Racismo e Mentiras de Allan Kardec

allan_kardec_akpagina

Por Ana Burke

Hippolyte Léon Denizard Rivail (Lyon, 3 de outubro de 1804 – Paris, 31 de marco de 1869)  foi educador, escritor e tradutor francês. Sob o pseudônimo de Allan Kardec, notabilizou-se como o codificador do Espiritismo (neologismo por ele criado) também denominado de Doutrina Espírita.

Como um professor com pouca formação científica ( sem formacão universitária), Rivail decidiu fazer sua própria investigação, mesmo sem conhecimento das técnicas necessárias. Ele compilou uma lista de perguntas e começou a trabalhar com médiuns e canalizadores para colocá-las para os espíritos. Limitado a qualidade das comunicações, alegadamente com espíritos, parecia melhorar.

De acordo com Allan Kardec, a raça Adâmica é uma raça superior, e é superior justamente porque Adão, segundo ele, era branco caucasiano, dando origem aos europeus civilizados. E afirma ainda que é impossível que todos nós sejamos água de uma mesma fonte devido às diferenças, principalmente, quanto à cor da pele. Apesar de a raça adâmica ter chegado ao planeta depois, pois o planeta já era habitado, ela era uma raça superior aos que aqui estavam, sendo a raça adâmica a mais inteligente  e responsável por impelir ao progresso a todas as outras raças. E acrescenta que eram tão evoluídos que sequer passaram aqui pela infância espiritual, sendo as raças primitivas diferentes, demorariam muito para atingir um certo nível de evolução, tendo já progredido bastante, mas ainda estavam muito atrasados em relação à raça adâmica.

.

O QUE É E COMO É A “RAÇA ADÂMICA” NA VISÃO DE ALLAN KARDEC

(A Gênese » Capítulo XI – Gênese espiritual – Raça adâmica)

38. – De acordo com o ensino dos Espíritos, foi uma dessas grandes imigrações, ou, se quiserem, uma dessas colônias de Espíritos, vinda de outra esfera, que deu origem à raça simbolizada na pessoa de Adão e, por essa razão mesma, chamada raça adâmica.

Quando ela aqui chegou, a Terra já estava povoada desde tempos imemoriais, como a América, quando aí chegaram os europeus. Mais adiantada do que as que a tinham precedido neste planeta, a raça adâmica é, com efeito, a mais inteligente, a que impele ao progresso todas as outras.

A Gênese no la mostra, desde os seus primórdios, industriosa, apta às artes e às ciências, sem haver passado aqui pela infância espiritual, o que não se dá com as raças primitivas, mas concorda com a opinião de que ela se compunha de Espíritos que já tinham progredido bastante.

Tudo prova que a raça adâmica não é antiga na Terra e nada se opõe a que seja considerada como habitando este globo desde apenas alguns milhares de anos, o que não estaria em contradição nem com os fatos geológicos, nem com as observações antropológicas, antes tenderia a confirmá-las.

39. – No estado atual dos conhecimentos, não é admissível a doutrina segundo a qual todo o gênero humano procede de uma individualidade única, de há seis mil anos somente a esta parte. Tomadas à ordem física e à ordem moral, as considerações que a contradizem se resumem no seguinte:

Do ponto de vista fisiológico, algumas raças apresentam característicos tipos particulares, que não permitem se lhes assinale uma origem comum. Há diferenças que evidentemente não são simples efeito do clima, pois que os brancos que se reproduzem nos países dos negros não se tornam negros e reciprocamente. O ardor do Sol tosta e brune a epiderme, porém nunca transformou um branco em negro, nem lhe achatou o nariz, ou mudou a forma dos traços da fisionomia, nem lhe tornou lanzudo e encarapinhado o cabelo comprido e sedoso (Pessoas que não tem o cabelo sedoso e pele branca não são evoluídas espiritualmente).

Sabe-se hoje que a cor do negro provém de um tecido especial subcutâneo, peculiar à espécie. Há-se, pois, de considerar as raças negras, mongólicas, caucásicas como tendo origem própria (Impossível todos terem sido gerados da mesma fonte, o espírito é evoluído ou não, dependendo da cor da pele) como tendo nascido simultânea ou sucessivamente em diversas partes do globo. O cruzamento delas produziu as raças mistas secundárias. Os caracteres fisiológicos das raças primitivas constituem indício evidente de que elas procedem de tipos especiais. As mesmas considerações aplicam, conseguintemente, assim aos homens, quanto aos animais, no que concerne à pluralidade dos troncos. (Cap. X, nos 2 e seguintes.)

Nada do que Allan Kardec diz acima é verdade. NADA. Ele não está falando em espiritualidade, mas em conhecimentos adquiridos e classifica as pessoas de acordo com a aparência física destas. Mas mesmo que fosse assim, nada é verdade e ele, como um suposto educador, deveria saber disso. E está mentindo descaradamente dizendo que os povos que estavam aqui antes dos brancos eram mais atrasados do que estes. Impossível e é muito fácil provar isto e um dos exemplos pode ser a Suméria e o egito se formos considerar civilizaçoes e não tribos.

 A Suméria, os mesopotâmios, núbios, fenícios, e egípcios por exemplo deixaram legados com valores incalculáveis para a humanidade e nenhum deles pertencia à “Raça Adâmica” e não falando aqui também nos povos do Vale do Indo, chineses, Japoneses e nativos das américas. 

.

Sobre os Negros

Os negros segundo Allan Kardec:

Os negros, pois, como organização física, serão sempre os mesmos; como Espíritos, sem dúvida, são uma raça inferior, quer dizer, primitiva; são verdadeiras crianças às quais pode-se ensinar muita coisa;” (Allan Kardec, “Perfectibilidade da raça negra” Revue Spirite, Abril de 1862)
 
Sob o mesmo envoltório, quer dizer, com os mesmos instrumentos de manifestação do pensamento, as raças não são perfectíveis senão em limites estreitos, pelas razões que desenvolvemos. Eis por que a raça negra, enquanto raça negra, corporeamente falando, jamais alcançará o nível das raças caucásicas; mas, enquanto Espíritos, é outra coisa; ela pode se tornar, e se tornará, o que somos; somente ser-lhe-á preciso tempo e melhores instrumentos. Eis porque as raças selvagens, mesmo em contato com a civilização, permanecem sempre selvagens; mas, à medida que as raças civilizadas se ampliam, as raças selvagens diminuem, até que desapareçam completamente, como desapareceram as raças dos Caraíbas, dos Guanches, e outras. Os corpos desapareceram, mas em se tornaram os Espíritos? Mais de um, talvez, esteja entre nós”. (Allan Kardec, “Perfectibilidade da raça negra” Revue Spirite, Abril de 1862)
 
“O progresso não foi, pois, uniforme em toda a espécie humana; as raças mais inteligentes naturalmente progrediram mais que as outras, sem contar que os Espíritos, recentemente nascidos na vida espiritual, vindo a se encarnar sobre a Terra desde que chegaram em primeiro lugar, tornam mais sensíveis a diferença do progresso Com efeito, seria impossível atribuir a mesma antiguidade de criação aos selvagens que mal se distinguem dos macacos, que aos chineses, e ainda menos aos europeus civilizados” (Allan Kardec, A Gênese, ed. LAKE  p. 187).
 
Esses Espíritos dos selvagens, entretanto pertencem à humanidade; atingirão um dia o nível de seus irmãos mais velhos, mas certamente isso não se dará no corpo da mesma raça física, impróprio a certo desenvolvimento intelectual e moral. Quando o instrumento não estiver mais em relação ao desenvolvimento, emigrarão de tal ambiente para se encarnar num grau superior, e assim por diante, até que hajam conquistado todos os graus terrestres, depois do que deixarão a Terra para passar a mundos mais e mais adiantados” (Revue Spirite, abril de 1863, pág. 97: Perfectibilidade da raça negra, in Allan Kardec, A Gênese, Lake _ Livraria Allan Kardec editora, São Paulo, p. 187).
 
São seres tão brutos, tão pouco inteligentes, que seria trabalho perdido procurar instruí-los; é uma raça inferior, incorrigível e profundamente incapaz’. (Allan Kardec, “Perfectibilidade da raça negra” Revue Spirite, Abril de 1862)
 
Mas, então, porque nós, civilizados, esclarecidos, nascemos na Europa antes que na Oceania? Em corpos brancos antes que em corpos negros? Por que um ponto de partida tão diferente, se não se progride senão como Espírito? Por que Deus nos isentou do longo caminho que o selvagem deve percorrer? Nossas almas seriam de uma outra natureza que a sua? Por que, então, procurar fazê-lo cristão? Se o fazeis cristão, é que o olhais como vosso igual diante de Deus; se é vosso igual diante de Deus, porque Deus vos concede privilégios? Agiríeis inutilmente, não chegaríeis a nenhuma solução senão admitindo, para nós um progresso anterior, para o selvagem um progresso ulterior; se a alma do selvagem deve progredir ulteriormente, é que ela nos alcançará; se progredimos anteriormente, é que fomos selvagens, porque, se o ponto de partida for diferente, não há mais justiça, e se Deus não é justo, não é Deus. Eis, pois, forçosamente, duas existências extremas: a do selvagem e a do homem mais civilizado.” (Allan Kardec, “Perfectibilidade da raça negra” Revue Spirite, Abril de 1862)
 
O exame frenológico dos povos pouco inteligentes constata a predominância das faculdades instintivas, e a atrofia dos órgãos da inteligência. O que é excepcional nos povos avançados, é a regra em certas raças. Por que isto? É um injusta preferência? Não, é a sabedoria. A natureza é sempre previdente; nada faz de inútil; ora, seria uma coisa inútil dar um instrumento completo a quem não tem meios de se servir dele. Os Espíritos selvagens são Espíritos de crianças, podendo assim se exprimir; entre eles, muitas faculdades ainda estão latentes. Que faria, pois, o Espírito de um Hotentote no corpo de um Arago? Seria como aquele que não sabe a música diante de um excelente piano. Por um razão inversa, que faria o Espírito de Arago no corpo de um Hotentote? Seria como Liszt diante de um piano que não teria senão algumas más cordas falsas, às quais seu talento jamais chegaria a dar sons harmoniosos.” (Allan Kardec, “Perfectibilidade da raça negra” Revue Spirite, Abril de 1862)

O negro pode ser belo para o negro, como um gato é belo para um gato; mas não é belo no sentido absoluto, porque os seus traços grosseiros, seus lábios espessos acusam a materialidade dos instintos; podem bem exprimir as paixões violentas, mas não saberiam se prestar às nuanças delicadas dos sentimentos e às modulações de um espírito fino.
Eis porque podemos, sem fatuidade, eu creio, nos dizer mais belos do que os negros e os Hotentotes; mas talvez também seremos, para as gerações futuras, o que os Hotentotes são em relação a nós; e quem sabe se, quando encontrarem os nossos fósseis, não os tomarão pelos de alguma variedade de animais. 
(Allan Kardec, Teoria da Beleza, in Obras Póstumas, p.131)”

Em relação à sexta questão, dir-se-á, sem dúvida, que o Hotentote é de uma raça inferior; então, perguntaremos se o Hotentote é um homem ou não. Se é um homem, por que Deus o fez, e à sua raça, deserdado dos privilégios concedidos à raça caucásica? Se não é um homem, porque procurar fazê-lo cristão?”
(Allan Kardec, O Livro dos Espíritos, Instituto de Difusão Espírita, Araras, São Paulo, sem data, capítulo V, p. 127).

SUMÉRIA 

OBSERVAÇÃO: TODO O POVO SUMÉRIO ERA NEGRO, ASSIM COMO OS POVOS COM OS QUAIS ELES SE RELACIONAVAM. 

A Suméria (na Bíblia Sinar, egípcio Sangar; ki-en-gir na língua nativa),  é geralmente considerada a civilização mais antiga da humanidade. Entende-se por civilização, quando os seres humanos deixam de ser nômades e se organizam em cidades, desenvolvendo uma cultura própria e estruturas educacional e  govermental.

O Sumeriólogo Samuel Noah Kramer afirma que “Nenhum povo tem contribuído mais para a cultura da humanidade do que os sumérios” […] A civilização suméria tomou forma no período Uruk (4 º milênio a. C.)

A Suméria foi o local de início d desenvolvimento da escrita progredindo de um estágio de proto-escrita em meados quarto milênio a. C, a escrita correta no terceiro milênio antes de Cristo.

Evidências arqueológicas datam o início da civilização suméria em meados do quarto milênio a. C.

Entre 3500 e 3000 a.C. houve um florescimento cultural, e a Suméria exerceu influência sobre as áreas circunvizinhas, culminando na dinastia acadiana fundada em aproximadamente 2340 a. C. Por Sargão I sendo que este, ao que tudo indica, seria de etnia e língua semitas. Depois de 2000 a. C. a Suméria entrou em declínio, sendo absorvida pela Babilônia e pela Assíria.

FALANDO DOS LEGADOS DOS SUMÉRIOS PARA A HUMANIDADE

Escrita chamada de escrita cuneiforme usada por volta de 3.500 a. C.

Organização em cidades-estados limitadas por canais e/ou muros de pedra, cada uma independente e com religião e deus ou deusa patrono particular. A raca adâmica não evoluiu nesta parte, copiou e fez de forma parecida.

Imagem

.

EDUCAÇAO

Os templos dos Sumérios  serviram a vários propósitos, o mais importante era o de culto e de educação e neles os alunos aprendiam matemática e e escrita. A Matemática ensinada, incluia habilidades mais simples, como adição e multiplicação, mas também passou através das raízes mais complexas, tais como geometria e quadrados.  O professor suméria era conhecido como um ummia.

a_015

.

ESCRITA

É dos sumérios o mais antigo sistema de escrita conhecido. As tabuletas de argila em que escreviam, eram muito duráveis quando cozidas. Arqueólogos desenterraram muitos milhares deles – alguns datada de antes de 3000 a. C. Este tipo de escrita em argila, veio a ser chamado cuneiforme, a partir das cuneus latino, que significa “cunha”.

 .

SELOS CILÍNDRICOS

Selos cilíndricos foram outra invenção suméria, eles foram utilizados pela primeira vez para rolar a própria assinatura no barro molhado de um tablete, registrando, assim, uma transação comercial ou uma pequena inscrição. Com o tempo, selos cilíndricos evoluíram para que eles pudessem reproduzir cenas pictóricas como banquetes. 

seal

 .

TECNOLOGIA

Há sempre uma discussão, para saber se foram os sumérios, os egípcios ou pessoas do vale do Indo, a inventar a escrita, a matemática, calendários, etc. Basta dizer que os Sumérios tinham desenvolvido um sistema complexo comercial, incluindo contratos, subvenções de crédito, empréstimos com juros e parcerias comerciais. Além disso, o planejamento das grandes obras públicas sob seu controle, levou os sacerdotes a desenvolver a matemática útil, incluindo tanto a notação decimal e um sistema numérico baseado em 60, o que nos deu o nosso sexagésimo segundo minuto, a nossa hora de sessenta minutos e a nossa divisão do círculo em 360 graus. Eles inventaram tabelas matemáticas e usaram equações de segundo grau. Eles estudaram os céus, tanto para fins religiosos e agrícolas, e criaram um calendário lunar, com um dia de 24 horas e uma semana de sete dias. Acredita-se também que os Sumérios inventaram a roda e a carroça, assim como o barco a vela.

Sumer_kitchen

.

VIDA COTIDIANA

A casa média de um sumério, era uma estrutura construída a partir de tijolos de barro cozidos e secados no sol.  Ela consistia de várias salas para audiência pública e os cidadãos mais ricos viviam em estruturas de tijolos de dois andares. A casa típica rica incluía salas de recepção, cozinhas, banheiros e, talvez, uma capela privada. A música era uma parte importante da vida, os instrumentos incluíam harpas, tambores, pandeiros, e tubos. Poemas e canções dedicadas aos deuses também eram muito comuns.

harpist

As primeiras cidades sumérias foram caracterizadas por um alto grau de diversidade social e econômica, o que deu origem aos artesãos, comerciantes, sacerdotes, burocratas, e pela primeira vez na história, soldados profissionais. A presença quase constante de guerra entre as cidades-estado da Suméria, estimulou o desenvolvimento de tecnologia militar e técnicas que vai muito além encontrado em qualquer outro lugar do mundo no momento.

As principais cidades da Suméria foram Kish, Uruk (na Bíblia, Erech), Ur, Sipar, Akshak, Larak, Nippur, Adab, Umma, Lagash, Bad-tibira, Larsa e outras. Cada uma dessas cidades-estado era murada e adorava a sua própria divindade, cujo templo era a estrutura central da cidade. O poder político pertencia originalmente aos cidadãos, como a rivalidade e as guerras entre as várias cidades-estados aumentaram, cada um adotou a instituição da realeza, de modo a ter uma liderança pronta e permanente quando a crise surgia.

ZIGGURATES

Ao contrário dos egípcios, os sumérios não construíram pirâmides, em vez disso, construíramZiggurats. Estes Ziggurats eram enormes estruturas, feitas de tijolo e comparável em tamanho a uma pirâmide. Na aparência se assemelhavam a uma pirâmide de degraus. Mas eles não eram túmulos, eram templos, às vezes com terraços plantados com árvores, esfrega e flores. Semelhante em uso de pirâmide templos nas Américas.  

Praticamente tudo o que sabemos das primeiras dinastias sumérias, é de histórias épicas sumérios e da lista de reis sumérios, (escritas cerca de 2100 aC). De acordo com esta lista de reis – um dos primeiros documentos históricos – oito reis da Suméria reinaram antes da famosa enchente de velho testamento.

.

OUTRAS IMAGENS

Gudea_set_1

.

Os Sumérios foram os primeiros a fabricar barcos e muitas das suas invençoes foram depois aperfeiçoadas por outros povos como por exemplo, tanto os barcos como a cerveja foram melhoradas, pelos egípcios.

Sumer_boat (1)

Sumer_statue3

Sumer_jar2

.

LEGADO DOS POVOS DO ANTIGO EGITO

Em O Legado do Antigo Egito, o egiptólogo Warren R. Dawson, da Universidade de Oxford, na Inglaterra, cita papiros médicos datados de até mais de 40 séculos atrás retratando procedimentos médicos e remédios usados até hoje por profissionais da área de saúde. Substâncias como óleo de rícino, ácido acetilsalicílico, própolis para cicatrização e anestésicos já eram conhecidas. Os documentos descrevem cirurgias delicadas, o engessamento de membros com ossos quebrados e todo o sistema circulatório do corpo humano.

Os egípcios dominavam métodos avançados para amputação de membros e cauterização e davam pontos para fechar incisões… Os dentistas já usavam brocas, drenavam abscessos e faziam próteses de ouro.

A medicina não foi a única ciência em que os egípcios se desenvolveram. Eles foram engenheiros notáveis em química, construção civil, naval e hidráulica.

Eles criaram os melhores barcos militares e a frota mais veloz. A chamada nau de Quéops, com 47 metros de comprimento e datada da Quarta Dinastia (2589 a 2566 a.C.), é a mais antiga embarcação desse porte encontrada até hoje. Num barco ainda maior, durante o governo do Necho II (610 a 595 a.C.), eles já haviam realizado a circunavegação da África.

Quem acredita que o primeiro navegador a dobrar o cabo das Tormentas, no sul da África, foi o português Bartolomeu Dias, em 1488, precisa rever seus conceitos.

A roda para bombear água movida a tração animal também vem do Egito, no tempo dos romanos, entre 30 a.C. e 395 d.C.

Na construção civil, os egípcios foram grandes mestres. Construções como as grandes pirâmides, a esfinge e as estátuas no Vale dos Reis estão entre as estruturas mais belas e requintadas da Antiguidade, mas os exemplos do impressionante uso da pedra, da marcenaria e da fabricação do vidro estão por todo o Egito.

Na Terceira Dinastia, por volta de 2700 a.C., já se cortavam pedras no tamanho e no formato dos tijolos atuais.

Os egípcios criaram também os primeiros serrotes de metal. Eram utilizados em rochas menos duras, como o calcário.

A primeira barragem pluvial de que se tem notícia data do final da Segunda Dinastia (2750 a.C.) […] A engenharia egípcia também foi a primeira a utilizar réguas, esquadros e prumos. Eles foram os inventores do vidro moldado, processo ainda presente em alguns setores da fabricação de vidro opaco. A técnica do sopro foi desenvolvida posteriormente na Mesopotâmia. A base da tecnologia da fundição do bronze e de outros metais no mundo todo também veio do Antigo Egito.

Os egípcios eram caprichosos joalheiros e marceneiros.  Já produziam móveis dobráveis e foram os precursores das camas com estrado.

 A indústria da panificação também vem dos egípcios, bem como a adição de frutas e temperos aos pães”

O mapeamento celeste foi feito por egípcios e mesopotâmicos. Aos egípcios coube o reconhecimento das estrelas para contar as horas de noite e a montagem do primeiro calendário solar, com 365 dias em 12 meses. Foram eles também que dividiram o dia em 24 horas, 12 para a noite e 12 para o dia. Identificaram planetas como Vênus e Marte e estrelas como Sirius e Órion e localizaram o norte pelo posicionamento das estrelas.

Os egípcios foram químicos valiosos. Pioneiros na indústria de perfumes e excelentes técnicos na área de cosméticos

Instrumentos como harpa, flauta, trombeta de metal, oboé e dois tipos de alaúdes, o menor com um som parecido ao do violino, também são originários da terra dos faraós, bem como jogos de tabuleiro e brincadeiras infantis como cabra-cega e amarelinha.

No mundo dos faraós as mulheres tinham poder e direitos de dar inveja a diversas sociedades contemporâneas.

Conquista como o divórcio, que, no Brasil, só aconteceu na década de 1970, era uma prática aceita naquela sociedade, inclusive quando solicitado pela própria mulher, afirma a professora Margaret Bakos.  A poligamia não era proibida, mas a responsabilidade financeira que um egípcio tinha com suas mulheres o fazia pensar muito antes de ter mais de uma esposa. A egiptóloga diz que não havia qualquer referência nos papiros em relação à virgindade ou à restrição do sexo apenas com finalidade de procriação.“Há registros de pessoas que foram incriminadas por terem conduzido um aborto que resultou na morte da mulher.” Havia sacerdotisas, agricultoras, escribas e donas de seus próprios negócios (padarias, peixarias) e galgavam com méritos próprios posições hierárquicas. Pelos registros encontrados, o valor do pagamento por seus trabalhos era igual ao dos homens. O homem e a mulher tinham posição de igualdade perante a lei. A mulher podia herdar, deixar heranças, trocar e vender propriedades e escravos.

.

IMAGENS DOS PRIMEIROS EGÍPCIOS E OUTROS POVOS ANTIGOS E SEUS LEGADOS PARA A HUMANIDADE

Netjerikhet Djoser (Zoser), o segundo rei da terceira dinastia do Egito, e seu grão-vizir e arquiteto “Imhotep”  contruíramr primeira estrutura de pedra Monumental já criado, a pirâmide Step.

Observacão: Ele era negro, assim como todos os antigos egípcios e todos os primeiros seres humanos no planeta.

.

Abaixo temos um alto oficial do rei Zoser, chefe dos dentistas e médicos, assim como carregava outros títulos (Ele era negro)

Hesire_1 (1)

.

Abaixo temos Khufu, segundo rei da 4 ª dinastia e construtor de pirâmides do Egito. Foi ele, quem construiu a Grande Pirâmide de Gizé, uma das sete maravilhas do mundo antigo.

Observaçao: Khufu era negro

O escriba Ptah-Shepses e Nefer Hetepes eram negros, assim como todos os egípcios eram negros. Basta observar as imagens originais ou antigas antes que a “Raça Adâmica” de Allan Kardec fizesse as adulteraçoes, transformando-os em brancos.

Soldados egípcios. Existe alguma dúvida de que eram negros?

Sold

.

Senusret II, quarto rei da 12 ª dinastia do Egito, também negro

Senusret_III

.

OS INDÍGENAS NA VISÃO DE  ALLAN KARDEC

As raças a que chamais selvagens são formadas de Espíritos que apenas saíram da infância e que na Terra se acham, por assim dizer, em curso de educação, para se desenvolverem pelo contacto com Espíritos mais adiantados.

Vêm depois as raças semicivilizadas, constituídas desses mesmos os Espíritos em via de progresso. São elas, de certo modo, raças indígenas da Terra, que aí se elevaram pouco a pouco em longos períodos seculares, algumas das quais hão podido chegar ao aperfeiçoamento intelectual dos povos mais esclarecidos. Os Espíritos em expiação, se nos podemos exprimir dessa forma, são exóticos, na Terra; já tiveram noutros mundos, donde foram excluídos em conseqüência da sua obstinação no mal e por se haverem constituído, em tais mundos, causa de perturbação para os bons. Tiveram de ser degradados, por algum tempo, para o meio de Espíritos mais atrasados, com a missão de fazer que estes últimos avançassem, pois que levam consigo inteligências desenvolvidas e o gérmen dos conhecimentos que adquiriram.

Daí vem que os Espíritos em punição se encontram no seio das raças mais inteligentes.

Por isso mesmo, para essas raças é que de mais amargor se revestem OS infortúnios da vida. E que há nelas mais sensibilidade, sendo, portanto, mais provadas pelas contrariedades e desgostos do que as raças primitivas, cujo senso moral se acha mais embotado. O Evangelho Segundo o Espiritismo, Cap. 3 – Há muitas moradas na casa de meu Pai. (O Evangelho segundo o Espiritismo, cap. III, itens 13 a 15.)

.

A Ignorância de Kardec sobre a história do Povo Indígena

MAIAS

Grosser_Tempel_in_Palenque

.

ÍNCAS

Machu_Picchu_-_Juin_2009_-_edit

 This picture was taken and modified by Martin St-Amant.

.

Depoimento de Mancio Serra de Leguisamo sobre os Incas

Em Cusco em 1589, Mancio Serra de Leguisamo – o último sobrevivente dos primeiros conquistadores do Peru – escreveu no preâmbulo de seu testamento o seguinte, em partes:

Encontramos esses reinos em tal bom estado, e os Incas os governavam de maneira tão sabia, que entre eles não havia um ladrão ou um viciado, não havia uma adúltera, ou sequer uma mulher má admitida entre eles, não havia tampouco pessoas imorais. Os homens tinham ocupações honestas e úteis. As terras, florestas, minas, pastos, casas e todos os tipos de produtos eram controlados e distribuídos de tal forma que cada um sabia o que lhe pertencia, sem que outro tomasse ou ocupasse algo alheio, ou fizesse queixas a respeito… o motivo que me obriga a fazer estas declarações é a libertação da minha consciência, visto que me considero culpado. Pois destruímos, com nosso mal exemplo, as pessoas que tinham tal governo como o que era desfrutado por esses nativos. Eram tão livres do cometimento de crimes ou excessos, tanto os homens quanto as mulheres, que o índio que tinha 100 000 pesos em ouro e prata em sua casa a deixava aberta, meramente deixando uma pequena vara contra a porta, como sinal de que seu mestre estava fora. Com isso, de acordo com seus costumes, ninguém poderia entrar ou levar algo que estivesse ali. Quando viram que colocávamos cadeados e chaves em nossas portas, supuseram que fosse por medo deles, para que eles não nos matassem, mas não porque acreditassem que alguém poderia roubar a propriedade de outro. Assim, quando descobriram que havia ladrões entre nós, e homens que buscavam fazer as suas filhas cometerem pecados, nos desprezaram

.

Cirurgia Inca. Observe-se o crescimento do tecido ósseo em volta do corte, indicando a sobrevida do paciente

Cirurgia Inca

Cirurgia Inca

.

Depoimento de Bartolemé de Las Casas em um ” breve relato sobre a devastação das Índias” . (1542)

As Índias (Américas) foram descobertas no ano de 1492. No ano seguinte, um grande número de espanhóis foram pra lá com a intenção de colonizar a terra. Assim, 49 anos se passaram desde que os primeiros colonos penetraram na terra. Um deles afirmou a respeito da nova terra descoberta:

Em torno, e em todas as direções haviam muitas ilhas, algumas grandes, outras pequenas, e todas elas eram, como vimos com nossos próprios olhos, densamente povoadas com povos nativos chamados de índios. Esta grande ilha na qual aportamos é, talvez, o lugar mais densamente povoado do mundo. Deve haver perto de duzentas léguas de terra na ilha, e o litoral foi explorado por mais de dez mil léguas, e cada dia mais está sendo explorado. E toda a terra até agora descoberta é uma colméia de pessoas. É como se Deus tivesse lotado estas terras com a grande maioria da humanidade.

E de todo o universo infinito da humanidade, essas pessoas são as mais sinceras, as mais desprovidas de maldade e duplicidade, as mais obedientes e fiéis a seus senhores nativos e aos cristãos espanhóis a quem elas servem. Elas são, por natureza, as mais humildes, pacientes e pacíficas, sem ressentimentos, livres de confusões, nem excitáveis e nem briguentas. Essas pessoas são totalmente desprovidas de rancores, ódios, ou desejos de vingança entre todos os povos do mundo. E porque elas são tão fracas e complacentes, são menos capazes de suportar o trabalho pesado e logo, morrerem, não importando o mal. Os filhos de nobres, entre nós, trazidos para os prazeres ou refinamentos da vida, não são mais delicados do que são esses índios, mesmo entre aqueles que pertencem ao mais baixo nível de trabalhadores. Eles também são pessoas pobres, não só porque eles possuem pouco, mas porque eles não tem nenhum desejo de possuir bens materiais. Por esta razão, eles não são arrogantes, amargurados, ou gananciosos.Suas refeições são tais que o alimento dos Santos Padres no deserto dificilmente poderia ser mais parcimonioso, escasso, e pobres. Quanto ao seu vestuário, eles vivem geralmente nus, usando apenas uma espécie de tapa-sexo.. E quando eles cobrem seus ombros é com um pano quadrado não mais do que duas varas de tamanho. Eles não têm camas, mas dormem em uma espécie de esteira, ou então em uma espécie de rede suspensa. Elas são muito limpos em suas pessoas, mentes inteligentes, dóceis e abertos à doutrina, muito aptos a receber a nossa santa fé católica, sendo capazes de ser dotados de costumes virtuosos, e de se comportar de forma piedosa. E uma vez que eles começam a ouvir as notícias da Fé, eles são tão insistentes em saber mais, em tomar os sacramentos da Igreja e observação do culto divino, que, na verdade, os missionários que estão aqui precisam ser dotados por Deus com grande paciência, a fim de lidar com tal ânsia. Alguns dos espanhóis seculares que estiveram aqui por muitos anos dizem que a bondade dos índios é inegável e que se este povo talentoso podesse ser levado a conhecer o único e verdadeiro Deus, eles seriam as pessoas mais felizes do mundo.

No entanto, para este redil, para esta terra de paragens mansas, vieram alguns espanhóis que imediatamente se comportaram como vorazes bestas selvagens, lobos, tigres ou leões que haviam ficado sedentos por muitos dias. Nos últimos quarenta anos, até o presente momento, eles ainda estão agindo como bestas vorazes, matando, aterrorizando, afligindo, torturanda e destruindo os povos nativos, fazendo tudo isso com os mais estranhos e variados novos métodos de crueldade, nunca visto ou ouvido falar antes, e a um tal grau que a ilha de Hispaniola antes populosa (possuindo uma população estimada em mais de três milhões), tem agora uma população de apenas duzentas pessoas.
Fonte: Bartolemé de Las Casas, breve relato sobre a devastação das Índias . (1542)

.

Descrição dos “Hotentotes” segundo Allan Kardec

6 – Por que há selvagens e homens civilizados? Se tomarmos uma criança hotentote recém nascida e a educarmos nas melhores escolas, fareis dela, um dia, um Laplace ou um Newton?
(…) Em relação à sexta questão, dir-se-á, sem dúvida, que o Hotentote é de uma raça inferior; então, perguntaremos se o Hotentote é um homem ou não. Se é um homem, por que Deus o fez, e à sua raça, deserdado dos privilégios concedidos à raça caucásica? Se não é um homem, porque procurar fazê-lo cristão?
KARDEC, Allan. O Livro dos Espíritos. Instituto de Difusão Espírita. Araras, São Paulo. sem data. capítulo V, p. 126, 127.

O Educador Allan Kardec desconhecia os grandes feitos do Povo Khoisan. Julgou um povo inteiro de forma completamente irresponsável e superficial baseado em NADA a não ser a cor da pele.

HOTENTOTES OU POVO KHOISAN são os primeiros povos a habitar a europa. Milhares de anos antes que as grandes obras de arte européia sonhassem em existir, os “hotentotes” já faziam obras de arte como esta abaixo:

Lascaux_0

Exemplos de Hotentotes (Khoisan) modernos

.

COMO SURGIRAM OS BRANCOS

African_albino

O mais antigo conhecido europeu moderno – um homem ou uma mulher que caçavam veados e reuniu frutas e ervas em florestas antigas mais de 35.000 anos atrás. Foi criado por Richard Neave, um dos principais cientistas forenses da Grã-Bretanha, a partir de fragmentos fossilizados de crânio e mandíbula encontrados em uma caverna há sete anos.(BBC)

article-0-04CC6112000005DC-990_468x550

.

ALBINISMO ENTRE ANIMAIS

albino-11-640x240

Estes leões albinos, cruzando-se vão formar uma nova geracão de albinos. Isto funcionou da mesma forma com os humanos. Na antiguidade só existiam humanos negros e os albinos gerados a partir deles são os humanos brancos de hoje.

Todos os gregos antigos eram negros. Apolo era negro, Zeus era negro, Afrodite era negra. O homem faz os seus deuses sempre à sua imagem e semelhanca. Os egípcios eram negros e seus deuses eram negros. Os gregos antigos eram negros e seus deuses eram negros. Pesquisem e verifiquem em fontes confiáveis.

Todas as imagens de egípcios antigos brancos que vocês vêem são imagens adulteradas e mentirosas.
Todas as imagens de hebreus brancos como personagens da bíblia brancos, é uma mentira descarada e maldosa. Todos os hebreus e primeiros seres humanos eram negros.

.

PROVA FINAL DA IGNORÂNCIA DE ALLAN KARDEC 

quando afirma que:

Mais adiantada do que as que a tinham precedido neste planeta, a raça adâmica é, com efeito, a mais inteligente, a que impele ao progresso todas as outras. A Gênese no la mostra, desde os seus primórdios, industriosa, apta às artes e às ciências, sem haver passado aqui pela infância espiritual, o que não se dá com as raças primitivas, mas concorda com a opinião de que ela se compunha de Espíritos que já tinham progredido bastante. (A Gênese » A Gênese. Capítulo XI – Gênese espiritual. Raça adâmica)

OBSERVE A BÍBLIA ABAIXO:

Ela mostra todos os personagens bíblicos negros, isto é, mostra como os hebreus eram realmente quanto a cor da pele.

008-03-capa-da-bc3adblia-de-1611

 ADÃO E EVA 

A foto abaixo, de ADÃO E EVA,  foi retirada da bíblia acima, de 1611. Apesar de já ser uma bíblia adulterada nesta época, pode ver que Adão e Eva eram negros.

ADAM (ADÃO) E CHAVVAH (EVA)

.

Conclusão:

Não existe e nunca existiu nenhuma “RAÇA ADÂMICA”. Toda a teoria sobre a evolução espiritual de Allan Kardec é uma grande mentira e uma grande farsa. São inúmeros os erros nos quais ele se embasou para escrever e fundar a sua doutrina que nunca pode se chamar ciência. O que existe é a proposta de uma grande divisão de classes e de pessoas promovendo a desigualdade entre elas,  ao mesmo tempo em que promove o racismo e a discriminaçao. Nenhum ser humano tem competência para classificar pessoas em inferior e superior espiritualmente , ficicamente e de nenhuma maneira. Ninguém pode dizer também coisa alguma, ou determinar quem é ou não, evoluído espiritualmente. 

Fontes:

Phrénologie spiritualiste et spirite. Perfectibilité de la race nègre. Revue Spirite. Journal d‟etudes psychologiques. 5º année, avril, 1862.

La Phrénologie et la Physiognomonie. Revue Spirite. Journal d‟etudes psychologiques. 3º année, juillet, 1860.

La tête de Garibaldi. Revue Spirite. Journal d‟etudes psychologiques. 4º année, mars, 1861.

Allan Kardec. A Gênese. Rio-RJ: FEB, 1995.

_________. O Livro dos Espíritos. Rio-RJ, 1995.

Sites e revistas:

FEDELI, Orlando. Allan Kardec, um racista brutal e grosseiro. MONTFORT Associação Cultural: http://www.montfort.org.br/; capturado em 09/01/2006.

SOBRINHO, Paulo da Silva Neto. Allan Kardec, um racista brutal e grosseiro?!?: http://www.espirito.org.br/portal/artigos/paulosns/allan-kardec-um-racista.html

FIGUEIREDO, Paulo Henrique de. O polêmico texto de Kardec sobre a raça negra. Revista Universo Espírita. Ano 2, nº 24, 2005.

Bibliografia

APPIAH, Kwame Anthony. Na casa de meu pai: a África na filosofia da cultura. Rio de Janeiro: Contraponto, 1997.

CAVALCANTI, M. L. O Mundo Invisível: Cosmologia, Sistema ritual e noção de pessoa no espiritismo. Rio de Janeiro: Zahar, 1983.

DAMAZIO, Sylvia F. Da elite ao povo: advento e expansão do Espiritismo no Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1994.

DARMON, Pierre. Médicos e assassinos na Belle Époque: a medicalização do crime. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1991.

GIUMBELLI, Emerson. O cuidado dos mortos: uma história da condenação e legitimação do Espiritismo. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 1997.

SANTOS, Patrícia Teixeira. “A África ou a morte!”: o projeto civilizatório católico para a África Central. (1864-1881). Mimeo.

SCHWARCZ, Lilia Moritz. O espetáculo das raças: cientistas, instituições e questão racial no Brasil, 1870-1930. São Paulo: Companhia das Letras, 1993.

SILVA, Eliane Moura. O Espiritualismo no século XIX: reflexões teóricas e históricas sobre correntes culturais e religiosas. Campinas: Editora da Unicamp, 1997.

SILVA, Fábio Luiz. Espiritismo: história e poder (1938-1949). Londrina: EDUEL, 2005.

STOLL, Sandra Jacqueline. Espiritismo à brasileira. São Paulo: Edusp, 2003

http://www.exsurge.com.br/apologeticas/espiritas/textos%20espiritas/oracismodeallankardec.htm

Allan Kardec, O Livro dos Espíritos, Instituto de Difusão Espírita, Araras, São Paulo, sem data, capítulo V, p. 126, 127.

Allan Kardec, A Gênese, Cap. XI – Gênese Espiritual, 29-32.

Allan Kardec, Obras Póstumas, retirado dehttp://www.amplasistemas.com.br/sites/kardec/htmlpublico/kardec001/ppo2191.htm.

http://www.mempphis.edu/egypt/main.html

http://www.egipto.com/museo/

http://www.egyptianmuseum.gov.eg/

http://super.abril.com.br/ciencia/fantastica-ciencia-antigo-egito-444035.shtml

http://pt.wikipedia.org/wiki/Incas

70 comentários sobre “Racismo e Mentiras de Allan Kardec

  1. Pingback: A ignorância de Allan Kardec | Ipitanga Com Você

    • POR FAVOR, COLOQUE A FONTE DE ONDE VOCÊ PEGOU A MATÉRIA NO SEU BLOG.PROIBIDA A CÓPIA TOTAL OU PARCIAL SEM O DEVIDO CRÉDITO AO AUTOR E AO SITE. PLÁGIO É CRIME E ESTÁ PREVISTO EM LEI.

      ANPEKLA

  2. Caríssimo(a) irmão(ã) compiladores do anpekla, suas observações em tese são substânciais porém, distorce o conteúdo elaborado pelo professor (Kardec), que por sua vez foi assistido por espíritos auxiliares de Jesus.
    Reservo-lhes o direito de discordar, portanto nutra-se de boas intenções/informações porque essas suas palavras podem fazer grandes estragos em mentes menos esclarecidas!
    Suas citações sobre o Professor Rivail, o negro-hotentote, as civilizações antigas, etc. precisão de uma analise mais apurada.
    Muita Paz!

    • Está mais que provado que estes espíritos auxiliares de Jesus com os quais Allan Kardec se comunicou eram racistas e ignorantes. Pois não tem a menor nocão da aparência do povo hebreu, não tem a menor nocão sobre a história e desenvolvimento até a época da pesquisa de Kardec, não tem a menor nocão do que significa ser evoluido ou atrasado espiritualmente, enfim…São completamente ignorantes.

      • “Está mais que provado…” Tua sentença é de gritante arrogância, compreensível pelo nível moral. Tuas análises restritas somente ao aspecto da matéria não poderia redundar em outra coisa, zombaria. Seja feliz, se isto lhe apraz!

      • Concordo….anpekla..literalmente..e tem mais que pesquisei..em sites na França..que ele era Maçon…e contratado..p/tal escrita..p/mim…um manipulador voltado p/Maçonaria

  3. Olha gente… A coisa é sempre muito séria. Sei que muitos querem encontrar o prato proto e os engole sentido-se totalmente crentes e satisfeitos por estarem fartos. Essa coisa de “discutir” Religião ou não, é coisa interminável. Depois que se tem fama, pode-se deitar na cama, assim falam, e em se tratando de assuntos desse porte… Ah! é muita polêmica. Então acho que é sempre bom ter-se conhecimento mas sei que mesmo esses conhecimentos serão sempre questionáveis. Não adianta, “cada cabeça é um mundo”. Acredito que o homem em toda sua história, sempre teve a sede pelo PODER, pois este “poder” sempre vem acompanhado de dominação. o Forte sempre domina o fraco. Assim essa é minha opinião. Hoje apesar de todas circunstâncias da minha criação Católica, posso me considerar uma pessoa Espiritualista, não tenho Religião alguma, graças a DEUS. Enfim, acredito num Creador de Tudo o que vejo e me é revelado como o Cosmo por exp. Então, até acho válido todas essas questões, como falei, elas sempre virão à tona. Assim é a Vida. Assim é ainda a Humanidade. Pena que sempre terminamos em destruição, em racismo, em preconceitos infundados e coisas ruins. É a vida. Um dia talvez se chegarmos lá, a Evolução seja completa é minha torcida. Pra todos vcs. mesmo assim, muita PAZ. Namastê.

  4. Concordo com o Wanderley. Vocês fazem uma afirmação extremamente arrogante. Fora que, primeiro atacam a pessoa, para depois atacar seus argumentos. Só isso já desmerece seu artigo.

    Outro ponto, vejo um grande erro de interpretação da parte de vocês. No meio espírita se fala muito em “evolução moral” e “evolução intelectual”. Que são bem diferentes. Desses povos antigos, muitos espíritos tinha uma grande evolução intelectual, mas não moral. Prova são os povos que dominavam astrologia, mas faziam sacrifícios humanos.
    Portanto, colocar as contribuições de povos antigos não é provar o erro da obra.

    E me desculpe, pra mim, ignorante é aquele que ATACA outro indivíduo por simplesmente ACHAR que está certo. Discordar, ou contra argumentar TODOS tem o direito. Mas atacar e tentar difamar um nome, é leviano.

    • A pessoa, no caso Allan Kardec, construiu estes argumentos que você diz que eu ataco. A pessoa que expõe argumentos de discriminacão e preconceito contra outros não merece nem respeito e nem consideracão, a não ser por aqueles que apoiam este tipo de atitude em relacão ao outro. Como pode existir evolucão moral e evolucão intelectual dentro de um sistema racista e preconceituoso? E como se pode afirmar que os povos antigos não eram evoluídos moralmente? O seu único argumento, contra os argumentos de escritores e pessoas que conviveram com estes povos antigos, é o fato de praticarem “sacrifícios humanos”. Todos os povos antigos faziam isto? Você tem alguma referência de algum escritor ou historiador da época que afirma isto? Ou você só conhece a versão espalhada pela “raca adâmica”de Kardec? Mas considerando que eles faziam sacrifícios humanos, todos eles, não seria pior que os crimes cometidos pelos evoluíds moralmente ou intelectualmente como você fala. Por exemplo: Tortura, prostituicão infantil, pedofilia, estupro, apedrejamento até a morte de mulheres, perseguicão às minorias que não concordam ou não estão de acordo com a falsa moralidade e hipocrisia estabelecida pelo sistema, suas religiões tinham a mulher em alta consideracão e respeito. Você está expondo a sua visão sem nenhuma fundamentacão histórica e só conhece a versão apresentada pelos povos dominantes. Por favor, vá estudar mais um pouco sobre as civilizacões antigas e sobre quem era realmente o seu ídolo Allan Kardec. Abracos.

      • Nem faço questão de detalhar sobre os povos antigos. Gosto muito de história e falar sobre cada povo seria algo interminável. Só queria usar um exemplo bem genérico, não entrar nos detalhes. Evolução Moral e Intelectual são apenas expressões usadas por Kardec. Você pode chamar do que quiser. Mas eu não entendi uma coisa, você acredita ou não em reencarnação? Pergunto porque se não, nem adianta tocar em certos assuntos.

        E é no mínimo leviano dizer que o espiritismo prega o racismo e desigualdade. Muito da doutrina fecha com ensinamentos de outras religiões. Não te culpo por não acreditar. Nem quero te fazer acreditar. Mas a forma que estas expondo isso é desrespeitosa. Fora que você pegou um trecho do livro, tirou as próprias conclusões e saiu atacando.
        Existe sim, muitos espíritas que são cegos, não estudam e acreditam em tudo o que escutam. Mas isso tem em qualquer religião. E não dá pra desmerecer tudo por causa dessas pessoas. O próprio Kardec dizia que não era para acreditar em tudo, e que TODOS deveriam estudar, ir atrás das informações e que suas obras NÃO eram algo definitivo. Ou seja, as pessoas deveriam continuar estudando. Existe muito mais para se conhecer sobre o assunto.

        E Allan Kardec não é meu ídolo. Pra vocês ver como faz afirmações sem saber.

      • Ana no meu ponto de vista, acho que você não tem que perder tempo debatendo com pessoas que não querem enxergar, e nem estudar, pois os que levam pelo lado da ignorância; cega, é por que não busca fundamento, dentro dos estudos oferecidos. Quem sou eu para falar algo, mas, veja, não tem nexos o que muitas pessoas falam nos comentários.
        Concordo com você sim, você esta certíssima coloque matéria no site que eu e meus amigos e amigas estamos a todo vapor nesses estudos .
        Eu acho que, devemos debater discutir o assunto com conhecimento e fundamentos, com ideias esclarecedoras, e sempre buscando a essência.
        aquele abraço.

  5. Os ensinamentos espíritas sao INCONTESTES, Kardec, em algum momento emitiu opiniões infelizes, mas que não comprometem os ensinamentos espíritas

  6. Pingback: A Farsa sobre Públio Lêntulo e a Carta “Retrato de Cristo” | O Mundo sem Religião

  7. EU ACHO QUE VOCE DEVERIA REVER SUAS FONTES DE PESQUISA,QUANDO AFIRMA QUE KARDEC NÃO TINHA FORMAÇÃO ACADEMICA:

    Falando o alemão, françês, espanhol, italiano e holandês, traduziu para o alemão várias obras de educação e de moral, bem como as obras de Fénelon.

    Foi membro de várias sociedades sábias, tendo sido premiado pela Academia Real de Arras, em 1831 pelo notável trabalho abordando o tema “Qual o sistema de estudos mais de harmonia com as necessidades da época?”. Paralelamente, entre 1835 e 1840 deu cursos gratuitos de Física, Anatomia comparada, Química, Astronomia, entre outros. Inventou um método de ensinar a contar e um quadro mnemónico da História de França. Escreveu muitos livros didáticos, investigador sério e prudente, pensador, filósofo, pedagogo, percursor da moderna parapsicologia, tinha conhecimento do magnetismo humano, tendo sido médico, segundo um dos autores que fez a sua biografia.(2)

    • Como você pode ver e está provado Allan Kardec era TOTALMENTE IGNORANTE em história e era RACISTA. E os próprios livros de Kardec provam isto. Eu sinto muito pela sua fé que não te permite ver a verdade. Que o espiritismo é uma farsa.

  8. Ao autor: você fala no início do artigo de diversos livros desse esquizofrênico racista (Kardec), mas não deixa claro durante as citações (em laranja) a qual livro se referem. Poderia me esclarecer essa dúvida? Desde já, agradeço.

  9. Vamos diferenciar as coisas:
    Kardecismo não é espiritismo. Espiritismo não é a doutrina de Kardec.

    A lógica desse artigo eque se Kardec era racista, o que provavelmente era, dado o local e o momento histórico em que vivia, então o espiritismo é racista.

    Essa afirmação poderia ser verdadeira se o espiritismo fosse a doutrina de Kardec, o que não é.

    Outro problema do artigo e principalmente da postura nas respostas é o ad hominem. Se fizermos isso estaríamos desconsiderando grandes avanços realizados por Einstein, Freud, Darwin, entre outros.

  10. Olá, Ana. De vez em quando leio seus textos e gosto muito.
    Pois bem, sou professor universitário e gostaria de fontes desses escritos de Kardek. Onde posso encontrar?
    Obrigado,
    Até.

  11. Nunca li tanta besteira! Kkkkkkkkkkk allan kardec NUNCA falou que quem é negro tem o espírito mais evoluído! No kardecismo todos somos iguais. Existem muitos espíritos evoluídos que são negros, pesquisa melhor 😉

  12. antes de tudo quero agradecer pelo site, sou medium independente-sem religião, mas não concordo com Alan Kardec, julgar a evolução espiritual das pessoas pela cor e pela raça, julgar a pessoa pela aparencia é absurdo, mas pior que isso são as justificativas dos defensores. Há pessoas com boa e má indole em todos os povos e em todas as épocas, e em todas as religiões, em todos os povos sempre houveram pessoas que buscaram a paz, e exortavam o amor ao próximo, e o desenvolvimento das virtudes. Os espíritos que escreveram tais aberrações não são mensageiros de Deus. Esse négocio de raça adâmica vinda de outro planeta, pode ter influenciado o conceito de raça ariana de Hitler e de muitas outras religiões e seitas. Pessoalmente não acredito que os livros de Kardec tenham sido psicografados por influência moral de nenhum espirito “evoluído”, isso é apenas afirmado para que suas definições sejam melhor aceita pela boa-fé das pessoas, parace que no Brasil isso funciona bem.
    O pior cego é aquele que não quer ver, a maioria dos espiritas dependem psicologicamente de Alan Kardec, se em algum momento ficasse comprovado de que os ensinamentos de Kardec são ultrapassados ou falsos tão quanto os fenômenos mediúnicos das irmãs Fox, acho que muitos enlouqueceriam.

    Anpekla que Nosso Senhor Jesus Cristo e a Rainha Santíssima abençoe a sua coragem e a sua busca pela verdade.

    abraço
    Maxmiller

  13. Max, não fala besteira como esse blogueiro. É fácil compilar de sites e colocar aqui sem antes provar que é verdadeira ou mentira. Leia as 7 obras compiladas de Alan Kardec, ele não é o fundador do Espiritismo, foi apenas um codificador. As 7 obras recentes não foram adulteradas. Onde você leu isso? Por que os grandes propagadores do Espiritismo mentiriam, o que ganharam com isso? Aponte um espírita do vulto de Alan Kardec, Chico Xavier ou Eurípides Basanulfo que tenha morrido rico! Todos morreram muito pobres, sabe por que? Não se leva nada dessa vida quando se desencarna! Jesus só pediu duas coisas aos seres humanos: amar ao próximo e praticar a caridade. Será que você é capaz de fazer isso assim como o Max? Conheço médiuns que ganham muito dinheiro com seu dom! Max é um exemplo. E você, caro amigo dono deste blog, haja com mais educação e inteligência ao responder aos comentários. Não me convenceu em nada. Não sou ignorante. Sou professora concursada com 2 matrículas públicas e com doutorado! Se pudesse dizer a caridade que faço, motivada pelo que acredito no Espiritismo, estaria sendo orgulhosa, pois, segundo Jesus, “uma mão não pode saber o que a outra faz!”. E muito cuidado ao propagar inverdades, você será cobrado por isso. De mil pessoas que lêem este besteirol e acredita, você dará conta mil vezes disso. Lei de causa e efeito, científico, não é só religioso.

    • Incrível…uma professora que constrói a educação deste país dizer tanta besteira. Pra defender Allan Kardec se esquece de que se ele publicou as porcarias que publicou é porque concordou com as porcarias ditadas pelos espíritos e se a Sra. é espírita segue uma doutrina mentirosa, racista e ditada por mentes inferiores e maldosas Marcia Cristina. Sinto pelos seus alunos….sinto muito mesmo.

  14. E o que a senhora diz a respeito do livro de Kant sobre o belo e o sublime? Ou sobre Karl Marx que defendia a invasão do México pelos EUA, uma vez que isso levaria o “progresso” para aquele “povo preguiçoso”? Qual o sentido de atacar as religiões, quando humanistas sem religião defendiam o mesmo pensamento, que era a mentalidade dominante na Europa, no século XVIII e XIX?

  15. O título do blog é interessante: Por um mundo sem religião. No entanto, a defesa quase suplicante de um ponto de vista, margeia a religião! “não olhei os nossos pecados, mas a fé que anima a vossa igreja”. O que vale a pena, é o resultado que se alcança com os ensinamentos. Falou-se do passado, mas, e o presente? Os resultados alcançados no presente é o que importa. Todos se beneficiam dos avanços médicos e muitos foram alcançados graças à experiências sádicas com judeus. Esta discussão é improdutiva e deveríamos ganhar tempo disseminando o conhecimento filtrado das más intenções. Que cada um veja a luz, sem temer, devido às más condutas!

    • Assassinos no passado não deixam de ser assassinos no presente e quem os defende é cúmplice. Allan Kardec era um racista e um ser humanos da pior espécie. E que fazer crer que os seus seguidores são melhores que ele?

  16. A parte crítica é sobre a superioridade da raça adâmica. Nos moldes que foi passado, é coerente pois vieram dar um impulso ao homem que parece que, à época, vivia nas cavernas. A superioridade intelectual existe, é notória e não deve servir de base para conotações racistas. Temos contrastes vertiginosos ainda hoje, e pode também se especular que muitos homens da caverna deram um “salto” na evolução como também alguns adâmicos tenham se estagnado por se corromper pelo gosto do poder, afinal o domínio se deu sobre os nativos por meios diversos. O que não é tolerável seria justamente esse domínio na maioria das vezes ter se dado de forma violenta, opressiva em todos os aspectos. Deve-se lembrar também que, apesar da superioridade da raça adâmica, estes também eram criminosos no seio da civilização onde coexistiam e tal migração ocasionaria um misto de kharma e dharma para esse grupo.

  17. Olha pessoa, se Deus realmente for como o filho da p….RACISTA do Allan Kardec definia, então nós estamos bem “arrumados”. Um Deus segregacionista, racista, que nos castiga e nos pune por tão pouco. É por isso que eu tenho ódio mortal da Doutrina Espírita.

  18. Eu to passada com tanta besteira q li a pessoa q escreveu este texto ta muito mal informada acho que leu algumas paginas de algum livro espirita e chegou a esta conclusao absurda, olha o melhor meio de se esclarescer sobre o espiritismo é estudarmos previamente a teoria, os fatos virao depois naturalmente, e serao facilmente compreendidos, a ignorancia dos principios fundamentais é a causa das falsas apreciaçoes da maioria daqueles q querem julgar o que nao compreendem, aquele q quer cm seriedade instruir se deve por tanto arma se de paciencia e de perseverança e sujeitar se ao q for necessario pois de outra maneira é melhor nao se ocupar cm esse assunto

  19. DEUS É MAIOR QUE TUDO E QUE TODOS,NÃO PRECISO SEGUIR KARDEC,TENHO JESUS COMO CAMINHO A SER TRILHADO PARA CHEGAR AO PAI,E AQUELE QUE Ñ SEGUIR JESUS Ñ ACHARA O CAMINHO,NEM A VERDADE E NEM A VIDA,TUDO QUE DIVERGE DAS ESCRITURAS ,DA BIBLIA É BALÉLA ,MENTIRA ,ERRO ,SEJA CRISTÃO E NÃO KARDECISTA,É APENAS UM HOMEM FALHO E CEGO E IGNORANTE E CHEIO DE PECADOS,ASSIM COMO MUITOS DE NÓS. QUANDO SE FALA DE DEUS NUNCA MUDE AQUILO ESCRITO POR ELE.

  20. É interessante notar que nossos críticos, na tentativa de desmerecerem o Espiritismo, não medem conseqüências ao construir seus disparates. O que se percebe é que o Espiritismo incomoda muito certas pessoas e determinados grupos religiosos. Por que será que isso acontece? Quando uma coisa não tem nenhum valor, ninguém se preocupa com ela, mas quando se gastam muito tempo, tinta e papel, para tentar derrubar a Doutrina Espírita, é porque os contrários a vêem como algo de valor. Se bem que não é propriamente valor, pois é certo que mais vêem nela um perigo. Daí se explicar esse combate sistemático, muito embora explicar não seja justificar. Mas que tipo de perigo é esse? É o perigo de desestruturar toda a nefanda teologia dogmática, que vem sendo passada de geração a geração, teologia essa usada para manter o “status” de poder para uns e de dinheiro para outros.

    E assim se cumpre um famoso ditado: “Só se atiram pedras em árvore que dá frutos”.

  21. Em diversos pontos de sua obra, Allan Kardec se refere aos Espíritos encarnados em tribos incultas e selvagens, então existentes em algumas regiões do Planeta, e que, em contato com outros pólos de civilização, vinham sofrendo inúmeras transformações, muitas com evidente benefício para os seus membros, decorrentes do progresso geral ao qual estão sujeitas todas as etnias, independentemente da coloração de sua pele.
    Na época de Allan Kardec, as idéias frenológicas de Gall, e as da fisiognomonia de Lavater, eram aceitas por eminentes homens de Ciência, assim como provocou enorme agitação nos meios de comunicação e junto à intelectualidade e à população em geral, a publicação, em 1859 – dois anos depois do lançamento de O Livro dos Espíritos – do livro sobre a Evolução das Espécies, de Charles Darwin, com as naturais incorreções e incompreensões que toda ciência nova apresenta. Ademais, a crença de que os traços da fisionomia revelam o caráter da pessoa é muito antiga, pretendendo- se haver aparentes relações entre o físico e o aspecto moral.
    O Codificador não concordava com diversos aspectos apresentados por essas assim chamadas ciências. Desse modo, procurou avaliar as conclusões desses eminentes pesquisadores à luz da revelação dos Espíritos, trazendo ao debate o elemento espiritual como fator decisivo no equacionamento das questões da diversidade e desigualdade humanas.
    Allan Kardec encontrou, nos princípios da Doutrina Espírita, explicações que apontam para leis sábias e supremas, razão pela qual afirmou que o Espiritismo permite “resolver os milhares de problemas históricos, arqueológicos, antropológicos, teológicos, psicológicos, morais, sociais, etc.” (Revista Espírita, 1862, p. 401). De fato, as leis universais do amor, da caridade, da imortalidade da alma, da reencarnação, da evolução constituem novos parâmetros para a compreensão do desenvolvimento dos grupos humanos, nas diversas regiões do Orbe.

    Essa compreensão das Leis Divinas permite a Allan Kardec afirmar que:

    “O corpo deriva do corpo, mas o Espírito não procede do Espírito. Entre os descendentes das raças apenas há consangüinidade.” (O Livro dos Espíritos, item 207, p. 176.)

    […] o Espiritismo, restituindo ao Espírito o seu verdadeiro papel na Criação, constatando a superioridade da inteligência sobre a matéria, faz com que desapareçam, naturalmente, todas as distinções estabelecidas entre os homens, conforme as vantagens corporais e mundanas, sobre as quais só o orgulho fundou as castas e os estúpidos preconceitos de cor. (Revista Espírita, 1861, p. 432.)

    Com a reencarnação, desaparecem os preconceitos de raças e de castas, pois o mesmo Espírito pode tornar a nascer rico ou pobre, capitalista ou proletário, chefe ou subordinado, livre ou escravo, homem ou mulher. De todos os argumentos invocados contra a injustiça da servidão e da escravidão, contra a sujeição da mulher à lei do mais forte, nenhum há que prime, em lógica, ao fato material da reencarnação. Se, pois, a reencarnação funda numa lei da Natureza o princípio da fraternidade universal, também funda na mesma lei o da igualdade dos direitos sociais e, por conseguinte, o da liberdade. (A Gênese, cap. I, item 36, p. 42-43. Vide também Revista Espírita, 1867, p. 373.)

    Na época, Allan Kardec sabia apenas o que vários autores contavam a respeito dos “selvagens” africanos, sempre reduzidos ao embrutecimento quase total, quando não escravizados impiedosamente. É baseado nesses informes “científicos” da época que o Codificador repete, com outras palavras, o que os pesquisadores Europeus descreviam quando de volta das viagens que faziam à África negra. Todavia, é peremptório ao abordar a questão do preconceito racial:

    “Nós trabalhamos para dar a fé aos que em nada crêem; para espalhar uma crença que os torna melhores uns para os outros, que lhes ensina a perdoar aos inimigos, a se olharem como irmãos, sem distinção de raça, casta, seita, cor, opinião política ou religiosa; numa palavra, uma crença que faz nascer o verdadeiro sentimento de caridade, de fraternidade e deveres sociais.” (KARDEC, Allan. Revista Espírita de 1863 – 1. ed. Rio de Janeiro: FEB, 2005. – janeiro de 1863.)

    O homem de bem é bom, humano e benevolente para com todos, sem distinção de raças nem de crenças, porque em todos os homens vê irmãos seus. (O Evangelho segundo o Espiritismo, cap. XVII, item 3, p. 348.)

    Abraço!

    • O Allan Kardec é racista sim e a sua chamada filosofia espírita é racista sim, tanto que costumavam chamar os outros espíritas de “baixo espiritismo” e as pessoas que participam de candomblé e umbanda de “irmãozinhos sofredores”. Vocês são da “mesa Branca”e eles? Qual a cor da mesa deles? Preta? Vocês como qualquer religião dividem as pessoas e a raça humana em pecadores que pra vocês são a classe baixa ou sofredora e miserável da sociedade e “evoluídos”que são os brancos e bem situados socialmente. O espiritismo é uma doutrina desprezível que pratica curandeirismo, ilude as pessoas e praticam fraudes e isto está mais do que provado.

      • Adorei o texto e ri à beça com os comentários repetitivos e sem noção desse povo que insiste em defender um racista dos infernos… MAS: dentro da lógica Cristã, Deus não poderia ser um “filicida” porque “Ele é o próprio Filho”… Acho que também nem se encaixaria na definição de suicida (que morre por razões voltadas ao próprio ego)… estaria mais para alguém que se sacrifica em interesse alheio (que morre em razões alheias/altruístas) mesmo…
        Ademais: excelente perspicácia e trabalho com a compilação e estudo destas questões!!! Muito boas análises mesmo! Eu me pergunto se esses espíritas defendem Hitler com o mesmo fervor cego dizendo que ele só queria o melhor para o seu “próprio” povo…

  22. Para que RELIGIÃO se você pode propagar o ÓDIO….. Sinto muito pela sua total falta de respeito com todos que aqui escrevem você é tão estupida que crítica Kardec por ser um mentiroso racista e VC o que é? Você é tão preconceituosa quanto ele,quando não permite que as pessoas exponham sua opinião,VC ofende quem escreve a favor ou quem defende Kardec pois quer impor a qualquer custo a sua verdade,o seu ponto de vista. Hitler foi o causador de milhares de mortes e sofrimentos para estas pessoas ele é um monstro em compensação para outros Hitler é um deus,tudo é ponto de vista mas não podemos nem devemos causar constrangimento com os que aqui se expõem.Ter opinião é ótimo mas ter respeito com o próximo é melhor ainda melhor.

    • Comentários muito agressivos, tendenciosos e vindo de fanáticos eu realmente não publico Flávia. Vá falar para uma criança que acredita em Papai Noel que ele não existe. Ela te bate. Vocês são do mesmo jeito.

  23. Seria possivel colocar uma forma de compartilhar, com o Facebook, colocar um plug-in? Eu luto contra essa religião maligna. Infelizmente, já acreditei nesse monte de baboseira que é o espiritismo, e é como uma doença, virus, que é dificil de largar. Eles pregam o vegetarianismo, mas poucos o praticam. Sou vegetariano por pena dos animais. Continuem na luta, parabéns.

  24. E você também se comporta do mesmo jeito fazendo pirraça como uma criança por isso não faço questão de opinar na maioria das vezes em redes sociais prefiro aprender com quem sabe fazer as pessoas pensarem e não engolirem a todo custo até porquê é dá murro em ponta de faca ,é tolice .

  25. Mas de onde esse diabo tirou essas coisas? Um mané qualquer do século XIX escreve um monte de merda e povo fica seguindo até hoje? Serio mesmo?

  26. dentro de nossas almas somos um além mais de possibilidades, a quem duvida do poder de sí mesmo é só observar os sonhos e a capacidade da imaginação, em espirito herdamos as qualidades criativas da alma, a transmutação´´ porém no corpo físico estamos inseridos em um projeto matriz limitado e que em hipótese alguma revela e nem sequer chega aos pés do poder espiritual em sua pura essência´´ quando alguém fala de um limite aparente e exalta condições físicas nada mais diz do que sua própria dependência física e emocional deste estado limitante e de sua baixa compreensão e análise sobre preceitos mais evoluídos´´ um ser superior é poderosamente criativo e ilimitável em compreensão, revela naturalmente a instância de sua capacidade e não é dependente de nenhuma forma de metodologia doutrina ou formulário de um sistema materialista e limitado´´

  27. dentro de nossas almas somos um além mais de possibilidades, a quem duvida do poder de sí mesmo é só observar os sonhos e a capacidade da imaginação, em espirito herdamos as qualidades criativas da alma, a transmutação´´ porém no corpo físico estamos inseridos em um projeto matriz limitado e que em hipótese alguma revela e nem sequer chega aos pés do poder espiritual em sua pura essência´´ quando alguém fala de um limite aparente e exalta condições físicas nada mais diz do que sua própria dependência física e emocional deste estado limitante e de sua baixa compreensão e análise sobre preceitos mais evoluídos´´ um ser superior é poderosamente criativo e ilimitável em compreensão, revela naturalmente a instância de sua capacidade e não é dependente de nenhuma forma de metodologia doutrina ou formulário de um sistema materialista e limitado´´

  28. Parabéns pelo artigo, sobretudo por expor as fontes.
    Em um país extremamente racista como o BR não é de se admirar que os comentários beirem a loucura para denfender algo esquecendo o ponto central da discussão, a dignidade humana.
    Pra mim ficou mais do que claro que Kardec foi racista, além disso, foi ignorante ao falar e opinar sobre coisas das quais não conhecia. Infelizmente aos que acreditam no espiritismo, se isso não é prova suficiente de uma doutrina formulada em um pilar falso e frágil, não sei mais o que seria.
    A amabilidade, a gentileza, a convivência pacifica entre as pessoas deveria ser algo padrão da raça humana, mas somos animais além de tudo, a evolução diz isso. Não me espanta que sejamos ‘imperfeitos’ em busca de perfeição. Querer que raça se aperfeiçoi é natural, é desejável. Criar artifícios que a empurrem a tal, dependendo de como o faça também, mas há limites claros. Não se pode estimular algo a qualquer custo, principalmente quando o custo é o racismo que leva inevitalmente ao conflito, ao ódio a animosidades sem um pingo de racionalismo. Quando uma doutrina inteira e seus doutrinados defendem tal posicionamento fica claro que estamos diante de algo que pode ser muito mais danoso do que o contrário.

  29. Até quando os kardecistas lutarão para tentar contrariar aquilo que está materializado em todas as obras do Allan Kardec? Seus erros, suas falhas, suas falácias, suas mentiras? Seria um ou dois? Ou são dezenas e dezenas de erros ou afirmações falsas ou que não se sustentam? É preciso antes de tudo que se tenha honestidade coadunando com o suposto princípio “cristão” tão defendido pelos kardecistas e imposto pelo Kardec que, ao contrário de um falso ecletismo, na verdade estava querendo fundar uma religião cristã nova, envernizada com um discurso pseudocientífico? Uma discussão só acaba quando um dos lados se permite admitir a verdade da prova escancarada e infelizmente, como exemplo de fundamentalismo e radicalismo religioso, os pseudointelectuais kardecistas continuam dando um mau exemplo.
    A questão é de honestidade intelectual, nada mais.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s