Zumbi dos Palmares, o Escravocrata

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas

 

ZUMBI dos Palmares tinha escravos sim.

O que eram Quilombos? Quilombos eram comunidades no Brasil fundadas por indivíduos de descendência africana ( Angola ) que escapavam da escravidão (esses escravos escapados, ou fugidos, eram comumente chamados de Maroons. Os membros dos quilombos muitas vezes retornavam às plantações ou cidades para encorajar os ex-africanos a fugir e se juntar aos quilombos. Se necessário, traziam outros a força sabotando as plantações.

Qualquer um que chegava aos quilombos por conta própria era considerado livre, mas aqueles que eram capturados, sequestrados e trazidos pela força eram considerados escravos e continuavam sendo escravos nos novos assentamentos ou Quilombos. Eles só seriam considerados livres se trouxessem outro cativo ao assentamento.

As mulheres também foram alvo de captura, incluindo pretas, brancas, Índias e mulatas (mulheres de ascendência mista africana e europeia) que foram forçadas a se mudar para Palmares. (eram escravas). Algumas mulheres, no entanto, fugiram voluntariamente para Palmares para escapar dos cônjuges e / ou mestres abusivos. Em pequeno número, homens também foram recrutados para se juntar a Palmares, e até mesmo soldados portugueses que fugiram do recrutamento forçado foram para esse quilombo.

Para quem contesta, em Palmares havia ESCRAVOS. Zumbi tinha ESCRAVOS SIM. As mulheres que viviam no Quilombo dos Palmares eram na sua maioria escravas, assim como os homens capturados.

Tradução Ana Burke

Fonte: Price, R. ed., 1996. Sociedades marrons: comunidades de escravos rebeldes nas Américas. JHU Press.

Uma tradição humana na América Latina colonial . Andrien, Kenneth J., 1951- (2ª ed.). Lanham, Md.: Rowman & Littlefield. 2013. ISBN 9781442212992 . OCLC 839678886 .

Deus está no Comando

Este slideshow necessita de JavaScript.


Por Ana Burke

Quando se diz, “o povo” a pessoa se exclui desse povo. Ele(a) não é e não faz parte do povo. Muitas vezes eu também faço isso mas estou consciente de que eu sou povo. O povo retrata e sustenta o país. O povo precisa de um Cristo, de um mártir, de um herói, de um deus ou de alguém humano que mostre a ele um exemplo a ser seguido ou alguém a quem idolatrar. O povo precisa de Santos e demônios, construídos na sua maioria, por aqueles que não se autodenominam “povo”, para o povo.

O povo precisa de um líder, um pastor, ou ele se desfaz e os indivíduos que fazem parte desse povo se transformam em ovelhas perdidas, sem norte, dispersos e desamparados. O povo precisa de ilusões mais do que de comida e isso é dado a ele em abundância. A esperança trás a conformidade, a inatividade, e enquanto espera por milagres, a vida passa em branco.

Lá fora existe alguém ou alguma coisa que vai trazer a esse povo a satisfação dos seus desejos, a solução para as suas necessidades. O Faraó era deus e o povo se ajoelhava diante desse deus. Ele não era só um governante mas a encarnação daquilo que para o povo era a perfeição. O poder de um homem sobre os outros faz desse homem alguém superior. Assim como o faraó, os REIS eram considerados deuses com poder de vida ou morte e todos se ajoelhavam diante do rei ou o reverenciavam ao vê-lo passar com o seu séquito. O povo é aquele que se submete ao sistema dominante, ou conscientemente, ou de forma insconsciente. Na Coréia do Norte, quando o seu líder Kim Il-sung morreu, o povo se desesperou. Morreu aquele que pra eles era imortal, o seu deus, e isso era inaceitável, inacreditável.

O NÃO-POVO é aquele grupo menor em número, mas com grande poder; e são eles que decidem como vai viver a maioria, impondo a todos costumes, tradições, religião e sistema político que satisfaz e mantenha o poder da Classe dominante. Quanto mais pobre e sem cultura é um país, maior é a submissão e maior é a exploração desse povo que deve trabalhar, incansavelmente, para manter o poder e o luxo de alguns.

Qualquer coisa que venha como resultado do trabalho do povo, para o povo, não é conquista ou mérito desse povo, mas uma caridade do poder governante a quem esse povo deve agradecer ou enaltecer.

Em 2018 teremos eleições no Brasil e o povo já têm os seus heróis escolhidos. Dá-se ao povo a ilusão de que ele tem o poder de escolher o seu governante e que esse governante, um único homem (raramente mulher) vá suprir todas as suas carências.

Não importa o Sistema político. Para o povo, “Deus está no comando”.

Todos à Sua Imagem e Semelhança

Este slideshow necessita de JavaScript.

Ana Burke

A girafa dá a luz à girafinha, sempre à sua imagem e semelhança; cachorros dão à luz à cachorrinhos(as) sempre à sua imagem e semelhança e assim por diante. Seres humanos quando se cruzam dão origem a seres humanos, sempre à sua imagem e semelhança. Quando seres vivos de diferentes espécies se cruzam temos um híbrido como por exemplo:

Jumento + égua = mula.

A mula é normalmente estéril ou seja, o ser resultante de cruzamentos de espécies diferentes originam seres, não semelhantes aos pais, e estéreis.

Bem!
Pombo + Ser humano = ??????????? 
A zoologia não explica.

 

TODAY

Rubens Beserra

1346945977maenam-beachToday I am fine.
Don’t come to worry me.
Don’t bring me your problems.
I won’t save the world.
I am not the hero of the day.
I want just to be fine today.
Maybe tomorrow I die
defending a noble cause,
helping many people,
being an example for the world.
But not today,darling.
I am too fine to be a hero.
Let me alone,selfish and happy.
Let me rest,sleep and dream.
This is my best moment,
my personal paradise.
Please, darling, don’t tell me your troubles.

Ver o post original

Hermafrodita

Por Ana Burke

Você conhece o mito Grego que deu origem à expressão “Hermafrodita” ?

Bom … é assim: A Deusa da beleza Afrodite teve um filho muito lindo com o Deus Hermes. Esse novo Deus foi chamado de Hermafrodito, que foi criado pelas ninfas e se tornou um belo rapaz.

Quando estava passeando na beira de um lago, conheceu uma Ninfa de nome Salmácis. Que se apaixonou perdidamente pelo Hermafrodito. Só que ele não deu a menor bola para a Ninfa.

O lindo Hermefrodito foi tomar banho no lago, porque fazia muito calor. Ele tirou a roupa e entrou no lago. A Ninfa Salmácis fez o mesmo e abraçou o seu amado, pedindo aos deuses para nunca mais os separar. Os deuses fizeram o que a Ninfa queria, e, transformaram o Hermafrodito e a Ninfa em um só ser. Um só corpo masculino e feminino. Dai nasceu o termo: Hermafrodita.

A minhoca é um exemplo de ser hemafrodita, isto é, ela possui os dois sistemas reprodutores, masculino e feminino, só que ela, para se reproduzir, precisa de uma outra minhoca. Ambas trocam os gametas masculinos e ficam então grávidas.

Ana Burke

Fonte: https://dicasdeciencias.com/…/10/25/seres-vivos-hermafrodi…/

 

Nenhum texto alternativo automático disponível.

MINORIAS NO BRASIL

Este slideshow necessita de JavaScript.

Por Ana Burke

Eu sempre me incomodei com a expressão “minorias”.
O sociólogo Louis Wirth definiu um grupo minoritário como “um grupo de pessoas que, por suas características físicas ou culturais, são destacadas dos outros na sociedade em que vivem por tratamento diferenciado e desigual, e que, portanto, se consideram objetos de discriminação coletiva “.

A minoria é perseguida pelo que chamam de maioria que nada mais é do que aquele grupo que sobressai na sociedade e que é tido como o grupo superior, ou seja, a classe dominante. Minoria não quer dizer “menor em números”. Por exemplo, no Brasil os negros são considerados minorias mas sabemos que eles são a maioria da população. As mulheres são consideradas minoria, mas também não existem em menor número do que os homens. Atualmente, os idosos, crianças, ou aposentados são considerados minoria, assim como os homossexuais, os indígenas, aqueles que são de etnias diferentes, imigrantes ou que foram classificados como pertencentes a a esfera social considerada mais baixa e sem poder aquisitivo como, pobres, miseráveis, mendigos, etc. Na visão geral, também é considerada minoria aqueles que estão fora do Sistema Religioso ou aqueles que, mesmo tendo uma religião, não seguem a religião predominante. Agnósticos, ateus, seguidores de religiões afro, religiões ou crenças indígenas, por exemplo, estão nessa lista.

Estas minorias citadas acima são “toleradas”, não são aceitas e nem são tratadas com dignidade e respeito. São perseguidas, expulsas, mortas, comete-se genocícios em alguns países, tomam as suas terras e violam todos os seus direitos não sendo consideradas cidadãos, mesmo pagando impostos exorbitantes e sustentando o status e o luxo daqueles que se autodenominam MAIORIA.

A perseguição à minoria é incentivada, assim como o preconceito. A “maioria” se coloca como deuses que podem resolver os problemas, principalmente dos pobres. O que se faz nesses casos? O que se vem fazendo há milhares de anos. A tática é sempre a mesma. Não se deve acabar com a pobreza, mas manter os pobres, muito pobres. Além de manterem os pobres, pobres também é necessário que os mantenham analfabetos, ou analfabetos funcionais, cegos, conformados e, para que fiquem inativos, usam o Sistema Religioso e a Mídia para fazer o serviço sujo.

A polícia também é fundamental para manter a ordem e a mídia mostra esses policiais sempre como os heróis que protegem a população em geral. Quando você vê a situação das pessoas que vivem em favelas pode-se perceber que não existe nenhum interesse em transformar para melhor a vida dessas pessoas e a desculpa é os traficantes de drogas. Por muitas vezes a polícia entra nessas favelas para mostrar serviço mas não convém se importar com as pessoas que vivem lá e que respeitam muito mais os traficantes do que a polícia.

Quando turistas chegam no Brasil, e não são muitos porque a visão que eles têm do Brasil lá fora não é muito boa, eles não vêem como vive o povo pobre pois estes estão isolados e separados em algum gueto para que todos esqueçam que eles existem ou não se interem da verdadeira realidade do país que se diz democrático. Quando a minoria aparece na mídia, aparece, não como sendo seres humanos dignos, mas como pessoas que precisam, ou ser reprimidas, ou como bandidos, ou como pessoas que são discriminadas, sofrem preconceitos, ou estão incomodando com as suas reclamações ou manifestações para valer os seus direitos. Neste caso, a polícia sempre está lá e, não é incomum, que essas pessoas sejam forçadas a se calar, ou a se recolher à sua “insignificância” voltando para o lugar de onde vieram. Em cada lugar miserável deste país, por mais longinquo e inóspito que seja existe uma igreja e, normalmente, bem construídas, mas não é raro perceber que esta mesma população que reza, não têm acesso à saúde, à educação, à informações que não sejam deturpadas e corrompidas, ou mesmo a hospitais, médicos, saneamento básico, respeito, ou dignidade. E todas essa população que reza é obrigada a dar à “Deus” parte do dinheiro que serviria para alimentar melhor os seus filhos ou a si mesmas.

No Estado de São Paulo, o Estado mais rico da União, inventaram que os pobres devem ser alimentados com uma ração feita com restos de alimentos ou com alimentos que estão para vencer. Isso me entristece profundamente, principalmente quando vejo pessoas defendendo tal projeto. Pobre não têm que comer restos ou aquilo que ninguém quís ou quer. Isso se tornou parte da cultura: Vou jogar fora, não serve pra mim, não presta, está sobrando e então, vou dar para os pobres!” Se não serve pra um, não deveria servir para o outro; se não presta pra mim, não deveria prestar para o outro e a isso costuma-se chamar de caridade. Esquecendo as necessidades que surgem devido a catástrofes, este comportamento rotineiro e usual retira das passoas toda a sua auto-estima. Na realidade elas são destruídas e convencidas de que são mesmo pobres, miseráveis, carentes e que vão continuar assim pelo resto das suas vidas, com a sua mão estendida e abaixo daquelas que as sustentam. Pior do que isso, elas acreditam também que são ináptas e incapazes de, por si mesmas, lutar ou reagir para mudar as suas condições miseráveis. Elas então se acostumam com os esgotos correndo a céu aberto, a viver do lixo, a se alimentar da caridade e a vestir trapos que elas obtem das mão superiores daquele que têm para dar.

Num país como o Brasil não deveriam existir favelas, cortiços, barracos, desabrigados e semelhantes. Até quando vai existir miseráveis neste país? Um país no qual a corrupção come e engorda os porcos. Um país que arrecada bilhões e bilhões de impostos; até quando os brasileiros, nossos irmãos, compatriotas, vão receber esmolas e ser tratados como incapazes e seres humanos inferiores? Eles são convencidos de que são inferiores pelo próprio governo que deveria trabalhar em prol da igualdade de oportunidades para todos. O Sistema Religioso, claramente, trabalha pela desigualdade entre todos e então temos os “escolhidos” contra aqueles que serão condenados e que devem ser discriminados ou perseguidos pelos fiéis acéfalos. Para que o país continue funcionando de acordo com a vontade de Deus, as minorias devem brigar entre si e nunca entrar em acordo sobre coisa alguma. E este é o povo ou o “senso comum” ou, como dizem alguns, o gado. As necessidades das minorias nunca devem ser satisfeitas mas deve-se dar a elas a esperança de que algum dia alguém vai resolver os seus problemas. Faz parte do jogo.

Observem as faculdades Católicas ou outras fundadas por religiosos. Quantas vagas são oferecidas aos miseráveis? Qual a razão desta “ração” vergonhosa que querem enfiar guela abaixo dos pobres estar embalada com a imagem da Senhora da Aparecida?
Temos que acabar com as diferenças sociais para que deixem de existir pobres para alimentar.
Temos que elevar as pessoas e não jogá-las num canto bem afastado para que turistas e hipócritas não percebam que eles existem.
Vá nas escolas públicas e veja o que acontece lá dentro e observe se nestas escolas existem filhos de políticos estudando lá.
Não existe nenhum padre ou pastor defendendo a educação, a saúde, a segurança, o direito à moradia e o bem estar social mas têm milhares deles defendendo a mendicância. E assim fazem a maioria das pessoas.

Temos comida de qualidade pra todos. Os nossos políticos não são incompetentes, são desonestos, maldosos, hipócritas e continuarão assim até que os vermes os comam porque o destino final de todos é o mesmo: miserável, minoria, ou explorador mau caráter.

O que fazem lá no Congresso ou nas prefeituras? Planejam, principalmente escândalos para dividir e tornar as pessoas rivais umas das outras porque isso, pra eles, é muito bom. Qual o projeto de Lei que foi apresentado e que vise o crescimento e o bem estar social pela bancada evangélica? Nenhum. E Católicos que estão lá? Nenhum. São parasitas sustentados pelas minorias.

Em 2018 teremos eleições e eu espero que a minha televisão continue desligada.

23659173_1929441887308665_8657147207294933938_n

23621740_1929441737308680_7511672643018254893_n

RÁ, a antiga divindade solar egípcia.

23669191_298373784001702_6498876123057914776_o
Por Ana Burke

Na quinta dinastia (2494-2345 a.C.), ele já havia se tornado o deus principal da antiga religião egípcia e era identificado com o sol do meio-dia. O significado do nome é incerto, mas acredita-se que se não for uma palavra para “sol” pode ser uma variante ou estar vinculado a palavras que significam “poder criativo” e “criador”.
O principal centro do culto de Ra era Heliópolis (chamada Inun, “Lugar de Pilares”, em egípcio), onde ele era identificado com o deus-sol local Atum. Através de Atum, ou como Atum-Ra, também era visto como o primeiro ser e o autor da Enéade, composta por Shu e Tefnut, Geb e Nut, Osíris, Set, Ísis e Néftis.
Nos textos das pirâmides, Rá e Hórus são claramente distintos (por exemplo, Hórus remove para o sul do céu o trono de Rá), Mas nos tempos dinásticos do Egito, Ra foi fundido com o deus Hórus, como Re-Horakhty (“Rá, que é Hórus dos Dois Horizontes”). Ele era o soberano de todas as partes do mundo criado: O céu, a terra e o submundo. Ele foi associado com o falcão ou gavião. No Império Novo o deus Amon ganhou destaque e foi fundido com Rá como Amon-Rá. Durante o Período de Amarna, Akhenaten suprimiu o culto de Rá em favor de outra divindade solar, Aton, o disco solar deificado, mas após a morte de Akhenaten, o culto de Rá foi restaurado.
O culto ao touro Mnevis, uma encarnação de Ra, teve seu centro em Heliópolis, onde havia um terreno (cemitério) onde enterravam formalmente os touros sacrificados.
Acreditava-se que todas as formas de vida foram criadas por Ra, que as chamou à existência, falando seus nomes secretos. Alternativamente, os seres humanos foram criados a partir das lágrimas e suor de Rá e por isso os egípcios se autodenominavam “Gado de Rá”.
O mito da Vaca Celestial descreve como a humanidade conspirou contra Ra e como ele enviou o seu olho, na forma da deusa Sekhmet para puni-los. Ela se tornou sanguinária e só foi pacificada com a mistura de cerveja e tinta vermelha. (Egypte_louvre_047_stele)

***
RÁ E O SOL
Para os egípcios, o sol representava a luz, o calor e o crescimento. Isso fez com que o sol se tornasse uma divindade muito importante, pois era visto como o governante de tudo o que ele criou. O disco do sol foi visto como o corpo ou o olho de Rá. Ra era o pai de Shu e Tefnut, a quem ele criou. Shu era o deus do vento, e Tefnut era a deusa da chuva. Sekhmet era o Olho de Ra e foi criado pelo fogo do olho do Ra. Ela era uma leoa violenta.

***

MARAVILHOSA HISTÓRIA DE RÁ E ÍSIS
Diz a lenda que no início não havia luz. Havia apenas escuridão e uma grande extensão de água chamada de Nun . O poder de Nun era tão grande que do meio da escuridão ele fez brotar um ovo grande e brilhante e do interior do ovo surgiu Rá.
Rá tinha o poder de fazer e criar o que ele quisesse, até mesmo mudar de forma. O que ele nomeava, adquiria forma e tornava-se realidade. Era tão importante o poder do nome, que ele guardava segredo sobre o seu próprio nome para que ninguém pudesse usá-lo.

Rá decidiu criar o sol dizendo: ” Ao amanhecer eu me chamo Kephera, ao meio-dia Rá, e ao anoitecer Tem ” . E então o sol apareceu pela primeira vez iluminando a escuridão , se elevou pelo horizonte e ao entardecer foi descendo para voltar a se esconder. Então ele chamou Shu, e os ventos se reuniram pela primeira vez e começou a soprar .

Quando Ra chamou Tefnut , surgiu a chuva.

Mais tarde ele nomeou Geb e ao nomeá-lo , foi formada a Terra e para fazer companhia à Terra ele nomeou a deusa Nut , e o firmamento se arqueou sobre a terra.

Quando ele quis coroar o Egito com o rio Nilo, nomeou a Hapi . E o Nilo começou a fluir através do Egito e a fertilizar seu amplo vale. Rá, começou a nomear uma por uma, todas as coisas que existem na terra e estas se fizeram visíveis. Finalmente deu nome aos homens e as mulheres , e desde então a humanidade povoou a Terra.

Rá podia tomar a forma que quisesse. Então , tomou a forma de um homem e tornou-se o primeiro faraó do Egito.
Rá governou o Egito durante milhares de anos trazendo bem estar e prosperidade a seus habitantes , graças as suas fabulosas leis e magnífica cultura. Os egípcios só tinham palavras de agradecimento e louvor a Rá.
Mas Rá, tinha tomado forma humana e , portanto, estava envelhecendo. Um dia, os egípcios pararam de respeitá-lo, começaram a zombar da sua aparência senil e a desobedecer as suas ordens.
Rá não podia deixar de ouvir os insultos e comentários, e quando viu que os homens não obedeciam às leis , ficou com raiva por isso decidiu convocar os deuses que ele tinha criado em um lugar secreto para um conselho.
Lá estavam Shu, Tefnut , Geb , Nut e Nun ouvindo o problema que afligia o deus Ra .
Nun falou , dizendo: O que você precisa fazer é destruí-los na forma de sua filha , a deusa Sekhmet .
Os outros deuses , vendo o mau comportamento dos homens , também o aconselhou a destruir os homens através da deusa Sekhmet .
Ra, com seu olho , que se transfigurou num olhar assustador , criou a deusa Sekhmet . Feroz e sanguinária como uma leoa que persegue sua presa e se deleita na matança e no sangue.

Seguindo as ordens de Rá, ela desencadeou sua fúria sobre todos os que ridicularizavam o seu pai, espalhando o terror e desespero em todo o Egito .
Os homens fugiram se escondendo, mas a deusa Sekhmet , os perseguia e os assassinava lambendo o seu sangue.
Quando Ra viu o que tinha feito Sekhmet chamo-a em sua presença para perguntar se ela o tinha obedecido. Sekhmet respondeu que estava feliz porque havia vingado seu pai Rá, e eliminado todos os homens que o haviam ofendido. Todo o Egito estava tingido com a cor de sangue e era impossível deter a fúria da cruel e sanguinária Sekhmet.
Mas Ra teve pena dos homens e decidiu fazer alguma coisa para parar a matança . Enviou então, rapidamente e silenciosamente, mensageiros em busca de grande quantidade de âmbar. Em seguida, ordenou a preparação de muitos litros de cerveja para encher sete mil frascos. Mais tarde , ele mandou misturar o âmbar com a cerveja. À luz da lua, a cerveja adquiriu a cor vermelha do sangue. Ele mais uma vez encheu os frascos e enviou seus mensageiros entorná-los no lugar onde se achava Sekhmet . Ao amanhecer , Sekhmet estava pronta para sua próxima caçada , quando viu a terra inundada de vermelho e pensou que seria sangue real, pois havia por perto qualquer homem . Ela se aproximou e o bebeu muito feliz pensando se tratar de sangue. E bebeu tanto esse dia, que, ficando muito embriagada não podia matar nenhum homem.
A humanidade foi redimida e Ra continuou reinando na sua velhice , embora soubesse que era chegada a hora de delegar o governo do Egito a deuses mais jovens. Não se esqueça que o poder de Ra estava em seu nome secreto . Se alguém o descobrisse, Rá deixaria de reinar . Rá sabia disso e manteve-o escondido em seu coração. Só se usando grandes poderes mágicos se poderia conhecer este segredo.

A deusa Nut e Geb se juntaram e tiveram vários filhos: Ísis, Osíris, Néftis e Seth . Isis era a mais sábia entre todos os outros. Isis conhecia todos os segredos do céu e da terra, mas o único que não sabia era o nome secreto de Ra e se dispôs a descobrí-lo.
Ra estava muito velho, caminhava com dificuldade, todo o seu corpo tremia . Suas palavras eram ouvidas entrecortadas e como a maioria dos idosos, ele babava.
Isis começou a segui-lo em segredo, e quando uma gota de baba de Rá caiu sobre a terra formando barro, ela modelou uma serpente com este barro; colocou a serpente no meio do caminho quando Ra passava, a cobra o picou e , em seguida, fugiu para se esconder .
O veneno se espalhou rapidamente pelo corpo de Ra , causando uma dor até agora desconhecida. Ra gritou com todas as suas forças todos os deuses correram ao seu encontro.
Ra estava intrigado . Eu senti que um fogo estava me queimando por dentro e não consegui encontrar explicação para o que aconteceu.
Os deuses convocados, choravam e se lamentoaram pelo acontecido. Entre esses deuses , estava a astuta Isis que se aproximou perguntando: – O que acontece Pai, Todo-Poderoso ? Você mordeu uma das serpentes que você criou?
Ra disse: ” Eu fui mordido por uma cobra que eu não criei . Eu não consigo parar de tremer . Eu sinto como se tivesse um fogo abrasador dentro de mim me devorando .
Isis se acercou com doçura e sussurrou no ouvido de Rá : – Se você me disser o seu nome secreto , eu posso usar os meus poderes mágicos e posso curá-lo .
Ra respondeu: ‘Eu sou o que fez o céu e a terra. Aquele que criou as águas, os ventos, a luz e a escuridão . Eu sou o criador do grande rio Nilo. Eu sou Khepera na parte da manhã , Rá ao meio-dia , e Tum ao pôr do sol .
Isis disse : – Você sabe bem, Pai todo-poderoso, que esses nomes são conhecidos por todos. O que eu preciso para o curar é o seu nome secreto.
Ra pegou sua mão e sussurrou: Antes que o meu nome passe do meu coração para o seu, você têm que jurar não contar a ninguém, exceto para o filho que terás e o chamarás Horus . E Horus deverá jurar que o nome vai permanecer nele para sempre. Não deve ser comunicado, nem a outros deuses nem a outros homens.
Isis fez seu juramento e o conhecimento do nome secreto passou do coração de Rá para o coração de Isis.
Então Isis, usando todos os seus poderes mágicos disse: Pelo nome conheço, ordeno que o veneno abandone o corpo de Rá para sempre.
O veneno desapareceu e Rá sentiu-se bem, mas deixou de reinar sobre o Egito. Encontrou um lugar no céu, onde passeia seguindo a trajetória do sol.
À noite, ele se transladava para o mundo subterrâneo de Amenti onde habitam os mortos. Em sua Barca ele levava as almas dos mortos que conhecia a perfeição das orações e as palavras que se deveria dizer para chegar ao outro mundo.

23658726_298373764001704_5161667817891359460_n

Mais informações sobre o Egito Antigo: https://archive.org/…/History%20of%20Ancient%20Egypt_djvu.t…

http://www.ancient-egypt-online.com/egyptian-god-ra.html

Cada um Colhe o que Planta

Por Ana Burke

Deus te dá o alimento de cada dia; mas se você não trabalhar Ele tira o seu alimento;

Deus te dá moradia; mas se não pagar os impostos ou o aluguel, Ele joga você e toda a sua família na rua;

Deus te dá a vida, mas também instituiu as guerras;

Deus te deu um carro, mas você tem que pagar o combustível, a prestação, os pedágios, a manutenção, os impostos, etc., porque, se você não pagar, Ele te toma o carro…e não adianta rezar. Sabe aquele crucifixo que você carrega no carro? Troque por uma figa, talvez resolva.

Deus te dá água potável, mas se não pagar, fica sem água e então, nada de comida, de banho e vai morrer de sede.

Deus te dá eletrodomésticos mas se não pagar a energia elétrica, não vai te servir de nada…e não se esqueça das prestações.

Quando fica doente, você têm que rezar e depois de rezar muito e muito, talvez ele te cure…ou não. Se não o curar, alguém tem que pagar pra você uma vaga no cemitério.
Se Ele te curar, não se esqueça da conta na farmácia e de manter em dia o pagamento do seu plano de saúde.

CUIDADO, quando ele te curar de uma doença, continue rezando porque Deus é caprichoso e Ele pode decidir dar a você uma outra doença, o que quer dizer que você não está rezando com fé. Vá para a igreja, pague em dia o seu dízimo, compre água ungida, vassoura ungida, participe da “fogueira Santa” e adore mais, implore mais e agradeça pelo seu sofrimento…Deus sabe o que faz e o sofrimento santifica.

Outro CUIDADO: Deus gosta de mostrar a todos o seu poder. Ele é imprevisível, pode ficar irado E mandar para esta humanidade sem fé e pecadora: terremotos, maremotos, furacões, enchentes, inundações, seca, raios e…preste atenção enquanto estiver na igreja rezando, adorando, implorando, de joelhos ou recebendo o Espírito Santo – verifique antes de entrar se a igreja têm para-raios.

Leia a bíblia e aprenda a lição:

“É Deus quem julga: a um rebaixa, a outro eleva!”
Salmos 75:7

Portanto você têm muitas obrigações importantes como seguir e fazer o que Deus manda e julgar também. Não se misture com aqueles que Ele rebaixa ou você também será rebaixado. Condene como Ele condena: Homossexuais, ateus, pagãos, hereges, blasfemos e também quem segue outros deuses, outras igrejas, outras crenças e não se esqueça, DESTRUA…porque Deus é o Deus dos exércitos, da guerra e da destruição:

“Eu formo a luz e crio as trevas; faço a paz e crio o mal; Eu, Yahweh, (o seu Deus e Senhor) faço absolutamente tudo!” Isaías 45:7.

Satanás? É só uma alegoria. Você não têm que temer Satanás. Você têm que TER MEDO, TEMER, e sentir PAVOR, é de Deus.

“O Senhor dos Exércitos
é que vocês devem considerar santo,
a ele é que vocês devem temer,
dele é que vocês devem ter pavor.”
Isaías 8:13

 

A imagem pode conter: 7 pessoas

Eu tenho FÉ. Sou CRENTE

Por Ana Burke

Eu, um dia acreditei, e até hoje acredito sendo, portanto, uma pessoa crente. Que tipo de crente eu sou? Vou dizer a vocês o meu exemplo, 1% da minha vida, e que eu tenho certeza, é um exemplo, não somente vivido por mim, mas por muitos outros.

Eu me separei do meu marido e carreguei comigo para outra cidade dois filhos, um de três anos e outro de 5 anos. Larguei o trabalho no qual era professora concursada na Prefeitura de São Paulo e trabalhava também no Estado.

Comecei tudo do zero, numa outra cidade, sozinha e com duas crianças para sustentar. Arrumei um trabalho para ganhar a terça parte do que eu ganhava, pagava aluguel e fui dando um jeito. Fiz outros concursos no Estado de Minas Gerais e na prefeitura da cidade onde eu morava. Passei no concursos e fui dando um jeito. Fazia cursos, todos os que apareciam, principalmente na área humana. Houve uma época em que eu dava aulas de Matemática, Ciências, Horticultura, Educação Religiosa e computação. Tudo ao mesmo tempo. Chegava em casa à noite, e enquanto fazia comida para deixar para os meus filhos, ia limpando a casa e a bagunça que eles faziam. Dormia uma base de três ou quatro horas por dia porque tinha que estudar, ler muito, preparar aulas ou corrigir provas.

Um dia eu disse para os conhecidos e parentes: Eu vou fazer a minha casa. Me animaram muito…”você só têm este fusca velho e um terreno. Está sonhando.” Eu decidi vender o fusca, comprei um caminhão de areia, coloquei no terreno e disse a eles: Agora eu não tenho só o terreno, tenho o terreno e mais um caminhão de areia. A minha mãe ficou muito sentida, preocupada e me disse: Você está acostumada com carro e como vai trabalhar? Eu respondi: Como a maioria faz, me levantando mais cedo e pegando um ônibus.

A minha mãe me cedeu o porão para morar enquanto levantava a casa com o dinheiro que eu deveria gastar em aluguel. Era um porão todo embolorado e eu vivi ali com os meus filhos por três anos. Ia comprando janelas, azulejos, pisos, torneiras e guardando tudo, sem ficar devendo. Comprava uma coisa, pagava e depois comprava outra. Consegui levantar parte da casa até na laje, coloquei o telhado e me mudei pra lá com os meus filhos. Continuei sem carro e fiquei sem carro por dezesseis anos ou mais. Nunca senti falta. Decidi fazer mais uma faculdade…nada de sobrar dinheiro pra carro. Depois decidi fazer uma pós graduação e outra e outra. Fiz quatro delas e enquanto isso não parei com a minha casa. Fui terminando. Queria deixar uma casa para os meus filhos morar. Eu nunca fui materialista mas sempre soube que numa sociedade as pessoas precisam de segurança, educação e, no mínimo, uma casa para morar.

A casa está pronta? Não. Falta garagem coberta, pintar por fora e mais algumas coisas, mas isto não é importante. Nunca acredite em alguém que te diz que não vai conseguir. Dizer isso pra mim é um desafio. Que seja um desafio para você também. Pense sempre da seguinte forma. O importante é começar, o resto vem depois.

Por que estou contando isto? Por quê isto é FÉ, é CRENÇA. Mas uma fé diferente, uma crença diferente, não religiosa, não aprendida em igrejas. É uma crença que eu sempre tive em mim mesma.

Eu me autodenominava Católica, mas não frequentava a igreja, não ia a missas e quando ia, achava aquilo uma perda de um tempo precioso e irrecuperável. Um deus verdadeiro não poderia ser aquilo que eles estavam me mostrando ou tentavam me convencer que existia, onde um teria que se submeter ao outro. Um deus verdadeiro teria com o outro uma relação construtiva e de respeito. Um deus verdadeiro não se manifestaria apenas num templo feito de paredes que me parecia muito mais uma grade. O correto deveria ser que o mundo todo, o Universo e a natureza fossem o seu templo. Cada folha de árvore deveria ser sagrada, cada animal deveria ser sagrado, cada ser humano independente da sua cor ou da sua opção sexual deveria ser sagrado. Como acreditar num deus em forma de homem e que faz da mulher, da qual ele nasceu, um ser humano inferior? Como um deus poderia ditar regras de conduta se tudo o que ele fez ou faz é perfeito? Como acreditar que existe um livro sagrado que eu devo reverenciar, seguir e que ao mesmo tempo quer me ensinar a desprezar o mundo ao meu redor e a mim mesma pelo fato de ser mulher? Eu sou uma mulher e fiz muito mais na vida do que a maioria dos homens que eu conheço. Acreditar que eu nasci para servir e ser submissa a um homem ia contra o respeito para comigo mesma e para com um deus construtivo e verdadeiro.

Comecei a ler o “Livro Sagrado”. Me inteirei dele todo. Fiquei chocada. Fui mais longe e comecei a estudar mitologia, crenças antigas e história.

Nunca mais entrei em nenhuma igreja a não ser para estudar e observar.

23674953_1928444520741735_8113883067018061186_o

Falando um pouco do símbolo da Paz, os Pombos.

Pombo_assassino
Por Ana Burke

O Cristianismo escolheu um pombo para representá-lo como sendo o Espírito da Paz. Deus se transformou num Pombo que “cobriu” Maria e nasceu Jesus, fruto do pombo. Nas igrejas, em todos os cultos, lá está o pombo sendo adorado. Este pombo faz uma revolução na cabeça das pessoas. Alguém já viu alguma pessoa da chamada “Elite Humana” numa igreja, descansando no espírito, ou recebendo o espírito Santo? Já viram pessoas pertencentes à classe dominante com demônios sendo retirados ou expulsos dos seus corpos por um pastor ou sendo exorcizadas por um padre?

Imaginem alguém da família real britânica descansando no espírito ou recebendo o “Espírito Santo”, pulando, caindo e rolando dentro de uma igreja. Ou o Edir Macedo com a mão na cabeça da Rainha Elizabeth gritando…”Sai Satanás em nome de Jesus!”. Este tipo de coisa é para aqueles que os sustentam, não pra eles. A massa precisa acreditar em mágicas. O que são os milagres senão uma espécie de magia? E o que são os demônios senão aqueles que desejam destruir a crença nos poderes mágicos. Cair na realidade é cair nas garras do demônio.

Na época das eleições os políticos, de repente, são muito religiosos e podemos vê-los nas mais diferentes denominações. Só dando um exemplo, eu vi a Dilma nas igrejas evangélicas, Católica, Umbanda e similares, etc. Eu penso que ela conseguiu convencer a todos que ela é muito religiosa. De uma coisa ela e outros governantes me convenceram: É necessário que o povo acredite que religião é algo muito importante e fundamental. E quem é esse povo?
Bem! Fica a pergunta.

O pombo representa, na cabeça desse povo, o bicho-deus. Mas será que todos concordam que esse bicho-deus é o bicho da Paz?

869

20150813_094217-001
pombos-controle-de-pragas-telhado-sujo-fezespombosbiologia-e-controle-de-pombos-13-638Controle-de-Pomboscharge_pombo_trafico640-x300-torontoEspírito-Santo1