O que é Fé e o seu poder em nossa mente

 

Por Ana Burke

A nossa mente é a arma mais poderosa do Universo e que caminha independente do corpo, e que está a nosso favor ou contra se permitirmos que superstições se apossem dela. Infelizmente ela não faz uma seleção daquilo que é bom ou ruim. Tudo o que nós vemos, ouvimos e vemos como real, ela assimila como real. E tudo aquilo que vemos, ouvimos e vemos no imaginário, ela também assimila como real. Os meios de domínio da mente humana são bem conhecidos e os milagres produzidos por ela também são incontáveis. Quando acreditamos sem provas concretas, baseados em informações distorcidas, corremos o risco de nos aprisionar para sempre nas teias da superstição.

Para as pessoas abaixo, este touro ou bezerro, é DEUS. Não existe nenhuma dúvida de que isto é real em sua mente. Este bezerro faz milagres e resolve todos os seus problemas. Isto chama-se crença, FÉ..

bezerro-de-ouro

Infelizmente a nossa mente pode ser moldada com facilidade, não apenas por nós, mas por outros. E, este outro: pessoa, instituição, governo, mídia, indústrias e religiões, normalmente, consegue pleno controle da mente e da vontade da maioria das pessoas e as técnicas de convencimento são as mais variadas.  Portanto, a nossa mente pode ser fonte de vida ou morte, cura ou doença, liberdade ou escravidão. Depois de controlada por forças negativas ou enganosas, o seu portador dificilmente volta a ser livre.

O nosso cérebro pode ser condicionado, pode ser iludido

Dezesseis voluntários observaram imagens em cores na tela de um computador. Depois de hipnotizados, eles foram levados a acreditar que a mesma figura colorida, vista outra vez no monitor, era toda cinza. Nesse instante, o cérebro ativou uma região que inibe a visão das cores. Ou seja, sem nenhuma possibilidade de farsa, o cérebro passou a ver em preto e branco. Mais tarde, os mesmos voluntários foram induzidos a ver cores em imagens onde elas não existiam. E, outra vez, bingo! Os resultados confirmaram que o cérebro estava mesmo “vendo” colorido.

“A gente ainda não conhece os detalhes do processo, mas o quadro está cada vez mais claro”, disse  o americano Stephen Kosslyn, psicólogo e neurologista da Universidade Harvard, um dos coordenadores da experiência, que também contou com psiquiatras da Universidade Stanford, radiologistas do Hospital Geral de Massachusetts, em Boston, além de neurologistas do Memorial Hospital, de Nova York. Para esse time da pesada mergulhar na hipnose, um equipamento foi fundamental: o PET,(tomografia por emissão de pósitrons), que mostra com precisão quais regiões cerebrais estão sendo ativadas a cada momento.

Monstros imaginários povoam a mente de todos, existentes graças a dependência que existe em cada um de nós em criar e acreditar em mitos, sofrimentos desnecessários e que poderá vir no futuro, ou numa felicidade utópica que poderá vir de objetos, de se sentir amado ou valorizado por outro ser humano. A felicidade sempre se faz presente muito mais no imaginário do que no real; se a vivemos em um momento, a imaginamos perdida no momento seguinte. E por este motivo a insatisfação e a infelicidade sempre nos parece mais presente. Na realidade, todo o controle está em nós e a existência de momentos bons ou ruins só depende da forma com que trabalhamos a nossa mente e no que permitimos que outros insiram dentro dela. Se a impregnamos com inutilidades ou deixamos que outros façam isto, nos tornamos algo amorfo e imprestável pra nós mesmos, para a nossa família e para a sociedade na qual estamos inseridos.

O nosso corpo tem muitas necessidades, na sua maioria impostas sem que nos inteiremos disso. Enquanto algumas pessoas são felizes independente de posses materiais ou da aparência, outros já valorizam extremamente tais coisas e no final a felicidade nunca está onde pensamos que ela está, porque só existe um lugar onde podemos encontrá-la, na nossa própria mente. Muitos usam a nossa mente para suprir-nos das necessidades pensamos que temos, necessidades estas, na sua maioria, incutidas ou criadas para suprir sempre a máquina insaciável da ganância e da criminalidade. Tudo está em nós e todo o poder também, mas somos sempre ensinados que este poder nunca está em nós, mas fora de nós.

Ninguém planta mais, ou colhe a própria comida. Ninguém mais costura ou fabrica a própria roupa e a natureza não é mais a nossa farmácia, e a maioria, até mesmo pensa, que não precisa mais dela. Os animais são para alimento ou diversão e o céu não é nosso, mas de Deus, dos santos, dos extraterrestres, dos discos voadores, dos espíritos, e também o lugar para onde iremos depois de julgados e se o merecermos. A nossa dependência e escravidão aumentou consideravelmente e a felicidade não está naquilo que temos, mas naquilo que desejamos ter. E como somos incapazes de produzir o básico para nós mesmos, dependemos cada vez mais, e desejamos cada vez mais e, consequentemente, trabalhamos cada vez mais, não para nós mesmos,  mas para comprar o lixo essencial para a nossa felicidade e a felicidade da nossa família, família esta, que raramente vemos ou convivemos.

Nós não olhamos nunca para o alto, mas sempre para o chão e estamos sempre ajoelhados orando e pedindo.

A liberdade não existe quando estamos ajoelhados ou quando estamos carregando a cruz. Deus não é uma rede que nos prende, ou humilha. A liberdade não está associada à servidão, à crendices, à superstições ou contos de fadas. Para conquistarmos a liberdade o nosso espírito precisa estar sempre preparado para voar para longe daquilo que nos sujeita e humilha. Para ser livre precisamos pensar e refletir nas nossas ações e observar mais, cheirar, sentir, o mundo que nos rodeia, tirar o máximo possível da luz que este mundo nos oferece e ignorar as trevas, fugir das correntes e das malhas da ignorância. Muitas pessoa já ouviram falar no sol, mas nunca foram aquecidas por ele ou usufluiram da sua luz.

 A liberdade nunca pode estar sujeita mentalmente ou atrelada a coisas que nos fazem dependentes. A partir do momento em que nos tornamos dependentes e dizemos: não posso viver sem tal coisa ou alguém, perdemos tudo, perdemos a nós mesmos.

A sociedade está cheia de rituais que temos que seguir por motivos de sobrevivência e convivência. Fora disto, por quê inventamos outros ou seguimos outros?  Precisamos mesmo de tudo o que compramos? Estamos mesmo tão doentes quanto nos fazem crer que estamos? Por quê o objeto real é muito diferente do objeto imaginário.

Todas as informacões que nos chegam são captadas pelo nosso cérebro, armazenadas e usadas, mesmo que não tenhamos consciência disso. Todos os milagres são possíveis de serem realizados, basta o subconsciente estar convencido de que é possível. O pensamento é a fonte de todo o bem e de todo o mal. O meio externo raramente interfere, a menos que deixemos que isto aconteça ou permitimos. Portanto, o poder para interferir ou mudar uma situacão ou condicão é nosso. Repetir expressões ou qualquer coisa que se ouca, falsa ou verdadeira, é o pulo do gato da mídia, das religiões e dos governos. Trabalhar o cérebro das pessoas, principalmente usando frases curtas, de fácil memorizacão, ou imagens jogadas e vistas constantemente e repetidamente vão ficar gravadas para sempre no subconsciente e, mesmo que não queiramos, depois de gravada, esta imagem ou frase ficará conosco para sempre. É por isso que é aconselhável nunca seguir todos os dias o mesmo caminho para se ir a algum lugar. Se você seguir sempre o mesmo caminho, depois de algum tempo você deixa de raciocinar, de pensar e de usar a inteligência. O cérebro vai tentar economizar energia e raciocinar, pensar ou usar a inteligência se torna desnecessário. Você não percebe e já chegou. Muitos chamam isto de instinto, mas não é nada mais e nada menos que as consequências de uma acão mecanizada. É por isso que muita gente não gosta de matemática e até mesmo tenta decorar matemática, mas quem faz isso, esquece, não aprende se a situacão ou problema sair fora do que ele decorou. Dois mais dois é sempre quatro, mas os textos e os caminhos para se chegar na resposta é sempre diferente.

O mesmo funciona com textos longos e considerados difíceis pois exigem muita energia, atencão e concentracão. São poucos aqueles que vão chegar ao fim de um texto longo e difícil, com compreensão. Esta é a tacada de mestre das religiões. Em todas você ouve a mesma coisa todas as vezes que vai a um culto e segue sempre os mesmos rituais. O padre, na sua frente, sempre faz os mesmos gestos e diz as mesmas palavras e oracões que todos repetem. E normalmente as oracões são compostas de frases curtas e de fácil memorizacão. Todos as repetem sem nenhuma dificuldade. É por isso que não se pode ser católico sem ir à missa ou ser evangélico sem frequentar os cultos. Todos precisam estar lá, e ver, e ouvir, e sentir, e repetir. Verdade ou não, não importa. Para o frequentador do culto ou da missa, tudo é, e sempre será, a mais absoluta verdade e nada, nem ninguém, poderá mudar isto.

Platão em. “A caverna” ensina isto muito bem e a maneira como funciona o cérebro, usando poucas palavras. Se você tentar dizer ou mostrar algo diferente do que a pessoa tem impresso no cérebro, ela se torna um inimigo feroz e, muitas vezes, mata-se ou agride-se aquele que ela toma como destruidor e perseguidor da sua fé. Por quê? Porque ensinaram a ela que quem tem fé não precisa usar a razão e muito menos questionar.

A fé é algo que o ser humano carrega por todo o sempre e ela existe independente da religião. E este poder se resume em acreditar de forma tão demasiada e intensa que o objeto da fé, muitas vezes se materializa, e se transforma em realidade. E é esta fé que leva o ser humano à realizações que, para o não portador da fé, seria impossível. A fé faz o ser humano seguir em frente, transpor obstáculos, conquistar o que pra ele é importante, e dá sentido a vida. A palavra e ensinamentos de Jesus Cristo significam fé, e conhecer bem e praticar estes ensinamentos torna uma pessoa cristã. Agora, existe um outro tipo de fé, que não necessariamente significa conhecimento da palavra de Deus. A fé não é nada mais nada menos do que confiar. Os egípcios confiavam sempre no apoio dos seus deuses e esta confiança na proteção dos deuses fizeram deles os maiores construtores da humanidade.

A fé exacerbada de Hitler o levou a crer que poderia eliminar da Terra todos os ciganos, Testemunhas de Jeová, homossexuais, deficientes físicos ou mentais e judeus. E sua fé era tão grande que “sobreviveu sem ferimentos graves a 42 atentados contra sua vida. Devido a isso, ao que tudo indica, Hitler teria chegado a acreditar que a Providência estava intervindo a seu favor”.

Mesmo surdo, a  fé ajudou Beethoven a compor maravilhas. A fé move montanhas, assim como destrói montanhas. A fé está inserida em cada um, mas ela somente se faz viva pela persistência e determinação. O mundo é movido pela fé. É algo intrínseco, está dentro, e não fora.

Pessoas que acreditam sempre que o auxílio vem de fora delas, acreditam também que todas as suas desgraças, e males acontecem por algum motivo que está fora delas. Os Judeus acreditavam que todas as divindades pertencentes a outras religiões que não fosse a deles, eram demônios. E assim, mesmo as divindades que transmitiam aos não judeus ensinamentos bons, eram demônios para os judeus. E até hoje, as pessoas  vivem encontrando culpados para o sofrimento, como por exemplo: “o destino quis assim”, “a inveja me destruiu”, “estou pagando por todos os meus pecados”, “o inferno é aqui”, “isto é castigo de Deus”, “eu nasci pra sofrer”, e elas continuam arrastando a vida e espalhando lamentos e negatividade, sem perceber que a mudança, para o bom ou para o ruim, sómente exige dela imaginar e acreditar em imagens mentais positivas como sendo reais.

O negro e o branco, o judeu e o cristão, o ateu e o papa, o sem religião e o religioso, o analfabeto e o letrado…todos, tem o mesmo destino e caminham para o mesmo lugar…a sepultura. Perdemos muito da nossa curta vida odiando e perdendo tempo com coisas inúteis como por exemplo, classificando as pessoas e as julgando, até mesmo condenando por coisas que estão em nós, na nossa mente. Todos os monstros são criados e alimentados por nós mesmos.

Os gregos antigos repetiam sempre os seus filósofos, recitavam seus ensinamentos, discutiam estes ensinamentos e procuravam aplicá-los na sua vida diária. Eles liam muito e devido a isto, a grécia floresceu como uma nação com pessoas cultas e uma das mais democráticas já existente. Sócrates ensinava de graça e qualquer um podia ter acesso aos seus ensinamentos. Aqueles que cobravam para ensinar eram sempre mal vistos pela sociedade em geral e entre os considerados filósofos sérios. Podemos ver abaixo alguns ensinamentos destes filósofos e como as mentes dos gregos eram trabalhadas:

Tales de Mileto – (624 ou 625 a. C., até 556 ou 558 a. C.):

Conhece-te a ti mesmo…A ignorância é incômoda…Espera receber de teus filhos, quando fores velho, o mesmo tratamento que dispensaste a teus pais…Evita as palavras que possam ferir os amigos…Evita enriquecer por vias desonestas…Evita os adornos exteriores e procura os interiores…Perto ou longe, importa lembrar os amigos…Quem promete, falta….Se és chefe, começa por saber dominar-te.

Pítaco de Mitilene –  (640 a. C – 568 a. C.):

A ambição é insaciável…Ama a educação, a temperança, a prudência, a verdade, a fidelidade, a experiência, a gentileza, a companhia dos outros, a exatidão, os cuidados domésticos, a arte e a piedade…Dá-te ao respeito…Não faças o que não gostares que te façam…Não reveles projetos para, se falhares, não seres motivo de troça…Sabe aproveitar a oportunidade…Sábio é quem sabe discernir o futuro; o passado é passado, mas o porvir é incerto.

Bias de Priene – (Século VI a.C.):

A maioria é perversa…Adolescente, sê activo; velho, sê sábio…Aprende a saber ouvir…Fala sempre com propósito…Não sejas nem mau, nem tolo…O cargo revela o homem…Persuade pelo bem, e nunca pela força…Reflete nos teus atos…Sê cuidadoso na realização de um projeto e, uma vez iniciado, prossegue sem desfalecimento…Vê-te num espelho.

Sólon de Atenas – (638 a. C. – 558 a. C.):

Aconselha o que for justo, não o que aches agradável…Evita a mentira, confessando a verdade…Evita o prazer, se ele for causa de remorso…Guia-te pela razão…Honra pai e mãe…Mede as tuas palavras pelo silêncio e o silêncio pelas circunstâncias…Nada em excesso…Nunca digas tudo o que sabes…Procura ser honesto, porque a honestidade é melhor do que uma palavra honrada…Respeita os amigos…Quando souberes obedecer, saberás chefiar…Se exiges a honestidade dos outros, começa por ser honesto…Toma a peito as coisas importantes

Cleóbulo de Lindos – (século VI a.C):

A medida é coisa ótima…A sabedoria é preferível à ignorância…Aconselha retamente os teus concidadãos…Casa com uma mulher da tua condição; se casares com uma rica, em vez de sogros arranjarás patrões…Considera inimigo público quem odiar o povo…Cuidado com a língua…Evita a violência…Evita acariciar a tua esposa em público; quem a desfruta em público procede mal, mas quem a acaricia, desperta paixões fúteis.

Míson de Queneia ou Periandro de Corinto

A democracia é preferível à tirania…Guarda os segredos…Indaga as palavras a partir das coisas, não as coisas a partir das palavras…O estudo abarca todas as coisas…Os prazeres são mortais, as virtudes, imortais…Um lucro desonesto é uma calúnia contra o espírito.

Quílon de Lacedemonia – (Século VI a.C.):

Cuida de ti mesmo…Foge dos intriguistas…Não desejes o impossível…Não maldigas dos outros, para não ouvires críticas desagradáveis…Põe a razão antes da língua…Quando beberes, fala pouco para não cometeres indiscrições…Respeita os velhos.

Pitágoras –  (571 a. C. e 570 a. C. até cerca de 497 a. C. ou 496 a. C.)

Educai as crianças e não será preciso punir os homens. Não é livre quem não obteve domínio sobre si. Pensem o que quiserem de ti; faz aquilo que te parece justo. O que fala semeia; o que escuta recolhe. Ajuda teus semelhantes a levantar a carga, mas não a carregues. Com ordem e com tempo encontra-se o segredo de fazer tudo e tudo fazer bem.Todas as coisas são números. A melhor maneira que o homem dispõe para se aperfeiçoar, é aproximar-se de Deus. A Evolução é a Lei da Vida, o Número é a Lei do Universo, a Unidade é a Lei de Deus. A vida é como uma sala de espetáculos: entra-se, vê-se e sai-se. A sabedoria plena e completa pertence aos deuses, mas os homens podem desejá-la ou amá-la tornando-se filósofos. Anima-te por teres de suportar as injustiças; a verdadeira desgraça consiste em cometê-las

Sócrates – (469 a. C. – 399 a. C)

Não penses mal dos que procedem mal; pense somente que estão equivocados…A verdade não está com os homens, mas entre os homens… Quatro características deve ter um juiz: ouvir cortesmente, responder sabiamente, ponderar prudentemente e decidir imparcialmente….Sob a direção de um forte general, não haverá jamais soldados fracos…O que deve caracterizar a juventude é a modéstia, o pudor, o amor, a moderação, a dedicação, a diligência, a justiça, a educação. São estas as virtudes que devem formar o seu carácter…Só sei que nada sei, e o fato de saber isso, me coloca em vantagem sobre aqueles que acham que sabem alguma coisa…O grande segredo para a plenitude é muito simples:compartilhar…Entre os animais ferozes, o de mais perigosa mordedura é o delator. Entre os animais domésticos, o adulador…As almas de todos os homens são imortais. Mas as almas dos homens justos são imortais e divinas…Para conseguir a amizade de uma pessoa digna é preciso desenvolvermos em nós mesmos as qualidades que naquela admiramos.

Conhecer-se a si mesmo é: acreditar na própria capacidade de materializar os desejos, viver sem medo, sem temor, ser livre, ser verdadeiro e justo, saber identificar a hipocrisia, para nunca cair nas armadilhas da mentira. O poder do mal só existe e se sustenta em cima de outros humanos, mais fracos, normalmente ignorantes, supersticiosos e crédulos, com pouco ou nenhum valor como seres humanos, para os representantes do poder.  Não se fala aqui da relacão empregado/empregador. Este tipo de relacão é saudável a partir do momento em que ambos são beneficiados quando um vende a sua competência e trabalho e o outro compra este trabalho pagando por ele um preco justo. O fruto resultado desta relacão é benéfico quando não existe exploracão ou nenhum dos lados é prejudicado.

A relacão realmente prejudicial é aquela na qual não existe educacão, esclarecimento, debate, reflexão e desenvolvimento do pensamento crítico. Se estes itens, fundamentais para o desenvolvimento da liberdade, são coibidos impondo-se verdades prontas, cria-se uma massa destituída de senso, de raciocínio, de espírito criativo e dedutivo onde todos passam a ser controlados com facilidade transformando-se em escravos mentais que repetem, repetem,suas mentes assimilam ensinamentos adulterados e está formado, a partir daí, os zumbis produzidos pela corrupcão.

Uma pessoa má vai projetar o mal que existe dentro dela sobre aqueles que a rodeia, e como a maldade só existe em pessoas mentalmente doentes, tudo e todos são contaminados. Nunca existe felicidade e paz onde existe doença. Basta analisar a nossa própria família quando um de seus membros adoece seriamente. Todos são contaminados pela tristeza ou outros sentimentos não agradáveis e a paz vai embora. Se estamos cheios de coisas como o nacionalismo, o racismo, preconceito, inveja, avareza, ira injusta, culpa, auto-justiça, preconceitos, ressentimentos, falta de perdão, etc – essas coisas são “luz negra”, ou escuridão projetadas na nossa mente e que iremos projetar sobre as outras pessoas e o nosso próprio mundo mental.

É necessário ter fé no que realmente nos vivifica e em coisas que realmente tem significado na vida, monitorar sempre as nossas acões e pensamentos, acreditar na nossa capacidade de distinguir entre o bem e o mal, usando a nossa consciência.

            A palavra fé e o sentido que se dá a fé, ou seja, possuir e ser portador da fé, pode ser uma béncão, ou uma maldicão. A fé se transformou em sinônimo de ignorância pela forma como vem sendo usada pelas instituições religiosas que transformam a fé positiva em alienação. Algo que poderia ser saudável e construtivo se transforma em doença de massa. Uma palavra que vem sendo esvaziada de sentido e usada para se incutir nas pessoas falsas crencas e ao mesmo tempo estabeler uma relacão de poder/submissão. Conhecer a si mesmo não é fácil,  exige trabalho, estudo, crescimento, reflexão, pensar e, principalmente competência para questionar. E como não existem questionamentos por parte de seus membros, a mentira e a hipocrisia religiosa continuará para sempre fazendo vítimas.

Olhos acostumados às trevas, quando vê a luz, é cegado por ela, e a suposta luz que vem da fé, nem sempre é luz como a maioria pensa. Se acreditamos numa força divina, ao invés de cegar, nos faria ver, ouvir, amar, vibrar e espalhar a energia boa que recebemos, a tudo e todos que tocamos. Quem é abencoado pode abencoar, doar bencãos, mas quem é  doente faz outros doentes, porque isto é parte da lei, cada um doa aquilo que tem em abundândia, assim, para o doador e possuidor da paz, o pensamento em relacão a algo que se opõe a isto não existe. Quem tem a característica de identificar e classificar o ser humano em pecador e santo, não entende nem de pecado, nem de santidade. Normas insensatas, injustas, desonestas ou classificatórias cria monstros infelizes ou incapacitados, não fazendo parte da perfeicão do que chamamos de Deus já que o perfeito nunca gera o imperfeito.

Ninguém pode captar a luz do sol para si e dizer que é dono dela e, da mesma forma, é a verdade, ninguém pode ser dono dela ou encarcerá-la. Ela se espalha e teima em subsistir e um dia será conhecida de todos e por todos. Uma bactéria, invisível a olho nú e considerada inferior, mata o superior e o inferior, mas o inferior pode matar a si mesmo quando acredita no inferior e superior. E o superior, tem inferioridades que ninguém imagina. Deus não fez ninguém superior ou inferior desde que o espírito que move a todos, é o mesmo.

            Se um professor disser a um aluno que ele é incapaz de aprender e o chama de retardado, por mais capacitado que este seja, se ele acreditar nisto, é o que ele será, retardado. O mesmo acontece com todos nós quando permitimos que nossa mente seja influenciada ou convencida  da veracidade de doutrinas corrompidas.

Abaixo podemos ver um exemplo do que pode fazer à nossa mente uma doutrina corrompida:

Os mormons incutiram nos fiéis a idéia de que a família vai para o paraiso, todos juntos, o que inviabiliza a qualquer um de seus membros abandonar a igreja, porque estaria condenado e condenando o restante da família, que acreditando nisto, chora e se desespera, porque o ente amado será excluído do paraiso e da sua companhia quando lá chegarem. A Igreja Fundamentalista de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, que mantém o casamento poligâmico, se escondem em lugares remotos onde mulheres jovens inocentes e meninas são entregues em sacrifício a seus profetas que dispõe de suas vidas como bem entendem, em nome da salvacão.

[…] o “profeta” Warren Jeffs foi preso por estupro e pedofilia. Condenado a prisão perpétua ele segue tentando controlar seus 10.000 seguidores que vivem em duas cidades vizinhas na divisa entre Utah e Arizona. No fim do ano passado, de dentro da cadeia, ele enviou ordens à sua comunidade mormon fundamentalista para que todos parassem de fazer sexo. Em junho deste ano ele emitiu nova ordem dizendo que 15 homens, que Deus escolheu, devem ser os pais das novas gerações da comunidade. Os maridos devem parar de ter relações com suas esposas, que devem ficar disponíveis a estes 15 homens…

As pessoas obedecem e seguem as leis absurdas que este criminoso impõe a eles, mesmo na prisão. Por quê? Porque estas pessoas não pertencem mais a si mesmas. Elas são escravas. Elas choram e defendem o criminoso. Elas não sabem que estão mortas, assim como  em outras religiões, seus membros não tem, também,  a menor idéia da situacão de escravidão em que eles vivem, que tudo é falso e não passa de uma grande mentira. O mundo é uma igreja e o homem, depois do culto, deixa lá dentro o que ele tem de mais valioso, a capacidade de refletir, a sua liberdade. Ele sai de lá embalsamado, enlutado, deteriorado e inferiorizado, porque a verdade, escondida por trás do altar, ou do púlpito está enjaulada na fé e não consegue se libertar da hipocrisia, consolidada por séculos, na mente dos inocentes. Como não há leis ou regras para a existência, reconhecimento da verdade fica difícil a compreensão e distincão entre o que seja verdade e o que seja hipocrisia.

Se olharmos em volta acuradamente, veremos que a hipocrisia e a corrupcão é um meio de sobrevivência de uma legião de humanos, humanamente falidos, inúteis e parasitas que não acrescentam nada de positivo ou construtivo, apenas sugam até que descobrem o nada que são, ficando doentes como todos ficam e morrendo como todos morrem. Vivem os seus sessenta, no máximo setenta anos de vida prejudicando os outros, mentindo por dinheiro e poder, brincando com a crenca e traindo a confiança e o respeito que lhes depositam. Para que? Suprir necessidades talvez? Quais seriam estas necessidades tão prementes e importantes a ponto de justificar um ato covarde contra si mesmo? Talvez a necessidade de ter…coisas. Os seus porões estão abarrotados de lixos úteis que vão sobreviver a eles.

O corpo morre e esta é uma certeza que todos tem, e isto é desesperador para a maioria, mas é muito mais desesperador para aquele que só viveu para acumular. Acabar de repente, ir abaixo o poder e o sonho da  imortalidade é uma dor enorme, já que nunca se olha para o verdadeiro “eu”. Como deixar o mundo e não levar comigo os meus diamantes? O meu carro último tipo?

Ganghi, um grande exemplo de fé

Gandhi viveu para os pobres e morreu pelos pobres e lutando pela desigualdade social, mas não se transformou em santo e nem faz milagres depois de morto. Gandhi fez o que nenhum papa ou representante de qualquer religião existente fez. Usando um exemplo do próprio cristianismo vamos tentar entender o que é a verdadeira fé.

Muita gente tem pernas sadias, mas não anda; tem ouvidos mas não ouve e tem olhos mas não enxerga. Gandhi não sómente fez o povo andar, ver e ouvir mas deu o exemplo andando junto com todos eles, passo a passo e vestido como um deles.

A “Marcha do Sal” em 1930 – Scanned by Yann

 

Gandhi inspirou gerações de ativistas democráticos e anti-racismo, como por exemplo, Martin Luther King Jr. e Nelson Mandela. Em 8 de Maio de 1933, Gandhi começou um jejum que duraria 21 dias em protesto à opressão britânica contra a Índia. Em Bombaim, no dia 3 de Março de 1939, Gandhi jejuou novamente em protesto às regras autoritárias e autocráticas para a Índia […] Gandhi teve grande influência entre as comunidades hindu e muçulmana da Índia. Costuma-se dizer que ele terminava rixas comunais apenas com sua presença […] ele afirmou da necessidade de “uma paz real baseada na liberdade e igualdade de todas as raças e nações”. Nos últimos anos de sua vida, ele havia dito, “Violência é criada por desigualdade, a não violência pela igualdade”.

Em suas falas ele exibe através dos dedos da mão seu programa de cinco pontos: igualdade; nenhum uso de álcool ou droga; unidade hindu-muçulmano; amizade; e igualdade para as mulheres. Esses cinco pontos, os cinco dedos representando o sistema, estavam conectados ao pulso, simbolizando a não-violência […] no dia 30 de Janeiro de 1948, Gandhi foi assassinado a tiros, em Nova Déli por Nathuram Godse […] Godse foi depois julgado, condenado e enforcado, a despeito do último pedido de Gandhi que foi justamente a não-punição do seu assassino. O corpo do Mahatma foi cremado e suas cinzas foram jogadas no rio Ganges.

Observem as fotos: Todos eram explorados, eram escravos, e também, coxos, cegos e surdos. Gandhi fez um verdadeiro milagre. O povo que era surdo, comecou a ouvir e escutaram a voz da verdade e sabedoria; os coxos, comecaram a andar atrás dos seus direitos, os cegos, que não viam, comecaram a ver a situacão de miséria em que se encontravam. E então, curados, eles conseguiram o impossível, a liberdade sem o uso da violência. Isto prova que nós também podemos fazer milagres, se sairmos do ostracismo e comecar a caminhar ou fazer as pessoas caminharem, curá-las da cegueira e da surdez.

Gandhi viveu para os pobres e morreu pelos pobres, mas não se transformou em santo e nem faz milagres depois de morto.

Gandhi oferecendo 15 minutos de massagem diária a um leproso no “Sevagram Ashram” em 1940.

Gandhi fiando, foto de 1946.

Uma das estratégias eficientes de Gandhi pela independência foi a política do swadeshi – o boicote a todos os produtos importados, especialmente os produzidos na Inglaterra. Aliada a esta estratégia estava sua proposta de que todos os indianos deveriam vestir o khadi – vestimentas caseiras – ao invés de comprar os produtos têxteis britânicos.

Para saber mais

http://pt.wikipedia.org/wiki/Sete_S%C3%A1bios_da_Gr%C3%A9cia

Hipnose, Considerações Atuais, Antonio Carlos Moraes Passos e Isabel Marcondes, Editora Atheneu, São Paulo, 1998.

O Que É Hipnotismo, Osmar de Andrade Faria, Editora Brasiliense, São Paulo, 1985.

http://www.psicenter.psc.br/hipnose.htm

http://www.hallohellonet.com/tag/fundamentalistas-mormons/

http://pt.wikipedia.org/wiki/Mahatma_Gandhi

2 comentários sobre “O que é Fé e o seu poder em nossa mente

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s