Como Jesus e os Hebreus se tornaram brancos

Slide10

 

Tradução: Ana Burke

Como os hebreus se tornaram brancos? É óbvio que eles não se transformaram em brancos; só na imaginação, e nas histórias dos  povos de cor branca. Por razões práticas, provavelmente, decidiram que os Hebreus, e também os negros que originalmente viviam no País, deveriam todos tornar-se brancos para a posteridade.

Sem dúvida, houve um momento em que as populações da Europa, ex-bi-raciais, tornaram-se mais homogeneamente brancas, e decidiram que já não podiam reconhecer que tudo o que sabiam e tinham, foram obtidos a partir das mentes e trabalhos de negros – mesmo as suas crenças religiosas. A lógica, sem dúvida, é que os brancos não poderiam atingir o seu pleno potencial, se eles estivessem sempre olhando para os negros, como a personificação do conhecimento e sabedoria. Assim, uma alteração tinha de ser feita, e foi em algum ponto, por alguém, que a mudança começou.

Primeiro, vamos voltar no tempo para ver como eram realmente os Hebreus. As primeiras fotos autênticas de Hebreus reais que temos, datam de antes de Cristo. São afrescos assírios mostrando Hebreus, e outros povos que eles conquistaram, em cenas pictóricas detalhando as batalhas travadas, com textos associados. Estes afrescos são decorações de palácios assírios, e eram, sem dúvida, usados para tripudiar sobre a conquista dos hebreus e outros povos. Aqui estamos usando fotos do: Rei Assírio Shalmaneser III “Obelisco Negro” (858 a.C.). O afresco do Rei Assírio Tiglath-Pilesar III mostra a sua conquista de uma cidade perto do Mar da Galiléia (730 a.C.). O afresco do rei assírio Senaqueribe é da conquista da cidade judaica de Laquis (701 a.C.) […] Estes afrescos estão armazenados no Museu Britânico, em Londres Inglaterra.

Vale ressaltar, que os hebreus eram tão letrados, e tão artísticos como as outras civilizações negras ao redor deles. A razão pela qual nós temos que depender de fontes externas para fotos deles, isto porque os brancos destruíram tudo o que os hebreus haviam criado. Mesmo os escritos religiosos. O fato é que todos os escritos hebraicos, mesmo a Septuaginta {a Bíblia} original, em hebraico (que foi feita para o rei grego do Egito, Ptolomeu II (Filadelfo), em 282-246 a.C.), foi destruída. Tudo, excetuando-se os “Manuscritos do Mar Morto”, que foram encontrados em 1947, em Qumran, uma aldeia situada a cerca de 20 milhas a leste de Jerusalém. Estes inventários estão sob a guarda conjunta da Igreja Católica e dos israelenses. Os conteúdos traduzidos de tais documentos nunca foram tornados públicos, e provavelmente nunca será – sem dúvida, as diferenças de ensinamentos e fatos seriam irreconciliáveis. (Alguns trechos irrelevantes foram tornadas públicos – todo o inventário é um trabalho enorme, que contém todo o Antigo Testamento, além de muitos outros trabalhos).

Por que estes materiais não foram destruídos? Porque depois da queda, a Assíria ficou sob o controle do Império Persa, que era em si um Império Negro. Em seguida, ficou sob o controle dos gregos, que estavam naquela época, buscando fundir-se com os persas negros, não negando que eles eram negros. Então a Assíria ficou novamente sob o controle persa, e, finalmente, sob o controle dos árabes originais que eram negros. Devido a isto, no momento em que os brancos estavam destruindo vestígios da história dos negros, eles não tinham acesso aos artefatos assírios.

Nos momentos em que os brancos assumiam o controle de uma determinada área, eles destruíam todos os vestígios dos antigos habitantes negros. Não existe nada que eles deixaram que sugira que Cartago era uma cidade negra, e a Mesopotâmia e os civilizados vales Indus são alguns dos mais antigos conhecidos, e muito pouco foi salvo – quase nada do Vale Indú. A antiga Anatólia (Turquia), foi o lar de muitas grandes e famosas civilizações, mas muito pouco foi encontrado lá. Os artefatos egípcios, dos quais há muitos, foram em sua maioria recuperados nos tempos modernos, quando os brancos, em vez de simplesmente de destruir, modificavam artefatos, às vezes apenas quebrando o nariz, a fim de que se parecessem com as pessoas brancas, e, em seguida, as exibiam orgulhosamente como prova da grandeza do homem branco.

Os khazars, uma tribo turca que havia estabelecido um reino na região do Cáucaso, e se converteu ao judaísmo no século 8 d.C. deve ter visto os feitos dos romanos e gregos, e viu nisso uma oportunidade para desfazer-se da identidade hebraica e, assim, tomar controle do ramo ortodoxo da religião hebraica – o que de fato fizeram. Eles logicamente pensaram que, se Jesus podia ser branco, por que não, então, toda a nação hebraica – que era até então uma diáspora de qualquer maneira. O islamita contornou toda a questão, proibindo imagens de qualquer espécie.

Disponível em: http://realhistoryww.com/world_history/ancient/Misc/Jesus/Jesus.htm

3 comentários sobre “Como Jesus e os Hebreus se tornaram brancos

  1. Conspiracionistas idiotas, só de ler a primeira imagem a cima de que “se pode perceber que são negros” em uma imagem onde nada disso revela, já vi que são tolos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s