de aula. Por exemplo, um aparelho que as crianças gostam pode estar localizado em um morro no meio de um lago. Para chegar lá, elas terão que remar um bote e então escalar. Isso desenvolve o exercício físico e também um senso de empreendimento, além de ser bom para a saúde mental. CIÊNCIA E TECNOLOGIA A SERVIÇO DA VIDA Se você não conseguir compreender o significado, considere o seguinte: quando os estados se uniram, as milícias desapareceram das fronteiras e os americanos estavam livres de disputas territoriais. Este mesmo processo pode ser aplicado globalmente onde todas as ciências e tecnologias são utilizadas para o benefício de todos os habitantes da Terra. Tais conceitos são baseados em anos de dados acumulados. Se falharmos em nosso pensamento e nos conformarmos com as instituições sociais estabelecidas, outros irão pensar por nós. Penso também no sistema de incentivos, mas não no sentido centralizado e egocêntrico perpetuado pelas nossas instituições baseadas em dinheiro. Estamos aqui como um produto da evolução. A resposta científica não é uma questão de “por que estamos aqui”, é “quais são os processos que geram diferentes formas de vida?”. Também discutimos isso no livro “O Melhor que o dinheiro não pode comprar”, por Jacque Fresco, principalmente na página 19 no capítulo “Da Superstição à Ciência”. Todos fomos criados “criados, treinados, adestrados” acreditando que as pessoas são inspiradas por recompensas ou dinheiro. FIM DOS TRABALHOS CHATOS E MONÓTONOS Trabalhos monótonos e perigosos irão inevitavelmente desaparecer com o avanço da tecnologia. Pessoas numa economia baseada em recursos terão a oportunidade de estudar, viajar, trabalhar para ajudar outros, projetar, criar, etc. – ou trabalhar com artes ou ciências – se desejarem. Considero triste quando pessoas perguntam, “O que as pessoas vão fazer?”. Seus cérebros foram tão achatados que eles não têm outras opções na vida a não ser o trabalho e, na maioria dos casos, um do qual não gostam. Crianças, quando jovens, são curiosas sobre tudo e se encorajadas elas podem ter um grande leque de interesses e habilidades. Nossa cultura faz um trabalho excelente em limitar os interesses, oportunidades e habilidades das pessoas e ela os condiciona a serem preguiçosos. As pessoas não nascem desse jeito como também não nascem com intolerância, ódio e preconceito. Estamos cientes de que é o ambiente que forma as pessoas e se a cultura não for alterada, teremos pouca ou nenhuma mudança no comportamento humano. INCENTIVO E MOTIVAÇÃO Num sistema onde tudo é disponível sem uma etiqueta de preço, o incentivo acabaria? O sistema de livre-comércio realmente cria incentivo, no entanto ele também fomenta a corrupção, o roubo e a cobiça. Nosso objetivo é encorajar um novo sistema de incentivo não mais centralizado em objetivos como o acúmulo de riquezas, propriedades e poder. Hoje, barreiras financeiras colocam enormes limitações em inovação, criatividade individual e incentivos pessoais. Neste projeto, dinheiro não será necessário para ajudar alguém a criar ou realizar algo, pois instalações serão feitas para atender às necessidades de todos. Nós defendemos que todas as pessoas tenham acesso a todos os produtos e serviços, cuidados médicos, educação, abrigo, alimentos etc. Não é o bastante prover as necessidades da vida apenas. Sentimos que nossas propostas irão gerar um novo sistema de incentivo. Seres humanos precisam de desafios para que possam evoluir intelectualmente e manter um alto nível de curiosidade e uma necessidade de superar carências. O tipo de educação que defendemos é o uso inteligente dos recursos existentes e a preservação ambiental. O pior do sistema de livre comércio é o desperdício de vida de muitas pessoas – jovens atrás de balcões em lojas esperando por uma venda, homens e mulheres trabalhando em indústrias usando o mínimo de suas capacidades mentais. Nas escolas do futuro as pessoas irão aprender como se relacionar com outros de maneira inteligente, cooperar e compartilhar ideias que ajudem a tornar o mundo um lugar muito melhor e não desperdiçar recursos em guerras e despesas militares. MAIS TEMPO PARA A FAMÍLIA E LAZER A energia também pode ser conservada no carregamento e descarregamento de materiais em sistemas de transporte. Por exemplo, em vez de descarregar contêineres de carga separados, uma seção inteira será liberada de um navio de carga e substituída por outra de modo que o navio não perca tempo na doca de carregamento. O mesmo método pode ser aplicado para trens e aviões. Haverá um compartimento de passageiros e bagagens que podem ser desconectados do avião ou trem enquanto um novo compartimento é carregado, tornando o transporte mais eficaz, conservando tempo e energia. Todos os veículos serão operados eletronicamente. Em uma sociedade cibernética as pessoas terão mais tempo para os interesses individuais como voltar a estudar, trabalhar em artes, ciências, viajar, etc. Haverá muitas opções para explorar, estudar, desfrutar e participar. ALTO PADRÃO DE VIDA PARA TODOS! Um alto padrão de vida significa que todos os membros da sociedade terão suas necessidades de suporte à vida atendidas – cuidados médicos, educação, alimentos, vestimentas, habitação, entretenimento, lazer e mais. O trabalho humano pode ser reduzido consideravelmente até que seja completamente eliminado. Eliminando obsolescência planejada e a replicação dos mesmos produtos por diferentes fabricantes e superando a necessidade de propaganda, vendedores, advogados, banqueiros e todas as outras profissões não produtivas, poderemos oferecer muito mais bens e serviços para todas as pessoas. A classe média de hoje vive melhor do que todos os reis do passado. Em uma economia baseada em recursos, onde o objetivo principal da ciência e tecnologias inovadoras é direcionado para um alto padrão de vida para todos, nosso estilo de vida pode superar qualquer coisa imaginada hoje. ECONOMIA BASEADA EM RECURSOS O que você considera um “padrão de vida elevado” ao qual todos no mundo têm direito? E quem decidirá isso? Em uma economia baseada em recursos muitas das carências que temos hoje podem ser facilmente superadas pela engenhosidade tecnológica e redução de resíduos. Por exemplo, poderíamos usar uma forma de condensação evaporativa em todas as áreas onde há falta de água. Poderíamos dispor de canais do mar até a terra e cobrir estes canais com caixas transparentes. Isto seria usado na dessalinização evaporativa. No estado da Flórida temos perto de 50 watts por metro quadrado, que não são aproveitados no momento por concentradores de energia solar. Todas as rodovias, estacionamentos e telhados nas novas cidades seriam usados para aquecer água conforme a necessidade da comunidade sem precisar queimar combustíveis fósseis. Usando energia geotérmica (calor natural da terra), poderíamos abastecer a sociedade mundial pelos próximos mil anos, mas isto não é explorado. Existe também a energia das ondas, entre muitas outras fontes de energia. Nunca foi dada a ciência a missão de produzir energia em abundância em benefício de todas as pessoas da terra. A FAMÍLIA NUMA SOCIEDADE BASEADA EM RECURSOS Qual o papel da família? Atualmente maridos e esposas trabalham. A economia monetária está desconstituindo o seio familiar e o cuidado às crianças. Os pais tem pouco tempo para passar com seus filhos e sofrem constante estresse por ter que pagar por remédios, seguros, educação e um estilo de vida cada vez mais caro. Neste aspecto, esta nova civilização pode trazer grandes benefícios. Menos tempo com trabalho darão a oportunidade dos membros da família passarem mais tempo uns com os outros. O livre acesso aos bens e serviços farão do lar um lugar agradável, sem o estresse econômico que traz tanto sofrimento à família. As pessoas serão mais felizes neste tipo de sociedade? Talvez não seja felicidade o que procuramos. Felicidade é um conceito relativo à individualidade de cada um, existem infinitas maneiras de se alcançar este estado de espírito. Nós procuramos criar uma sociedade onde as pessoas sejam livres para escolher seu estilo de vida, atividades, desenvolver seus potenciais e perseguir sonhos sem a intervenção de um governo ou restrições financeiras. Uma economia baseada em recursos providenciaria centros de arte, de música, de cinema, etc. e a oportunidade de pessoas retornarem a um ambiente educacional, permitindo que elas busquem seus interesses. Embora possamos nos sentir economicamente seguros, ainda enfrentaremos grandes desafios que nos incentivarão a usar nossa inteligência e criatividade. PLANETA TERRA: NOSSO MAIOR PATRIMÔNIO! Qual o principal aspecto do projeto? O aspecto mais importante do projeto é a direção social de todas as nações trabalhado juntas na restauração e na preservação ambiental numa economia baseada em recursos. A intenção é o patrimônio comum de todos os recursos terrestres a todas as pessoas do mundo. Vemos isso como o único processo para cessar o presente ciclo de eventos de guerra, miséria, fome, corrupção política e degradação ambiental. A tecnologia que apresentamos pode proporcionar a população mundial um padrão de vida bem alto, mais alto do que jamais se imaginou possível. ELIMINAÇÃO DE RESÍDUOS As matérias-primas para os produtos podem ser transportadas diretamente para as instalações de produção em sequências automatizadas de transporte utilizando barcos, monotrilhos, trens maglev e tubos pneumáticos. Um sistema automatizado e informatizado de inventário iria integrar centros de distribuição e instalações de produção, coordenando a produção para satisfazer a demanda. Desta forma, um equilíbrio da economia pode ser mantido. Falta e excesso de produtos bem como os resíduos podem ser eliminados. Hoje, mais de 75% da produção de bens materiais são resíduos. Em uma economia baseada em recursos, todos os resíduos seriam reciclados. Uma prioridade seria projetar tudo com a melhor qualidade possível para que os produtos durem mais e necessitem de pouca ou nenhuma manutenção. Muitas peças eletrônicas irão usar componentes “plug-in” para que o reparo seja mais conveniente. Não haveria obsolescência planejada apenas para vender os mais recentes modelos. Isto eliminaria o desperdício consideravelmente. NÓS TEMOS ENERGIA SUFICIENTE Nós temos energia suficiente para eliminar a escassez? Sim. O potencial inexplorado das fontes de energia é quase ilimitado se nós utilizarmos concentradores de calor no deserto, energia eólica, das ondas e as marés. Até mesmo as correntes oceânicas do Golfo, da Islândia e também do Japão poderiam acabar com toda a falta de energia no mundo hoje. Se tivéssemos utilizado o dinheiro gasto em aparatos militares durante os últimos 40 anos e investido no desenvolvimento de fontes de energia limpa, o mundo seria muito melhor, mais seguro e mais limpo para toda a humanidade. O potencial de energia geotérmica é quase ilimitado e pode facilmente fornecer energia suficiente para todas as necessidades do mundo. Mesmo se aproveitarmos apenas um por cento da energia geotérmica do exterior da crosta terrestre, teríamos disponível aproximadamente quinhentas vezes a quantidade de energia contida em todas as reservas de petróleo e gás no mundo. Esta fonte de energia emite pouco ou nenhum enxofre em comparação aos combustíveis fósseis usado em usinas e não emite óxido de nitrogênio. Além disso, instalações geotérmicas exigem muito pouco terreno em comparação a outras centrais elétricas. A perfuração de poços geotérmicos tem um impacto ambiental muito menor do que outros recursos energéticos e não há necessidade de abertura de minas, túneis ou armazenamento de resíduos. Uma grande parte dessa energia está disponível no exterior da maior parte das camadas da crosta terrestre que é de cerca de 10 quilômetros e esta fonte de energia está disponível em todo o mundo, da Cordilheira dos Andes na América do Sul ao Golfo da Califórnia, The Valleys Rift da África , o Mid Atlantic Ridge, e ao longo do estreito de Bering. DISTRIBUIÇÃO DE BENS E RECURSOS Como os recursos são distribuídos igualmente? A distribuição de bens e serviços sem o uso de dinheiro seria conseguido através da criação de centros de distribuição. Tais centros seriam semelhantes às exposições, onde as vantagens dos novos produtos são explicados e demonstrados. Centros de exposições irão mostrar o que for novo e estiver disponível e será constantemente atualizado. Se você já visitou as feiras de negócios; o procedimento será o mesmo, podendo, por exemplo, conferir uma câmera ou filmadora, utilizá-la e, em seguida, devolvê-la para outro centro de distribuição ou de despejo, acabando com armazenamento e manutenção. Além dos centros computadorizados em todas as comunidades em que os produtos forem exibidos, haverá equipamentos 3-D e telas planas em cada casa. Se você desejar um item pode fazer um pedido e ele será automaticamente enviado para o seu local de residência sem uma etiqueta de preço ou dívida de qualquer espécie. Isso inclui qualquer coisa que as pessoas precisarem como habitação, vestuário, educação, cuidados médicos, lazer, etc QUEBRA DE PARADIGMAS Que tipo de pressões seriam aliviadas pelas propostas deste projeto ? A maior lição que aprenderemos talvez seja que seres humanos livres de dívida, insegurança e medo tornam-se muito mais amáveis. Ninguém sairia por aí para vender nada a ninguém ou privar os outros de posses ou dinheiro. Numa economia baseada em recursos, a base para a agressão humana doentia será superada. As pessoas não estarão mais sobrecarregadas pelas preocupações irritantes que consomem tanto de nossa atenção, tais como dívidas, custos com serviços de saúde, seguros contra incêndio, recessões econômicas, desemprego, depressões e impostos. Com a eliminação dessa obrigações e a remoção das condições que criam os sentimentos de inveja, ganância e competição, nossas vidas seriam muito mais cheias de significado. Pela primeira vez podemos começar a entender o que significa ser humano. À medida que elevamos a vida dos outros, protegemos o meio-ambiente, e trabalhamos pela abundância, nossas vidas podem se tornar mais ricas e seguras. Caso esses valores fossem postos em práticas, todos nós poderíamos alcançar um padrão de vida muito mais alto dentro de um período relativamente curto de tempo; um padrão de vida que seria constantemente aprimorado. As pessoas estariam livres para perseguir qualquer atividade construtiva que escolherem sem pressões, restrições e taxações econômicas inerentes ao sistema monetário. Por atividades construtivas nos referimos a qualquer coisa que eleve a vida do indivíduo e dos outros. Quando a educação e os recursos estiverem disponíveis sem um etiqueta de preço, não haverá limites para o potencial humano. Com essas grandes mudanças, as pessoas eventualmente teriam vidas mais longas, mais significante e mais saudáveis. A medida do sucesso seria a satisfação das atividades de um indivíduo em vez da aquisição de riqueza, propriedade e poder. RELAÇÕES HUMANAS MAIS SINCERAS E SAUDÁVEIS Haverá algum veículo não-automatizado, como carros e aviões? Como a sociedade irá prever o mau-uso deles? Sim, existem veículos que não serão autômatos e terão regulamentos de segurança embutidos. Se o motorista os violar, o computador tomará o controle e reverá os procedimentos corretos. Se ainda assim o motorista não tiver aderido às regras do computador, ajuda será enviada. Essa ajuda não será na forma de força policial, mas pessoas capazes de auxiliar na situação. A MÁQUIMA X SER HUMANO No desenvolver da inteligência artificial, máquinas serão cada vez mais usadas em tarefas de complexas decisões na indústria, governo e assuntos militares. Isto não significa uma dominação por máquinas. Será, no entanto, uma gradual transferência no processo de tomada de decisões para máquinas inteligentes como um próximo passo na evolução social. Muitas pessoas acreditam que os líderes governamentais trazem mudanças com uma profunda preocupação com o bem-estar dos seus cidadãos. Isto está longe de ser verdade. As mudanças na sociedade não surgiram de alterações na educação ou no lar. Todos os sistemas de governo estabelecidos tendem a preservar e manter seus próprios interesses e continuação da sua base de poder. As verdadeiras forças responsáveis pela mudança têm mais a ver com imprevistos, eventos externos ou pressões biossociais que alteram fisicamente o nosso ambiente social e estabelece regras. Por exemplo, a infusão de máquinas e processos que substituem as pessoas e eliminam os seus meios de ganhar a vida, efeitos naturais de seca, enchentes, tempestades tsunamis e terremotos, catástrofes de oscilações econômicas causadas pelo homem ou ameaça de algumas nações hostis. VIDAS NÃO SERÃO MAIS DESPERDIÇADAS! O que garante às pessoas o direito de participar? Sem o uso do dinheiro há muito pouco a ser ganho em forçar opiniões alheias, falsificar informações ou tomar vantagens em relação a outros. Não existe nenhuma barreira social rígida que limite a participação de alguém ou restrinja a entrada de novas ideias. O objetivo principal é o acesso completo à informação e a distribuição de bens e serviços para todos. Uma criança desperdiçando seu tempo nas ruas, em shopping centers ou consumindo drogas é uma vida perdida que a sociedade terá que pagar. Numa economia baseada em recursos haverá lugares para as crianças passarem seu tempo brincando e aprendendo. Quanto mais inteligente uma criança for, melhor será a vida de todos. BANQUEIROS E ESPECULADORES Por uma sociedade DESCAPITALIZADA: mais justa e mais digna para todos! Em essência, todas as pessoas que admiramos no passado, Michelangelo, Da Vinci, os Irmãos Wright e muitos outros trabalharam, pois estavam interessados em resolver problemas e não em lucro financeiro. Normalmente pessoas orientadas por dinheiro se tornam homens de negócio ou corretores; raramente eles são criativos. Eu sempre senti-me ameaçado por pessoas em que sua principal motivação é o ganho financeiro. Em ilhas do Pacífico Sul os habitantes têm mais do que o necessário em recursos. Apesar de banana, cocos e peixe estarem em abundância, os nativos continuavam a trabalhar construindo equipamentos de navegação, canoas, cabanas e vestimentas. Embora nenhum dinheiro fosse utilizado, o seu incentivo melhorou o padrão de vida. Nos primórdios da América, um casal poderia construir uma cabana feita de madeira em vários meses. Hoje eles levam 30 anos ou mais para pagar uma casa com os fundos adicionais para banqueiros e outros que realmente não têm nada a ver com a construção da casa. BANQUEIROS = HOMEM DA CAVERNA Isso não é contra a “natureza humana”? H. G. Wells escreveu “Os anti-progressistas do início do século XX gostavam de afirmar que a “natureza humana” nunca muda; que os homens da Idade da Pedra sentiam e pensavam como banqueiros em uma caverna e que ideias de Confúcio e Buda seriam facilmente trocadas pelas ideias de Rousseau, Karl Marx ou De Windt. Eles não eram simplesmente ignorantes, mas mal informados sobre a realidade em quase todas as experiências passadas e presentes.” “The New Utopians” por Robert Boguslaw: “Como Norman RF Maier (e outros) apontaram anos atrás, o termo “natureza humana” é tipicamente usado como uma tela para esconder a nossa ignorância sobre o homem em geral. E uma das mais elementares negligências feitas nas discussões do comportamento humano consiste em ignorar o fato de que as ações dos homens são movidas por forças externas tanto quanto internas.” Conforme Arthur C. Clark e muitos outros escritores têm apontado, quem traz à tona a questão da natureza humana é sempre que possível ridicularizado e desacreditado. EXPLORAÇÃO E CONTROLE Por uma sociedade DESCAPITALIZADA: mais justa e mais digna para todos! Se você examinar cuidadosamente as declarações de pessoas que têm acesso a todas as necessidades da vida, você vai descobrir que as pessoas mais ricas não comem 25 refeições por dia. Embora tenham acesso a elas, não acumulam coisas do seu ambiente como centenas de instrumentos musicais e centenas de carros. Não é a disponibilidade de recursos que é preocupante para as pessoas, é a falta de recursos que é responsável pela maioria dos crimes e comportamentos aberrantes. Considere isso quando poucas nações do mundo controlam a maior parte dos recursos: comprometendo os próprios e explorando outras nações com as suas posições de vantagem diferencial. Todos da equipe técnica e demais terão acesso a um elevado padrão de vida. O incentivo, que irá animar as pessoas, é o fim da guerra, fim das disputas territoriais, fim das dificuldades econômicas, fim das dívidas, ou seja, o fim da base para a maioria dos crimes, pois eles todos serão eliminados. Nesta nova sociedade, como proposto pelo projeto, o ambiente no qual as pessoas crescerem e forem educadas será baseado nos princípios fundamentais da ciência e do conhecimento global da inter-relação entre as pessoas e o ambiente, que sustenta toda a vida. NA ATUAL SOCIEDADE, O LUCRO ESTÁ ACIMA DA PRESERVAÇÃO AMBIENTAL Por que você sente que uma abordagem revolucionária como a deste projeto é necessária? O nosso atual sistema não é capaz de prover a todos um alto padrão de vida e não pode garantir a proteção do ambiente porque o maior motivo é o lucro. O comércio não é inteiramente o culpado; ele é forçado a operar dessa maneira para manter a competitividade em seu pico. Como resultado, poucas pessoas são capazes de comprar produtos ou serviços, mesmo que a nossa capacidade para produzir em abundância exista. Isso é bem documentado no livro de Jeremy Rifkin, “The End of Work: The Decline of the Global Labor Force and the Dawn of the Post-market Era” (Putnam, 1995). O projeto oferece uma nova aproximação que reverte os aspectos negativos existentes em nossas atuais aplicações de automação e inteligência artificial. E elimina as desastrosas consequências que tais métodos possuem em nossa sociedade como o deslocamento de milhões de trabalhadores, independente da qualificação deles. POLÍTICOS VISAM APENAS OS PRÓPRIOS INTERESSES Nessa nova cultura, você propõe o uso de uma elite técnica que decidiria uma direção para a sociedade? Não. O projeto propõe uma sociedade em que os computadores possam substituir o sistema obsoleto de eleger políticos que, na maioria dos casos, representam os próprios interesses. A tecnologia nunca iria ditar ou monitorar a vida dos indivíduos, pois isso seria considerado socialmente ofensivo e contraproducente. Filmes, como “1984”, “Admirável Mundo Novo”, “Blade Runner” e “O Exterminador do Futuro 2” têm disseminado receio em algumas pessoas no que diz respeito à supervisão da sociedade pela tecnologia. O único objetivo do projeto é elevar o potencial intelectual e espiritual de todas as pessoas e, ao mesmo tempo, fornecer os bens e serviços necessários para satisfazer as necessidades materiais de todos. Muitas pessoas empregadas por empresas privadas sentem que servem em ditaduras a partir do momento em que passam pela porta e batem o ponto. O projeto, por outro lado, poderia utilizar o melhor da tecnologia para melhorar a vida de todos. No sistema proposto o trabalho seria reduzido fornecendo assim aos indivíduos mais tempo de lazer, um estilo de vida saudável e um ambiente livre de estresse. FIM DAS FRONTEIRAS SUPERFICIAIS O que as pessoas farão? Elas participarão de todos os tipos de pesquisa e desenvolvimento, das artes criativas, viagens, exploração e em todos os horizontes que o futuro tem para oferecer. A realização do potencial da tecnologia computadorizada e cibernética unicamente para melhorar a vida das pessoas poderia produzir um sistema revolucionário em constante evolução. Ele acabará por eliminar todas as fronteiras superficiais criadas pelas nações, como estamos começando a testemunhar com a introdução de comunicações via satélite e computadores pessoais. É quase impossível para as nações de hoje censurar ideias e informações. O DINHEIRO É A BASE DA CORRUPÇÃO Por uma sociedade DESCAPITALIZADA: mais justa e mais digna para todos! Quais são as defesas contra o abuso de poder na sociedade que o projeto propõe? Em uma economia baseada em recursos, deixamos de lado a necessidade de dinheiro, que é a base da corrupção. A sociedade que vislumbramos produzirá os bens e serviços para todos sem uma tarja de preço. Essa é a função que o governo poderia ter, ultrapassando a necessidade de política na gestão dos assuntos humanos. Atualmente, decisões governamentais têm sido sempre sujeitas à influência do poder da elite. Um complexo cibernético só iria gerir e melhorar a distribuição dos recursos, fornecer ar limpo, água limpa e todas as amenidades que melhorem a vida humana. Novamente, o governo não controlará ou administrará a vida das pessoa — pelo contrário, poderia favorecer o desenvolvimento da iniciativa individual e a criatividade muito além do que nos dias de hoje em uma cultura baseada no dinheiro. Muitos temem a instalação de sistemas cibernéticos. Este receio é infundado. Não se deve temer a tecnologia . Nossa preocupação deve ser com o abuso dela e não com a própria tecnologia inanimada. COMPORTAMENTO E NATUREZA HUMANA Por que tanto enfatizar que comportamento e natureza humana não são o mesmo? Você poderia definir ambos? Não existe natureza humana no sentido convencional do termo que diz ser um conjunto pré-determinado de comportamentos e valores aos quais todos os seres humanos estão pré-dispostos. Estamos preocupados com esse comportamento humano e seus valores, o que certamente pode ser modificado. Senão, ainda estaríamos morando em cavernas. A pergunta significativa é: que fatores moldam o comportamento humano? Pensamos que isso é tão verdadeiro quanto qualquer outro fenômeno natural. Nossos costumes, comportamentos e valores são subprodutos da cultura que recebemos (do útero ao túmulo). Se o ambiente mantém-se inalterado, problemas semelhantes e certos comportamentos reaparecerão. A proposta do projeto é proporcionar um ambiente que trará à tona o melhor do comportamento humano e maximizar as relações amistosas de todas as nações Vejamos, por exemplo, a situação após a Segunda Guerra Mundial: mesmo as famílias mais respeitáveis eram vistas lutando por restos de alimentos. Quando as necessidades básicas do povo não são supridas, eles recorrem a qualquer comportamento que for necessário para assegurá-las. Ao colocar à disposição de todos as necessidade de vida nesta democracia participativa e através de uma educação significativa e produtiva, podemos reduzir drasticamente os comportamentos aberrantes do homem. PESSOAS DE COMPORTAMENTO ABERRANTE O que o projeto fará com pessoas de comportamento aberrante? Comportamento aberrante é produzido por condições sociais tais como a subnutrição, falta de saneamento básico, pouca motivação na educação. As pessoas sempre refletem as influências do ambiente. Até mesmo as pessoas mais ricas de hoje sofrem de pobreza moral e intelectual. Elas também cometem crimes como a exploração do meio ambiente e de outros seres humanos. Nós não consideramos cassinos como algo ofensivo hoje em dia, como uma instituição criminal. Mas futuramente, elas certamente serão vistas como parte da nossa sociedade aberrante assim como milhares de padrões aberrantes que consideramos certos e normais hoje. Por “mentalmente instável” ou “pessoas aberrantes” você se refere a GE (General Electric) que é um dos maiores poluidores e que intencionalmente expõe seus trabalhadores a carcinogênicos que causam suas mortes? Ou aqueles que manipulam dinheiro, visando lucro sem contribuírem para o bem-estar das pessoas, ou aqueles que emprestam dinheiro para um automóvel e se a pessoa não paga a última parcela, eles não tomam um pneu ou o volante equivalente ao pagamento, eles tomam o carro inteiro? Ou talvez você se refira aos juízes que colocam pessoas na cadeia pelo resto da vida por terem matado por recursos, no entanto, líderes de nações bombardeiam cidades e países por recursos para assegurarem mercados e então colocam estátuas em parques honrando aqueles que realizaram esses procedimentos? Teríamos uma enorme matança em andamento se uma sociedade quisesse se livrar dos “instáveis” e “aberrantes”. Não, nós não somos a favor de matar ninguém. Acreditamos que o sistema é como um câncer que está devorando seu hospedeiro e irá dar fim dele com o tempo. O simples caminhar da tecnologia irá eventualmente acabar com trabalhos que permitem a compra de mercadorias e um novo modelo social irá surgir. Imaginamos que nesse período uma ditadura militar provavelmente irá ocorrer. Gostaríamos de introduzir os conceitos de uma economia baseada em recursos para o público para que entendam que há outras possíveis alternativas. DISTRIBUIÇÃO DE PRODUTOS Como é a distribuição de comida e/ou outros objetos de desejo, como telefones, computadores e livros? A distribuição de bens e serviços sem o uso de dinheiro ou de vales seria realizada mediante a instituição de centros de distribuição. Esses centros de distribuição seriam semelhantes às exposições, onde as vantagens de um produto poderiam ser explicadas e demonstradas. Por exemplo, se você visitasse o Parque Nacional Yellowstone, você poderia escolher uma câmera ou filmadora portátil de um centro de distribuição, usado-a e depois, se preferir, devolvê-la a outro centro de distribuição, eliminando assim a armazenagem e manutenção. Além dos centros computadorizados ao redor de várias comunidades onde os produtos os produtos seriam eventualmente exibidos, haverá monitores planos com visualizações em 3-D em todas as casas. Se você desejar um item, um pedido feito e o item seria automaticamente entregue diretamente a seu local de residencial. Toda matéria-prima para a fabricação desses produtos pode ser transportada diretamente para as fábricas através de “sequências” de transporte automatizado como navios, monotrilhos, trens maglev, dutos e tubos pneumáticos. Um sistema inventário automático estaria conectado tanto aos centros de distribuição quanto às fábricas, coordenando assim a produção para satisfazer a demanda e fornecendo uma avaliação constante das preferencias e do consumo. Dessa forma, a economia pode manter-se balanceada. A subprodução, sobreprodução e o desperdício poderiam ser eliminados. PROJETO E RELIGIÃO O que você pensa das religiões? Os conceitos apresentados pelo projeto não são de modo algum inconsistentes com a maioria dos ensinamentos religiosos do mundo. Talvez a principal diferença seja que nós gostaríamos de transformar estes sublimes ideais numa realidade útil às nações do planeta. Com o uso inteligente dos recursos há ganho material para todos se seus países participarem de um projeto chamado “herança comum” que irá progredir todas as nações. Aqueles que se recusarem a participar irão perder os progressos obtidos. Todos são livres para participar sejam quais forem seus sistemas de crenças, mas não podem forçá-los aos outros. Todos podem ir aonde quiserem sem qualquer tipo de restrições. Se falham em ser construtivos, eles são ajudados em vez de colocados em prisões ou punidos. Haverá um esforço constante para apresentar as vantagens até àquelas nações que se sentem capazes de seguirem sozinhas. Isso não irá interferir em suas crenças religiosas e em seus tradicionais costumes sociais. Estes não podem ser forçados, você só pode educar sem o uso de crenças que são irrelevantes. Nós preferimos usar essa abordagem em vez de uma militar. Embora isso possa demorar, sentimos que eles eventualmente perceberão as vantagens desta perspectiva de união e divisão dos recursos, como se todos os Estados Unidos se unissem e as lutas entre as fronteiras parassem. RESISTÊNCIA DOS “QUE SE CONSIDERAM DONOS DO MUNDO”, que concentram dinheiro e poder? Não haverá resistência dos ricos e poderosos? Dizer que os ricos e poderosos resistiriam a tal sociedade em muitos casos é verdade, no entanto se eles continuarem a usar automação em suas indústrias, já que é necessário a fim de competirem, milhões de pessoas serão substituídas por máquinas. Isso não só inclui trabalhos em linha de montagem, mas também doutores, engenheiros, arquitetos e semelhantes. Enquanto eles perdem seu poder de compra, a própria indústria que depende deles não poderá mais funcionar. Isto trará o fim do desgastado sistema monetário. Não é questão de eles desistirem de suas indústrias, mas a sua ganância as tornará obsoletas. Somente quando ciência e tecnologia são usadas com preocupação humana em um mundo no qual os recursos da terra são declarados como bem comum de todos os povos da Terra é que podemos dizer verdadeiramente que existe vida inteligente em nosso planeta. UMA SOCIEDADE MELHOR É POSSÍVEL? Mais informações: http://obviousmag.org/archives/2010/05/projeto_venus_-_redesenhando_o_futuro.html https://pensaralem.wordpress.com/2014/01/18/projeto-venus-o-fim-do-dinheiro/ IMAGENS DO PROJETO: http://www.google.com/images?hl=pt&q=projeto+venus&gbv=2&gs_l=heirloom-hp.3..0l9j0i30.2209.4695.0.5397.13.13.0.0.0.0.574.3771.1j3j2j5j1j1.13.0…0.0…1c.1.VTUPBpXyGYM&sa=X&oi=image_result_group&biw=1024&bih=578&sei=PWnfUPzNFs6D0QGrwYCwAw

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s