Para líder católico, mulheres que abortam merecem ser estupradas

Para líder católico, mulheres que abortam merecem ser estupradas

Javier Martínez considera ainda que o aborto é mais grave do que crimes provocados pelo nazismo
O arcebispo de Granada, na Espanha, Javier Martínez, causou polêmica durante uma missa, ao afirmar que o estupro é válido em mulheres que já fizeram aborto.
Para Martínez, “matar uma criança dá ao homem a licença absoluta, sem limites, de abusar do corpo desta mulher, porque ela trouxe a tragédia para a própria vida“. As informações são do jornal argentino Diario Registrado.
O religioso espanhol realizava sua homilia no último dia do ano e aproveitou para criticar a Lei do Aborto, na Espanha.
A lei, aprovada pelo governo de José Luis Zapatero (2004-2011), aprovada no primeiro ano do antigo governo, legalizava o aborto para mulheres com até 14 semanas de gravidez, ou em 22, no caso de risco para gestante.
Entretanto,o dispositivo poderá ser revogado pelo recém-empossado governo do PP (Partido Popular), de tendência conservadora e ligado à Igreja Católica.
O arcebispo comparou a medida com o regime nazista de Adolf Hitler. Para ele, os crimes cometidos pelo regime alemão não eram tão repugnantes quanto o ato do aborto.

Para líder católico, mulheres que abortam merecem ser estupradas

Um comentário sobre “Para líder católico, mulheres que abortam merecem ser estupradas

  1. Pingback: Crimes da Igreja Católica | O Mundo sem Religião

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s